Arquivo X

Espaço para os fãs de Arquivo X debaterem a série.
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Nova por aqui
Qua Jun 24, 2015 7:23 pm por One

» Arquivo X (Novos episódios)
Qua Jun 24, 2015 7:15 pm por One

» Caixa de Arquivo X
Qui Ago 21, 2014 8:17 pm por hugoxrosa

» `Californication´
Sab Out 12, 2013 2:54 pm por Meiline

» GANHEI UM CHINELO DO MULDER E DA SCULLY!!!!
Sab Out 12, 2013 2:51 pm por Meiline

» Melhores casais das séries criminais
Sab Out 12, 2013 2:51 pm por Meiline

» Fics One - Procura
Sab Mar 12, 2011 3:09 pm por Elenice Sousa

» Vocês se lembram de mim?
Sab Jan 01, 2011 7:29 pm por Ma_Scully_

» Arquivo Crepúsculo
Dom Out 24, 2010 9:26 pm por Dana

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Patrocinadores

Compartilhe | 
 

 FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jun 10, 2008 8:21 pm



Nome da Fanfic: "Com Um Olhar"

Descrição: É uma obra é fictícia que eu estou adaptando a Arquivo X , em forma de Universo Alternativo. Pro que gostei da história e meu coração está pedindo um pouco de romance para esses dois.... "Com Um Olhar" Vai contar a história de duas pessoas amarguradas pelo que ocorreu em suas vidas amorosas. Elas iniciarão uma relação cheia de conflitos, com pessoas querendo acabar com tudo por todos os lados, mas os mais inseguros quanto a essa tão nova sensação serão eles mesmos. Na estória Dana e Fox ainda não se conhecem e não trabalham no FBI.



Não tem fins lucrativos eu só usei os nomes das personagens desenrolar dos fatos.

Gênero: Romance, mas terá capitulos próibidos
Classificação etária: Quando for próibido eu vou cortar e mando por e-mail p/ quem pedir
Colaboradores: Qualquer pessoa pode colaborar, é só comentar...


Comentários: thitascully@yahoo.com.br ou http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm





¤ Apresentação dos personagens:

. Fox Willian Mulder: Um homem amargurado por sua triste história. Viúvo aos 32 anos, ele vive com o pai e sua filha Emily. Ele é um arquiteto de sucesso, que busca no trabalho algum tipo de refúgio. Recusa o amor desde o falecimento de sua esposa, mas o reencontrará mais forte do que nunca em uma mulher desconhecida.

. Dana Katherine Scully: Uma mulher bem sucedida que é dona de uma das maiores editoras do país, mas vive um drama particular: não encontrou o verdadeiro amor. Foi noiva durante quase dois anos, mas terminou tudo quando descobriu as várias traições de seu noivo. Seu único laço de sangue é com a irmã mais velha, que vive fora do país. Vive em busca do amor e o encontrará em um homem que arrebatará sua alma.

Alex Krycek: Cunhado de Mulder. Ficou um pouco perturbado com a morte da única irmã. Culpa o sobrinho pela morte dela e vive às brigas com Mulder por isso. Tem um filho que não assumiu.

. Monica Reyes: Melhor amiga de Scully, é considera como uma irmã, já faz parte da família de Scully, foi cursar faculdade de Arquitetura em outro país. É uma mulher alegre e cheia de planos. Vive rodeada pelos homens, mas nunca se apaixonou verdadeiramente. Tem um grande amigo que é seu porto seguro.

. Cris Doggett: Amigo de Mônica e irmão mais novo de John Doggett. Cursa faculdade de Psicologia e conheceu Monica no intervalo de uma das aulas. É homossexual e já sofreu muito preconceito, mas com talento e caráter supera todas as dificuldades. É inseguro quanto ao amor, pois tem medo de estar traindo algo ou alguém por gostar do mesmo sexo que o seu. Encontra todo o apoio em sua amiga, a quem chama de irmã.

. Peter Pendrell: Ex-noivo de Scully. Um pouco desequilibrado e com um toque de loucura em seus atos. Ainda ama Scully, e tenta fazer de tudo para conseguir seu perdão. É médico.



. Diana Fowley Krycek Mulder(sem o sobrenome, mas é só para identificar a personagem): Esposa de Mulder. Morreu no parto de sua filha. Uma mulher apaixonada e muito romântica. Amava o marido com todas as forças, mas sempre achava que ele a estava traindo. Aparecerá em 'flashbacks'.

. William “Bill” Mulder : Pai de Mulder e o ajuda a criar a filha. É um arquiteto aposentado e deixou todos os negócios à cargo de Mulder. Incentiva o filho a encontrar uma nova mulher, mas tudo é em vão...

. Walter Skinner: Escritor renomado, que faz sucesso lançando seus livros pela editora de Scully. Sempre teve uma enorme queda por ela, mas acima de tudo tem com ela uma forte e sincera amizade.

. Emily Krycek Mulder: Filha de Mulder e Diana Fowley. Sente muita falta da mãe e tem no avô e no pai exemplos de vida. Tem 6 anos, mas é muito madura para sua idade, assustando até profissionais.

. Gibson Praise : Filho de Alex. Sabe da existência de seu pai e que ele o rejeita. Tem 11 anos e mora com a mãe, que trabalha como faxineira para sustentá-lo.

× Esses são os principais personagens, quando algum mais for surgir e for relevante para a história, farei a apresentação no capítulo.

¤ Legenda:
# personagem ao telefone #
* pensamentos do personagem *
[ ações do personagem ]
( Eu fazendo comentários )
{ flashbacks }
. informações sobre a vida e personalidade do personagem .



Última edição por Thita Scully em Seg Jun 16, 2008 8:51 pm, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jun 10, 2008 9:54 pm

» Capítulo 1.


#Scully: Nem pensar, Monica! Você está louca? Pra quê vir embora agora em plenos estudos?
#Monica: Dana Scully, a única louca aqui é você, ok? Você por um acaso ouviu o que eu te disse?
#Scully: É claro que ouvi, Monica! Você quer parar os estudos e ainda está com sérios problemas mentais!
#Monica: Faz uma retrospectiva básica querida amiguinha e vê se eu falei que quero parar os estudos! Você está trabalhando demais ou o quê? EU DISSE QUE VOU ESTAGIAR, POR ISSO ESTOU VOLTANDO!
#Scully: Ah, [cai a ficha de Dana] eu ando meio desligada, desculpa.
#Monica: Desligada? Você nunca é desligada, mocinha. O que está acontecendo? Exijo que me fale.
#Scully: É o Peter, A gente terminou semana passada.
#Monica: Ahn? Terminaram como? Por quê?
#Scully: Eu descobri coisas desagradáveis sobre ele.
#Monica: Deixa de rodeios Dana Scully e me conta TUDO!
#Scully: Eu o peguei na cama com outra. [chora]
#Monica: O quê? Mas esse filho da mãe vai ver quando eu chegar aí, Dana! EU VOU MATAR ESSE DESGRAÇADO! [voz maquiavélica] Ele vai sofrer na minha mão, pode escrever isso!
#Scully: [enxuga as lágrimas] Calma, Monica. Não é necessário esse tipo de escândalo. Eu já cuidei pra que ele nunca mais apareça na minha frente.
#Monica: Ai, que barra! Eu estou morrendo de saudades de você, irmã. Logo eu vou estar aí pra gente sair e arranjar uns gatinhos, viu?
#Scully: [ri] Irmã, só você pra me animar, menina! Brigada pela força.
#Monica: Vou desligar porque o Chris chegou. A gente vai sair hoje! [ri]
#Scully: Cria juízo, hein? Boa noite. Manda um beijo pro Chris e diz que estou louca pra conhecê-lo!
#Monica: Ele também está louco pra te conhecer, tá mandando um beijo.
#Scully: Outro pra ele. Juízo vocês dois! Te amo, mana!
#Monica: Também te amo! [desligaram]
Scully: *Ah, Peter! Você estragou a minha vida, como eu queria que você não existisse, como eu queria.* [coloca o celular no criado-mudo, se cobre e tenta dormir]


{ flashbacks }

. Dana chega no apartamento de Peter, levando um bolo nas mãos porque era o aniversário dele.
Porteiro: Srta. Scully, quer que eu interfone?
Scully: Não, Amaral. Hoje é aniversário do Peter e eu quero fazer uma surpresa.
Amaral: Claro, Srta. Deseje feliz aniversário à ele.
Scully: Sim, obrigada.

. Scully vai até o apartamento de Peter. Ninguém atende. Ela aperta de novo e olha pela janelinha da porta: há algum movimento lá dentro. Ela pega a chave em sua bolsa, coloca na porta e gira abrindo a porta bem devagar. Ela não vê ninguém, só algumas roupas espalhadas pelo chão e em cima do sofá. Ela coloca o bolo em cima do aparador que havia atrás de um dos sofás e segue em direção ao quarto de Peter. A porta estava entreaberta e ela olha antes de chamar ou bater. Ao olhar, ela não entende bem o que vê, estava um pouco escuro e então ela abre a porta totalmente, fazendo com que a luz vinda da sala ilumine o ambiente. E qual não é a surpresa de Scully ao ver Peter encaixado por entre as pernas de uma loira, olhando paralisado pra ela, que já vertia um milhão de lágrimas.



Scully: Não acredito nisso! [grita] O QUE SIGNIFICA ISSO?
Peter: Dana, eu explico! [sai de cima da loira]
Scully: EXPLICAR, Peter? EXPLICAR O QUÊ, SEU CACHORRO? [sai]
Peter: Daannaa! [sai atrás dela]
Scully: Ah, você veio até aqui, Peter. [sorriso raivoso]
Peter: Claro, amor. Temos que conversar.
Scully: Conversa com isso aqui seu estúpido! [joga o bolo na cara dele] E ouve bem o que eu vou dizer agora. NUNCA MAIS APAREÇA NA MINHA FRENTE. Não ouse nem sequer pronunciar meu nome, ou então você vai se arrepender.
Peter: E você vai fazer o quê? [sorriso debochado]
Scully: [dedo na cara dele] Eu vou te matar , mas antes disso eu tiro a sua masculinidade de merda.
Peter: Eu duvido muito, Dana Scully. Duvido mesmo.
Scully: Então ouse! OUSE aparecer na minha frente de novo, seu canalha. E você vai ver. [pega a bolsa e sai]
Scully: *Traída mais uma vez. É isso aí Dana, você nasceu pra ser capacho de homem. Parabéns!*
{Fim flashbacks }


Última edição por Thita Scully em Qui Jul 03, 2008 8:15 pm, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jun 14, 2008 4:36 pm

Capítulo 2.



Mulder: [entra em casa] Ainda acordado, pai?
Bill Mulder: Estava te esperando. E a Emily estava aqui até meia hora atrás.
Mulder: O quê, pai? Ela deveria estar na cama às 21h!
Bill Mulder: Deveria mesmo. E eu a coloquei lá às 21h em ponto, mas ela não dorme sem você ter ido dar um beijo nela. Você sabe o quanto ela sente sua falta? Ela só tem você, Mulder! Há 4 anos, desde que a Diana morreu, você se enfia naquele escritório dia e noite e esquece até da sua própria filha!
Mulder: [grita] ISSO NÃO É VERDADE!
Bill Mulder: É verdade sim, Mulder! E não grita comigo porque eu sou seu pai e exijo respeito!
Mulder: Perdão, mas você exagera. [subindo as escadas]
Bill Mulder: Boa noite, filho. *Não tem jeito. Ele precisa de uma nova esposa. Urgente.*

. Luciano vai até o quarto da filha, dá um beijo na testa dela e vai pro seu quarto, tentar dormir.

Mulder: *Diana como você faz falta pra nós, meu amor. Que saudades.*


{ flashbacks }

Médico: HEMORRAGIA INTERNA!
Enfermeira: Não estou conseguindo estancar, doutor.
Enfermeiro: A pressão está caindo!
- piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ...
Enfermeira: A perdemos, doutor.
---
Médico: O senhor é o marido de Daiana Fwley Krycek Mulder?(sem o nome..)
Mulder: [vira-se] Sim, doutor. O que houve?
Médico: O bebê está muito bem, foi levada ao berçário.
Mulder: E a minha mulher, doutor?
Médico: [respira fundo] Infelizmente não conseguimos salvá-la ...
Mulder: O-o-o-o quê?
Médico: Depois do nascimento da criança, ela apresentou uma hemorragia interna seríssima, fizemos de tudo, mas não foi o suficiente ... eu sinto muito.

. Mulder deixou seu corpo cair no sofá daquela sala de espera que agora parecia muito pequena, estava quase sem ar lá dentro. Seu pai o abraçou forte, tentando consolar o coração despedaçado de seu único filho.

{ fim flashbacks }

---

- trimtrimtrimtrim

Scully: Droga! [abre os olhos] Quem permite esse som de 180 decibéis a essa hora da manhã? [bate a mão em cima do aparelho e se joga na cama]

- trimtrimtrimtrim

Scully: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHH! Não posso mais dormir? [joga a coberta de lado] Ótimo Dana Katherine Scully, seu dia começou muito bem. Muito bem mesmo. [levanta e calça os chinelos]


. Depois de levantar muito bem humorada (pra não dizer mal-humorada), Scully tomou um banho que durou mais ou menos uma hora, vestiu-se e foi à mais um dia de trabalho. Esse dia não seria comum, pois à noite haveria uma festa de lançamento do mais novo livro da editora.


. Scully é uma mulher muito linda. Ela tem uma beleza rara, estonteante e encantadora. Todos os homens caem à seus pés, mas depois também a fazem sofrer muito. Depois da última decepção amorosa, Scully está um pouco mais seletiva quanto à seus namorados, mas nunca deixa o amor de lado. Ela tem uma ligação forte com esse sentimento, ela necessita sentí-lo. Mas ela nunca o sentiu verdadeiramente, sempre teve paixões arrebatadoras e outras efêmeras, mas AMOR nunca.

--

. Mulder acordou mais cedo nesse dia para encontrar com a filha na mesa do café da manhã, antes dele ir para a escola.

Mulder: Bom dia família!
Emily: Paaaai! [pula no pai, que gira com a filha]
Mulder: Bom dia, pai.
Bill Mulder: Bom dia, filho. [cumprimentam-se] Porque acordou tão cedo?
Mulder: [senta-se à mesa com a filha e o pai] Quis tomar café da manhã com vocês. E dizer para a Emily [serve-se do leite] que hoje sairemos para jantar.
Emily: Sério, pai?
Mulder: Sim, princesa. [sorri]
Emily: Podemos ir comer pizza?
Mulder: Claro, meu anjo! Vamos às pizzas hoje à noite! Combinado?
Emily: Sim!


. Mulder é um homem muito bem sucedido. Herdou os negócios do pai e leva a empresa com braços de ferro. É muito sério e quase nunca tem tempo para brincar ou ficar com a filha. Recebe críticas constantes de seu pai por isso. Apesar disso, discute muito com o ex-cunhado Alex porque ele insiste em culpar Emily pela morte de Diana. Desde a morte da mulher, vive cercado pelo trabalho, tentando esquecer a mágoa que há em seu coração.
---

. Scully chegou na editora carregada de pastas e bolsas, teria bastante trabalho até à festa de lançamento à noite.


Juliana (secretária de Scully): Bom dia Dana!
Scully: Mau dia, Ju! MAU dia! [entra na sua sala e bate a porta]
Juliana: *xiiii, acordou com o pé esquerdo*


. Juliana é uma grande amiga de Scully. As duas sempre saem juntas atrás de novas sensações e novos namorados. Juliana presenciou todo o sofrimento de Scully pela traição de Peter. E isso as uniu ainda mais. Ela é uma pessoa em que Scully confia cegamente. ( Essa personagem em homenagem a Juliana que tem me ajudado com essa fic. Obrigado Ju! )
--

. Mulder chegou esbaforido na empresa. Tinha que ir em três obras fazer a supervisão e estava em cima do horário, ele chegou, pegou as plantas das obras e saiu em seguida.

Mulder: Rachel, vou supervisar aquelas três obras, pretendo voltar depois do almoço.
Rachel: Ok, doutor. Bom trabalho.
Mulder: Obrigado. [sorri e entra no elevador]
Rachel: *Uau, que gato.* [abana-se]
--

. Scully passou toda a manhã recusando ligações e dando ordens à Juliana para a festa de mais tarde. Na hora do almoço ela resolveu comer em um restaurante italiano em frente à editora.

Scully: Ju, vou almoçar. Vem comigo?
Juliana: Vou sim, Dana. Me espera um pouco?
Scully: te espero lá embaixo.
Juliana: Ok, vou num minuto.
Scully: [entra no elevador]

.... depois de alguns minutos....

Scully: Foi bem rápida, hein? [ri]
Juliana: É a fome, amiga. [ri] Onde vamos?
Scully: No restaurante aqui em frente mesmo, muito bom.
--

#Mulder: Rachel, acabei de sair da última. Estou indo ao almoço.
# Rachel: Ok, doutor. O senhor está pensando em almoçar aonde?
#Mulder: Sem idéias. Você conhece algum lugar?
# Rachel: Eu conheço um restaurante ótimo perto dessa terceira obra.
#Mulder: Quer almoçar comigo?
# Rachel: Adoraria.
#Mulder: Qual o nome do restaurante? Eu te espero em frente.
# Rachel: É o 'Cantina Italiana'.
#Mulder: Ah, sim. Acabei de avistar. Vou aguardá-la.
# Rachel: Ok, logo estarei aí. Tchau.


. Mulder começa a procurar uma vaga para estacionar e pára na faixa de pedestres para que eles atravessem. No meio da multidão, ele avista uma ruiva maravilhosa. Ela atravessa a rua enquanto ele a observa, boquiaberto.

Mulder: *É a primeira vez, em anos, que uma mulher chama tanto a minha atenção.* - [sacode a cabeça, tentando espantar seus pensamentos sobre aquela mulher, não queria trair a memória de Diana]
--

. Scully e Juliana estavam sentadas e já haviam pedido quando Mulder entra com Rachel no restaurante.


Juliana: Dana ! [cutuca a amiga]
Scully: Oi?
Juliana: Olha aquilo [aponta pra Mulder]
Scully: [olhar fixo nele] Que homem...
Juliana: [acompanhando-o com o olhar] Homem com H maiúsculo.
Scully: Pena que já deve ter dona.
Juliana: É. [desanimada]

. O almoço de ambos correu sem maiores acontecimentos e logo cada um seguiu seu caminho.

Depois já a noite ..
--


Mulder: Já está pronta, filha?
Emily: [no topo da escada] prontinha!
Mulder: Vamos então? A pizza nos espera!!
Emily: Uhuuuul!


. Mulder segura a mão da filha e os eles saem pulando e gritando jardim à fora até o carro.
--

. Quando Scully chegou na festa do lançamento do livro todos já estavam à sua espera. Ela discursou e fez o lançamento oficial do mais novo livro de Walter Skinner, "O amor de vento em popa." Depois circulou um pouco pelo salão, cumprimentando outros escritores e convidados especiais. Num dado instante, ela avistou Juliana junto à porta acompanhada de um rapaz, Thomas.


Scully: [chegando até eles] Oii!
Juliana: Oi Dana!
Thomas: Ei, tudo bem? [beijinhos no rosto]
Scully: Bem, Thomas. [sorri] Mas o que fazem aqui?
Juliana: Viemos te salvar.
Thomas: É, a gente sabe o quanto você odeia essas cerimônias e ...
Scully: Graças aos céus!! Vamos pra onde?
Juliana: Pizza?
Thomas: Tô dentro.
Scully: Fechadíssimo! [saem]


. Por acaso do destino, Scully, Juliana e Thomas foram à mesma pizzaria que Mulder e sua filha. Quando eles chegaram, Mulder já estava sentado e comendo com Emily. Ele estava falando alguma coisa com a filha quando algo dentro de si clamou pra que ele olhasse pra porta, foi uma sensação estranha e ele somente obedeceu. Quando olhou, seu olhar cruzou com o de Scully ... e foi aí que 'com um olhar' seus destinos foram entrelaçados.


. Scully ficou estática, parada na porta. Não via mais ninguém ao seu redor. Ela via Mulder como que com 'zoom' e era só pra ele que queria olhar. Os olhos dele tinham um ar de medo e desespero, mas também carinho.


. Mulder também estava parado. Não conseguia tirar os olhos daquela mulher que pela segunda vez cruzava seu caminho. Os olhos dela tinham um ar melancólico e tristonho, mas também neles havia amor.


. Scully foi 'acordada' por Juliana que a chamava insistentemente. E foi andando para a mesa, sem tirar os olhos de Mulder. Emily percebeu alguma coisa e cutucou o pai por debaixo da mesa, fazendo com que ele perdesse Scully de vista.


. O jantar dos dois grupos foi animado, mas também teve uns momentos de silêncio total, em que Scully e Mulder aproveitavam para olhar ao redor e tentar encontrar aquele olhar reconfortante de minutos atrás. O jantar terminou e ambos foram pra casa com o pensamento voltado um para o outro. Nem ao menos sabiam qual era o nome do 'dono do olhar', mas algo dizia que eles voltariam a se encontrar.


Última edição por Thita Scully em Qui Jul 03, 2008 8:38 pm, editado 5 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jun 14, 2008 4:40 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Jun 18, 2008 7:03 am

>> Capítulo 3.



Bill Mulder: Vejam só que alegria! [saindo do carro dele]
Emily: Foi muito bom passar essas horas com papai. [olha pra Mulder e sorri]
Mulder: Não sei [abraça a filha] como ela conseguiu acabar com todas as pizzas!
Bill Mulder: [ri] Parecem duas crianças. Vamos entrando!
Mulder: [ri] Hoje foi um dia muito bom. *Em todos os sentidos ... *

. Mulder ainda ficou um tempo brincando com a filha, depois contou algumas histórias e ela finalmente dormiu. Então, ele foi tomar banho pra poder dormir também e surpreendeu-se ao pensar na bela ruivinha que havia visto. Porque ela mexera tanto com ele?
----

. Scully jogou a bolsa no sofá, as chaves na mesa e foi tirando a roupa conforme andava. Quando chegou no banheiro já estava nua e entrou debaixo do chuveiro. Enquanto tomava banho, o 'homem do olhar' lhe veio à mente. Encontrou com ele duas vezes no mesmo dia e nem mesmo o conhecia. Ela ficou se perguntando por que estava com o pensamento tão fixo naquele desconhecido.
---

. Mulder acordou bem cedo novamente. Tomou café da manhã junto com a filha e fez questão de levá-la à escola. Depois, indo em direção ao trabalho, ele resolveu parar em uma livraria e comprar alguns livros.
---


. Scully acordou mais cedo do que de costume. Estava animada e saiu pra correr. Havia tempo que não fazia isso. Passando em frente à livraria que era do mesmo grupo da editora, resolveu entrar para comprar o novo livro de Skinner, apesar do mesmo ter dito que daria um autografado pra ela.


. Ao entrar na livraria Scully se deparou com um homem; aquele homem que havia tornado seus sonhos mais agradáveis noite passada. Ela não o conhecia, nem ao menos sabia seu nome, mas já se sentia próxima dele de alguma maneira.

Scully: *Ai, ele de novo. O que é isso? Perseguição? Calma, Dana! Você não está em um filme policial, droga...ele é lindo...*

. Mulder estava de perfil quando Scully o viu, mas nem a notou ali. Ele foi olhando os livros, andando distraído e Scully ficou seguindo-o não só com o olhar, mas foi andando os passos dele. Scully se escondia sempre que ele ameaçava olhar na direção dela. Ela fazia caras e bocas conforme ia reparando melhor nele ...

Scully: *Uau, que boca...*
--

. Mulder estava olhando livros infantis pra levar alguns para sua filha, quando percebeu uma ruiva entrando na livraria. Aquela mesma ruiva do dia anterior ...

Mulder: *Não posso acreditar nisso! Essa mulher de novo?*

. Mulder queria mostrar a si mesmo que não gostava nada da presença dela ali, mas não conseguia parar de olhá-la. Ele disfarçou o máximo que pôde, andando devagar por entre as prateleiras.

Mulder: *Que olhar melancólico ela tem ... Daria tudo pra decifrá-lo.*



. Scully fingia estar folheando um livro chamado "O Poder Feminino", quando Mulder chegou perto dela e disse:


Mulder: Bom dia. Você poderia me passar um exemplar desse livro?
Scully: Desse? [apontou pro que estava em sua mão]
Mulder: Esse mesmo.
Scully: Tem certeza? [virou a capa pra ele]
Mulder: [disfarçando a mancada que dera] Tenho, sim. Uma amiga me pediu pra comprar.
Scully: Ah, sim. [entrega o livro] *Uma amiga? Será que ele tem namorada? Deve ser a do restaurante ... *
Mulder: Obrigado. *Mulder, você poderia ter sido mais convincente ... *
Scully: Por nada. [continuou mirando-o]
Mulder: É ... [sem tirar o olhar do dela] eu vou indo, então.
Scully: Claro. Tenha um bom dia.
Mulder: Você também. [sorri e sai sem certeza de que deveria mesmo ir embora]

. Enquanto Mulder se afastava em direção ao caixa, Scully olhava o modo dele de andar e até suspirou.

Juliana: Ei, Dana Scully!! [estala os dedos na frente dela]
Scully: Oi, oi Ju!
Juliana: Olhando o bonitão do restaurante, né? Falou com ele?
Scully: Falei. Bom, ele falou comigo.
Juliana: Ele é mesmo lindo [olha Mulder]. Olha a bunda que ele tem!
Scully: Ah, faça-me o favor Ju!
Juliana: Vai dizer que não olhou?
Scully: NÃO!
Juliana: Sei ... tava até suspirando quando eu cheguei. [ri]
Scully: Pára com isso, Ju. [irritada]
Juliana: Tudo bem, não precisa se revoltar. Eu vi primeiro, mas deixo pra você, ok? [ri]
Scully: Que droga! [sai]
Juliana: Ai, essas mulheres ... [ri e pega um exemplar do livro "O Poder Feminino"] *Esse livro pode me ser útil ... hahaha*

--

. Mulder saiu da livraria direto pro escritório, levando alguns livros infantis e o tal "O Poder Feminino" e foi todo o caminho pensando em como se livrar daquele livro.

Mulder: Oi Rachel! Bom dia.
Rachel: Bom dia doutor.
Mulder: Ah, [voltou] pra você. [entregou o livro]
Rachel: Pra mim? [surpresa]
Mulder: Sim. [sorri e vai para a sua sala]
Rachel: *"O Poder Feminino"? Porque ele me deu isso? Será que é pra que eu aprenda táticas para fisgá-lo de vez?*


Langly: Bom dia, Mulder. [ri]
Mulder: Bom dia! [cumprimentam-se]
Langly: Como vão as coisas? [senta-se]
Mulder: Tudo normal.
Langly: Quando eu entrei a Rachel tava lendo algo sobre o poder feminino.
Mulder: Ah, fui eu quem deu pra ela hoje de manhã.
Langly: [ri] Tá interessado na secretária, Mulder??
Mulder: Nem em sonho, Langly! Ela é um porre.
Langly: Então se ferrou ...
Mulder: Porque?
Langly: Porque não se dá um livro chamado "O Poder Feminino" para uma mulher da qual não esteja à fim, cara! Elas ficam supondo mil coisas, pode crer. Sou especialista nesse assunto.
Mulder: Você acha? [assustado]
Langly: Tenho certeza! Você tá perdido! [ri]

Ringo Langly é arquiteto e se formou junto com Mulder. Eles são amigos desde a época da faculdade. São inseparáveis. Langly foi padrinho do casamento dele com Diana Fowley e acompanhou todo o sofrimento dele. Langly sempre foi uma boa pessoa, e na realidade é o único que Mulder chama de amigo.

---


. Eram seis da tarde quando começou a cair uma forte chuva na cidade. Scully que só iria pra casa às oito, resolveu sair mais cedo, antes que a coisa piorasse.

Scully: Ju, vou indo querida. Quer carona?
Juliana: Não, eu liguei pro Thomas e ele tá vindo.
Scully: [sorri] A coisa tá séria então, né?
Juliana: É, parece que sim.
Scully: Então, tá. [beijo no rosto] Até amanhã.
Juliana: Até.
Scully: [entra no elevador e desce até o estacionamento]

. Scully entrou no carro e foi pra casa que não era tão perto assim da editora. Era em um bairro mais afastado, mais tranqüilo.
--

. A chuva começou e Mulder não pensou duas vezes: foi embora. A rua já estava deserta, pois estava escurecendo e a chuva era muito forte. Quando passou em frente a um campo de flores, Mulder viu um carro parado. Seu coração começou a bater mais forte, como um sinal, e ele resolveu parar. Mulder desceu e foi até a janela do motorista do outro carro. Ao ver a pessoa dentro do carro, ele gelou.



Mulder: [gagueja] O-o-o-o-o-o-o-o-i
x : Oi, será que você poderia me ajudar aqui? É a primeira vez que esse carro fura o pneu comigo, eu não tenho nem idéia de como trocar. [sorri]
Mulder: Ajudo, mas com uma condição. [ensopado pela chuva]
x : *Condição? Quem esse cara pensa que é?* Eu não estou em posição de contestar, vamos lá, diga.
Mulder: Como você se chama?
x : Essa é a condição?
Mulder: Exatamente. [sorri]
x : Dana Scully é o meu nome.
Mulder: Eu me chamo Mulder, [sorri]
. Mulder ficou fitando Scully por um certo tempo, até que percebeu que estava em meio à um temporal.

Mulder: Bom, vamos trocar esse pneu, Scully.
Scully: *Nunca pensei que meu nome soaria tão bem na voz de alguém.* Eu pensei que você tivesse congelado pela chuva aí fora. [ri]
Mulder: *Jesus, que sorriso.* [ri] Me passa a chave pra eu pegar o step no porta-malas.
Scully: Ah, claro. Me desculpe. [entrega a chave]
Mulder: [sai da janela e vai até o porta-malas]
Scully: [sai atrás dele]
Mulder: [vê Scully chegando] Não precisa ficar aqui na chuva, espera dentro do carro. Fica tranqüila que não vou te roubar.
Scully: [sorri] Não é isso.
Mulder: Então é ... ?
Scully: Nada, eu só queria ver como se faz isso. [sorri] *Mentira, eu quero ficar perto de você. Não sei ao certo o porquê, mas eu quero.*
Mulder: *Mulher, pára de sorrir assim. Deus do céu ... * Tudo bem. Só não me culpe depois que pegar uma gripe. [pega o step, vai até o pneu furado e ajoelha-se


Scully: [se encolhe e começa a tremer]
Mulder: Acho melhor você entrar. [repara que Scully estava de camiseta] Você está só de camiseta nessa chuva? Vem aqui, [pega Scully pela mão, tira sua jaqueta e entrega à ela] coloca isso e senta aí [abre a porta do carro]. Em um segundo eu troco esse pneu.
Scully: [grita] NÃO. [percebendo a cara que ele fez] Quer dizer, é ... pode demorar o tempo que for necessário.
Mulder: [ri] Vai ser rápido, eu prometo. [abaixa-se de novo]

. Depois de uns dez minutos, Mulder termina de trocar o pneu. Ele coloca o furado no porta-malas, tranca e vai até a janela do motorista.

Mulder: Aqui suas chaves. Tudo prontinho. [sorri]
Scully: Obrigada, [reluta] Mulder.
Mulder: Por nada, Scully. [se afasta pra que ela saia com o carro]
Scully: *Eu não posso deixar ele sumir da minha vida, simplesmente não posso.* Mulder, como eu posso te entregar a jaqueta depois?
Mulder: [tira a carteira do bolso e pega um cartão] Aqui. Me liga amanhã ou aparece no meu escritório. Será um prazer. [sorri]
Scully: [pega o cartão] Obrigada. Pode deixar que eu vou entregar, tá?
Mulder: Eu tenho certeza que sim. [sorri] Boa noite!
Scully: Boa noite! [sai com o carro]

. Mulder ainda ficou um bom tempo olhando até que o carro sumisse completamente de seu campo de visão. Depois ele sorriu e foi para o seu carro pensando em como aquela mulher era linda e gentil.

. Scully foi se afastando olhando Mulder pelo retrovisor. Não entendia o motivo daquele homem fazer tanto bem à ela. Seria ele o homem que pedira à seu pai?

. Já era sexta-feira, a semana passou muito rápido. Scully acordou muito cedo, pegou sua bolsa e também uma caixa branca, onde colocou a jaqueta de Mulder. Iria naquela manhã, antes do trabalho, até o escritório dele e agradeceria pela ajuda.

. Mulder levantou-se atrasado, sua filha já haviam ido para a escola e ele nem tomou café, foi direto pro escritório. O dia seria cheio de trabalho.



Escritório de Mulder


Scully: Com licença.
Rachel: Pois não?
Scully: Eu poderia falar com [olha o cartão] o senhor Fox William Mulder?
Rachel:[Olha para Scully com desprezo] A senhorita tem hora marcada?
Scully: Bom, na verdade não [sorri, irônica]. Eu só queria devolver algo que ele me emprestou.
Rachel: *O que o Mulder emprestou pra essa mulher?* Sim. Qual o nome da senhorita? Vou anunciar.
Scully: Scully, Dana Katherine Scully [sorri]
Rachel: [encara ela] Um minuto.
Scully: Ok! [vira-se e senta-se no sofá]

#Rachel: Doutor Mulder?
# Mulder: Sim.
#Mulderachel: A senhorita Dana Katherine Scully encontra-se na recepção e deseja falar com o senhor.
# Mulder: *Meu DEUS!!!* Mande-a entrar agora mesmo, Rachel! [desliga]
Rachel: *Que mulher idiota, ele está todo animadinho!* Senhorita, pode entrar.
Scully: Obrigada! [sorri e se dirige até a sala de Mulder]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jun 21, 2008 9:40 pm

Capítulo 04.


. Quando colocou a mão na maçaneta da porta da sala de Mulder, Scully sentiu-a girar e viu Mulder parado com um belo sorriso no rosto.

Scully: Oi.
Mulder: [nervoso] O-o-o-o-o-o-i. [silêncio] Entre, Scully.
Scully: [sorri] Vim lhe entregar a jaqueta. [entra]
Mulder: Por favor, sente-se. [aponta a cadeira na frente de sua mesa]
Scully: Obrigada! [senta-se]
Mulder: [senta-se, ficando de frente pra ela] E o pneu? Voltou a furar? *Que papo idiota, Mulder.*
Scully: *Ele não sabe como agir, que lindo.*
Não, não. Tudo muito bem até aqui. [ri]
Mulder: Ótimo! [silêncio]
Scully: Então, a sua jaqueta. [entrega a caixa] Muito obrigada pela ajuda com o pneu e por ter me emprestado. Você certamente me evitou uma gripe. [sorri]
Mulder: *Uau, numa caixa? Ela é cuidadosa ... *
Não foi nada. [sorri]
[silêncio constrangedor]
Scully: *O que eu falo agora?*
Mulder: *Jesus, os olhos dela são lindos mesmo ... *

. Scully começou a sentir-se mal com o modo que Mulder a olhava nos olhos. Sempre que faziam isso por muito tempo ela sentia-se fragilizada, como se assim pudessem ler todos os seus pensamentos.

Scully: Então, eu vou indo. Tenho ainda bastante trabalho hoje. [levanta-se]
Mulder: [levanta-se também] Você não gostaria de jantar comigo hoje? É sexta e ...
Scully: [sorriu] Adoraria.
Mulder: Que bom! Se você quiser eu te pego às 20hs. Tudo bem?
Scully: Claro, sem problemas. Você tem um papel aí para que eu anote meu endereço?
Mulder: É claro, só um minuto [começa a procurar nas gavetas]. Aqui. [estende o papel à ela]
Scully: Uma caneta? [sorri]
Mulder: Óbvio, aqui. [lhe entrega a caneta] Desculpa, eu sou meio desligado mesmo; como iria te buscar se nem sei seu endereço? [ri de si mesmo]
Scully: [entrega o papel] Agora já sabe. [sorri]
Mulder: [olha pro papel e depois pra ela] É. Agora sim.
Scully: Tenha um bom dia!
Mulder: Bom dia! Às 20hs então, né?
Scully: Estarei pronta. [vira-se e sai deixando Mulder boquiaberto]


---


. Quando entrou na sala de Mulder, Rachel o viu na janela de costas. Ela olhou-o de cima à baixo e suspirou tão alto que o sacou de seus pensamentos.

Mulder: [vira-se] Sim, Rachel. O que deseja?
Rachel: Doutor, o senhor Langly ligou dizendo que foi direto para a casa dos Shimmith acertar os últimos detalhes da reforma.
Mulder: Ok. [silêncio] Rachel ...
Rachel: Sim?
Mulder: Quanto ao livro que eu te dei aquele dia ... [procura as palavras corretas] eu não quero que pense que ...
Rachel: Não doutor, que isso. Sei que foi apenas um presente de amigo. *Ele tá envergonhado, linduuu!! UIUIUI.*
Mulder: [sorri aliviado] Que bom. Pode voltar à recepção agora, obrigado!
Rachel: Com licença. [sai]
---



Juliana: O quê?
Scully: Isso mesmo que ouviu! [ri e se joga no sofá]
Juliana: Aquele DEUS GREGO te chamou pra jantar??
Scully: Chamou e quase que eu me traio dizendo que não!
Juliana: Ainda bem que disse sim, eu não te perdoaria caso contrário.
Scully: Nem eu mesma me perdoaria [suspira].
Juliana: [ri] Vou voltar pro trabalho, querida futura senhora ... o quê mesmo?
Scully: Mulder, Ju! Mas também não vá exagerando, é só um jantar.
Juliana: Mas Mulder não é o 1º nome dele?


Scully: Não, ele não gosta do 1º nome, porque só se apresenta por Mulder e na empresa todos só o chamam de Mulder.

Juliana: Ta vendo, já sabe até dos pequenos detalhes é por aí que começa ...
Scully: [pega uma almofada e joga nela, que sai rindo] Será? [sorri]


---


. O dia passou voando; parece que ele atendeu os pedidos de Scully e Mulder.

. Scully saiu do trabalho às sete da noite. Dirigiu rapidamente até sua casa. Quando chegou sentiu uma atmosfera diferente, mais aconchegante e mais ... feliz. Isso, era essa a palavra, sua vida estava ficando mais feliz!

. Mulder saiu às sete da noite do escritório. Correu pra não se atrasar, ainda teria de pegá-la em casa e queria ser pontual, afinal a primeira impressão é a que fica. Chegando em casa encontrou seu pai brincando com Emily, cumprimentou-os e chamou-o de lado. Contou-lhe resumidamente sobre Scully e disse sobre o jantar. Recebeu um abraço incentivador de seu pai acompanhado de um "Eu preciso conhecer essa garota, Mulder!".

. Às 19:55h Mulder estacionou em frente à casa dela. Era uma linda casa de dois andares, onde no andar de cima toda a frente era vidro. As cortinas estavam fechadas e as luzes acesas e Mulder viu uma silhueta de mulher andando lá dentro. "Deve ser ela", ele pensou.

. Scully olhou no relógio e eram quase 20h quando ouviu um barulho lá embaixo. Olhou disfarçadamente pela janela, viu um carro estacionando e tratou de se apressar, não queria deixá-lo esperando.

. Mulder desceu do carro e foi até a porta de entrada. Olhou pra cima e as luzes já estavam apagadas. Então ele tocou a campainha ansioso por vê-la. Ela logo abriu a porta e os dois ficaram se olhando por alguns bons minutos.

Scully: Boa noite! [sorri] *Uau, lindo!*
Mulder: *Que mulher belíssima!*
Boa noite, senhorita! [estende à mão] Vamos?
Scully: [pega na mão dele] Sim. [sai e tranca a porta]

. No carro um silêncio constrangedor se instalou. Scully pensava porque aceitara sair com ele se mal o conhecia. E ao pensar nisso, lhe veio à mente a voz de Juliana dizendo: "É assim que começa!" e concordou. Ela teve um interesse claro por ele, não mentiria pra si mesma. E se ele havia a chamado pra jantar era sinal de que o interesse era mútuo. Mulder então se sentia tão mal? Grandes mudanças causam sensações incômodas.

. Mulder estava atento ao trânsito que estava mais movimentado do que de costume. Às vezes olhava pro lado e via aquela mulher desconhecida. Perguntou-se várias vezes o porquê de tê-la convidado. Só esperava que fosse diferente de quando convidou Rachel pra almoçar. Espantou todos os pensamentos e decidiu divertir-se àquela noite. Se ele quisesse, seria uma noite perfeita.

Scully: Mulder?
Mulder: Sim?
Scully: E então, conte-me mais da sua vida.
Mulder: Minha vida não é assim tão interessante, mas já que insiste ... [ri] Bem, eu já fui casado, minha esposa faleceu há 4 anos no parto da nossa filha.
*Pronto, a assustei! Pra quê falar da filha, tonto!!*
Scully: Meu Deus, eu sinto muito!
Mulder: Não precisa sentir, não fui culpa sua. [sorri]
Scully: Qual o nome da sua filha?
Mulder:Emily. Ela é a minha vida.
Scully: Eu AMO crianças!
Mulder: Você trabalha em quê?
Scully: Minha família tem uma editora. E eu cuido dela desde que meu pai faleceu, mas eu queria mesmo era fazer medicina e ser pediatra adoro crianças e gostaria de poder ajuda-las em algo importante.... [sorri]
Mulder: É um lindo sonho. [sorri]

. Depois de Scully ter puxado a conversa não parou mais. Eles falaram de sonhos, suas vidas e por fim amenidades. Chegaram ao restaurante às 20:35h.




. Mulder desceu primeiro e foi do lado de Scully abrir a porta e ajudá-la a descer. Ela sentiu-se em um filme romântico. Eles entraram no restaurante sempre de braços dados, parecendo mesmo um casal de namorados. Mulder fez os pedidos e escolheu o vinho.

Scully: Realmente é um ótimo restaurante.
Mulder: Gostando mesmo?
Scully: Muito. a comida, o vinho ...
Mulder: E da companhia? [sorri]
Scully: É o melhor de tudo. [sorri encabulada, depois que falou aquilo sem pensar]
Mulder: [toma mais um gole do vinho tinto] Eu também acho. Um brinde? [levanta a taça]
Scully: [levanta a taça] Um brinde a quê?
Mulder: A nós! [pausa] A essa nova relação que se inicia ... [sorri]
Scully: A nós, então. [timtim]

. O jantar foi se desenrolando e quando foram se dirigindo à saída do restaurante começou a cair um temporal daqueles.

Mulder: A chuva nos persegue, não acha?
Scully: [ri] Com certeza.
Mulder: Vamos assim mesmo ou esperamos? O carro está logo ali. [aponta]
Scully: Acho melhor irmos. O que acha?
Mulder: Ótimo! [sai do restaurante, entrando assim na chuva]




. Mulder saiu na frente, deixando Scully correndo atrás dele, tentando alcançá-lo.

Scully: [grita] Mulder! Espera! [ri]
Mulder: Calma senhorita, estou aqui. [pára bruscamente]
Scully: [chega perto quando ele pára, ficando a poucos centímetros dele]
Mulder: Estou bem aqui. [coloca uma mão no pescoço dela e a sente arrepiar-se sob seu toque]
Scully: Mulder ...
Mulder: Shiiu! Não diz nada. Não agora.

. Naquele momento a chuva tornou-se ainda mais forte, deixando-os com as roupas coladas no corpo; isso fez com que Mulder olhasse Scully por inteira e ela também o olhou. Depois do passeio dos olhos de Mulder no corpo de Scully, seus olhares se encontraram e no rosto de ambos havia um sorriso muito ... convidativo. Mulder chegou ainda mais perto, sentindo-se assim envolto pelo calor que emanava dos corpos de ambos, apesar de toda a chuva. Alguns minutos se passaram e eles continuavam se olhando intensamente. Mulder acariciou mais uma vez o pescoço dela e colou seus rostos, iniciando um beijo tímido, cheio de receio das duas partes. Scully tentou resistir, mas vendo que seria impossível tal ato, entregou-se e colocou suas mãos ao redor da nuca dele. Foi um beijo de total entrega, carinho e desejo. Mulder terminou o beijo com um forte e demorado tocar de lábios; se afastou e abriu os olhos vendo Scully ainda com eles fechados. Ela estava lembrando do gosto da boca dele na sua ...




Mulder: Scully [sorri], tudo bem?
Scully: [abre os olhos] Melhor impossível. *Droga!! Não consigo pensar antes de falar quando estou com esse homem!*
Mulder: [sorri] Pra mim também não poderia estar melhor.
Scully: Andar?
Mulder: O quê?
Scully: Andar. Eu quero andar na chuva. [ri] Obrigada pelo jantar e pela noite incrível. Boa noite. [sai andando]
Mulder: Como assim 'boa noite'? [sai andando atrás dela]
Scully: Estou indo pra casa.
Mulder: Sozinha e a pé no meio desse temporal, Scully?
Scully: Não se preocupe comigo. [sorri]

. Scully continuou andando e Mulder também. Ele não sabia muito bem como agir, mas uma coisa era certa: não deixaria uma mulher sozinha. De repente, Scully parou e tirou as sandálias.

Scully: Estavam me apertando. [ri]
Mulder: Você é louca. [ri]
Scully: [vira-se pra ele] Eu? Só porque estou com vontade de andar na chuva?
Mulder: Na chuva, à noite, num lugar deserto; sim, por tudo isso.
Scully: [continua andando] Você me parece ser um homem muito sério ... que não gosta de se aventurar. Nem andar numa simples chuva.
Mulder: Eu gosto de segurança Scully, em todos os sentidos. Não gosto das mudanças. Elas já me fizeram sofrer muito.
Scully: Você fala pela sua esposa, não?
Mulder: Sim, por ela, mas também pela minha mãe.
Scully: O que aconteceu com a sua mãe?
Mulder: [respira fundo] Ela também morreu. Ela já estava doente, não foi repentino. Ela tinha câncer e não queria se tratar, queria morrer em paz, em casa. E assim foi.
Scully: Sua vida ... ela ... ela é bem triste.
Mulder: De certa forma, sim. Com o tempo eu me acostumei e percebi que se eu buscar o máximo de rotina, posso evitar essas coisas.
Scully: Claro que não pode, Mulder! As coisas acontecem por que têm de acontecer. Não importa se você conquistou uma rotina ou vive cada dia de forma diferente. Nada disso interfere no que está escrito.
Mulder: Escrito? Escrito aonde?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Dom Jun 22, 2008 12:09 pm

» Capítulo 05.

Scully: No grande livro escrito por Deus, Mulder. Você não acredita em destino?
Mulder: Não exatamente.
Scully: Pois eu sim. E acredito que eu te conheci por algum motivo que eu ainda não sei, mas vou descobrir.
Mulder: A gente se conheceu naquela pizzaria Scully. Nada mais que um encontro casual.
Scully: Eu não te conheci lá.
Mulder: Como não?
Scully: Eu já tinha te visto antes, na hora do almoço. Em um restaurante em frente à minha editora.
Mulder: Um restaurante italiano?
Scully: Exato. Você estava com uma moça. É sua namorada?
Mulder: Não, é minha secretária.
Scully: Ah, sim. Eu a vi no seu escritório quando fui levar a jaqueta.
Mulder: Eu também não te conheci na pizzaria.
Scully: Momento revelação [ri]. Vamos lá, onde me viu?
Mulder: Eu estava em frente ao restaurante, procurando uma vaga quando parei na faixa de pedestres e eu te vi atravessando.
Scully: Tinha muita gente atravessando ao mesmo tempo. Tem certeza de que me viu?
Mulder: Absoluta. Foi a primeira e a única pessoa que eu notei naquela multidão.
Scully: E ainda não acredita em destino? [pára e fica de frente pra ele]
Mulder: Com você me dizendo com esses olhinhos brilhando eu posso até acreditar.
Scully: [sorri] Você é muito galanteador. [recomeça a andar]
Mulder: [a segue] É. Muitas garotas já me disseram isso, mas depois que a minha esposa morreu eu não coloquei mais esse lado em prática. Exceto agora, claro.
Scully: E porque comigo?
Mulder: Porque eu não sei, oras. Só sei que [fica na frente dela] você mexeu muito comigo, Scully. Muito mesmo.
Scully: [sorri] Você também mexeu comigo.



. Mulder chegou bem perto dela e a beijou agora com mais voracidade, sem a timidez do primeiro contato. Enquanto a beijava ele passeou suas mãos pelas costas e pela cintura dela, que ficou extasiada com aqueles toques tão profundos e aquelas sensações tão novas. Mulder mexia com ela de uma forma diferente, definitivamente. Quando finalmente se soltaram, Mulder a olhou nos olhos e sorriu arrancando assim um sorriso sincero dela também.

Scully: Não acredito. Olha só. [aponta]
Mulder: [vira-se] O campo.
Scully: É lindo, não é? [sorri]
Mulder: É ... [olha paralisado]
Scully: Vamos lá. [começa a andar] Vem Mulder!
Mulder: Você é mesmo louca! Olha essa chuva! Deve estar todo cheio de lama, de bichos, de armadilhas perigosas.
Scully: [ri] Armadilhas perigosas em um campo de flores? O louco é você. [entra no imenso campo de flores]
Mulder: *Porque eu fui ser tão cavalheiro? Como vou deixá-la sozinha agora?* [sai andando atrás dela]

. O campo de flores era imenso. A noite ficava iluminado pela luz do luar e parecia saído de um livro, de tão perfeito que era. Scully começou a andar por entre as flores, sentindo a chuva no seu rosto e as flores nas suas mãos. Sempre sonhara com um momento assim, mágico. Mulder estava logo atrás dela, olhando pra todos os lados, certificando-se de que não havia nenhum perigo eminente.

. Scully começou a correr, forçando-o a fazer o mesmo. Ele conseguiu alcançá-la depois de muito esforço e com o impacto de seus corpos, eles acabaram caindo no chão. Eles já estavam no topo de uma colina, no final do campo de flores e no início de uma mata.

. Mulder acabou caindo por cima de Scully, que ficou parada esperando pelos próximos movimentos dele. Ele somente sorriu e a beijou novamente, sem medo, sem timidez, sem insegurança ... só queria sentir mais uma vez aquela boca, aquela língua roçando na dele, aquelas pequenas mãos percorrendo seu corpo. Somente isso.



. Depois do beijo terminado, Mulder levantou-se e deu a mão pra Scully também se levantar.

Scully: Estou imunda, olha isso. [aponta pro vestido]
Mulder: É, você está um pouco sujinha [segura a mão dela e a rodopia], mas continua linda.
Scully: [sorri encabulada] Acho que chega de aventuras por hoje. Às vezes eu também gosto de um pouco de 'segurança'.
Mulder: Então vamos, eu te levo em casa.
Scully: Vamos ter de andar até o estacionamento do restaurante de novo? [cara de desânimo] Estou morta de cansaço.
Mulder: Eu poderia ir lá e pegar o carro, mas isso implicaria em deixá-la sozinha aqui esperando. Então, sem chances.
Scully: A gente pode pegar um táxi. Ele te leva ao restaurante, lá você pega seu carro e vai pra casa.
Mulder: Eu queria te deixar em casa.
Scully: Eu chegarei segura indo de táxi, Mulder. Não sou nenhuma criança. [ri]
Mulder: Fazer o quê. Então vamos procurar um lugar pra esperar o táxi. Essa chuva não pára um segundo. [começam a andar]
Scully: Eu adoro a chuva. Meu pai sempre dizia que quando chovia era porque a natureza estava comemorando a felicidade de alguém.
Mulder: Sério? E será que ela está comemorando a felicidade de quem agora? [tira o paletó]
Scully: *Acho que a minha, né pai?* Difícil saber ...
Mulder: Quase impossível.
Scully: É ...
Mulder: Pelo menos a chuva está tirando a lama do seu vestido [aponta].
Scully: Então talvez seja a minha felicidade. [ri]
Mulder: [ri]

. Mulder e Scully foram andando até um ponto de ônibus, lá Mulder ligou pra um táxi que chegou logo, deixando-o no restaurante e levando Scully em casa.........



. Ao chegar em casa, Scully tomou um banho quente e colocou um pijama. Estava esfriando e ainda estavam no outono. Ela não conseguiu dormir naquela noite. Abriu as cortinas da sua 'parede de vidro' e sentou-se embaixo da janela e ficou observando a chuva cair e pensando naqueles lábios tão quentes e macios que Mulder tinha. Eles tinham a levado ao paraíso em um segundo.

. Mulder chegou e encontrou uma casa silenciosa, todos já dormiam. Foi no quarto da filha e o observou por alguns segundos. Depois foi tomar um banho e trocar de roupa, tudo pensando em Scully, aquela mulher linda, engraçada e inteligente que havia mexido com todos os seus sentidos. "O paraíso é na Terra, ao lado dela" ele pensou enquanto dormia e a via em seus sonhos.

. Sábado. Mulder e Scully não trabalhavam aos sábados. Ele ficou em casa com a companhia da filha e do pai, resolvendo os últimos detalhes da festa de 5 anos de Emily, que seria no sábado seguinte. Scully ficou em casa escrevendo e vendo uns vídeos na parte da manhã. À tarde ela saiu pra tomar sorvete e se distrair pela orla marítima.


Mulder: Foi fabuloso pai. Ela é cheia de vida, de sonhos e de príncipios. É muito divertida, educada, gentil, inteligente e linda pai. Ela é linda.
Bill Mulder: Graças a Deus você encontrou alguém como você, filho. [bate no ombro dele]
Mulder: Como eu? Não pai. Ela é mais, muito mais do que eu podia sequer imaginar.
Bill Mulder: [sorri] O paraíso na Terra, certo?
Mulder: Como sabe disso?
Bill Mulder: Eu te conheço rapaz. Sou seu pai, não sou? [ri]
Mulder: [assente]
Bill Mulder: E então, porque não a convida pro aniversário de Emily?
Mulder: Você não acha que é cedo pra ela conhecer Emily, pai?
Bill Mulder: Cedo nada. Você quer levar a relação pra frente, não quer?
Mulder: É ... acho que sim.
Bill Mulder: Então! Sua filha é parte importante da sua vida, ela tem de conhecê-la
Mulder: Tem razão, vou procurar o telefone da editora dela. Acho que é Scully, o mesmo nome da livraria.
Bill Mulder: [sério] Vai logo, Mulder!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Dom Jun 22, 2008 12:14 pm

Como falei, 2 capitulos no Domingo. Olha eu estou postando e tenho que dizer que eu estou perdidinha na estória pq ela não está me deixando dormir direito, então por favor me avisem se estiver postando alguma coisa repetida ou se não estiverem entendendo ok? E sem comentários, sem fic: http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qui Jun 26, 2008 8:55 pm

» Capítulo 6


. O celular de Scully começa a vibrar em seu bolso e ela começa a rir pois tem a pele muito sensível e sente cócegas?

Scully: [ri] *Ai, que ridículo isso celular no bolso da saia fazendo cócegas*
#Scully: Alô?
# Mulder: Oi, Scully?
#Scully: Sim, é ela. Quem fala?
*Como se eu não reconhecesse essa voz.*
# Mulder: Mulder, tudo bem?
#Scully: [sorri] Tudo ótimo e você?
# Mulder: Bem também.
#Scully: A que devo essa ilustre ligação?
# Mulder: [ri] Bom, eu queria te convidar ... paraaa... bem, para a festinha de 5 anos da minha filha. [fala rápido e fecha os olhos com medo da reação dela]
#Scully: Eu adoraria ir.
# Mulder: Sério?
#Scully: Claro que sim, Mulder. Porque não seria?
# Mulder: Ah, não sei.[fala um pouco se jeito] Então, é no próximo sábado, você pode?
#Scully: Posso! À que horas é?
# Mulder: Posso te pegar às 14h, é um aniversário infantil então não pode ser a noite. Tudo bem pra você?
#Scully:[fala sorrindo] Claro! Crianças tem que ir cedo para cama. E não precisava vir me pegar, mas tudo bem.
# Mulder: [sorri] Então está combinado. E ...
#Scully: O quê?
# Mulder: A noite ontem foi perfeita.
#Scully: [sorri] Pra mim também foi ótima! Apesar do resfriado que acho que estou pegando [ri]
# Mulder: Eu também acho que estou ficando resfriado, [fazendo uma voz dengosa] estou com uma molezinha no corpo chata.
#Scully: [fazendo uma voz mais meiga]Ah, tadinho! Já tomou um remédio? Uma massagem seria perfeita também.

# Mulder:[fica em silencio por alguns instantes com a sugestão que Scully fez]
#Scully: Mulder???
#Mulder: Hãn! Já sim, não se preocupe. [sorri]
#Scully: Então está tudo certo, né? Vou desligar, tenho outra chamada.
# Mulder: Desculpa, esqueci que você é muito ocupada. [ri]

#Scully: Nem tanto, que isso.
# Mulder: Tchau.
#Scully: Tchau. [sorri e desliga]


. Sempre que eles marcavam um encontro o tempo voava e logo o momento esperado chegava. Já eram 13 horas da tarde de sábado, quando Scully começou a se arrumar porque Mulder chegaria às 14 horas.

. Era 14h em ponto quando Mulder tocou a campainha da casa de Scully, que desceu rapidamente.

Scully: Boa Tarde! [beijinhos no rosto]
Mulder: [surpreso] Boa Tarde! Como está?
Scully: Bem. E você?
Mulder: Também. Vamos?
Scully: Claro!

. Era uma festinha à fantasia, e Emily estava vestida de Cinderela. Todas as crianças se divertiam no salão de festas com os palhaços e seus pais em mesas no jardim que era um enorme gramado com músicos ao vivo. Realmente estava um clima muito ameno e feliz na residência dos Mulder’s. E esse gramado terminava com uma leve descida que dava em um pequeno lago.

. As horas foram passando e a festinha estava muito animada e quem olhava via Mulder Scully sempre com um sorriso e um olhar muito feliz tudo estava correndo muito bem até que ...



Mulder: Ah, não! [olhando em direção a casa]
Scully: Que foi? [olhando também procurando algo errado]

Mulder: Alex!
Scully: Quem é?
Mulder: Aquele ali de blusa azul-marinho. Ele é irmão da minha falecida esposa.
Scully: E porque a decepção ao vê-lo?
Mulder: Ele ficou meio estranho depois que a Diana Faleceu. Ele culpa ...
Scully: Quem ele culpa, Mulder?
Mulder: Emily! [Mulder abaixa a cabeça desanimado e nessa hora Alex chegava perto deles]

---
Alex: Boa noite à todos!
Scully: Boa noite!
Mulder: [sério] O que faz aqui?
Alex: Não posso vir trazer um presente pra minha única sobrinha, Mulder?
Mulder: [sério] Contanto que você não me esteja aprontando nada.
Scully: [alisa o ombro de Mulder, como que dizendo pra que ele ficasse mais calmo]
Alex: Cadê a minha sobrinha? [olha ao redor] Olha ela ali. [vai a direção à Emily]




----

. Quando Alex foi até Emily para lhe entregar uma caixa enorme de presente, Mulder ficou atento aos passos dele, pois sabia que ele não era nada normal.

. Ao chegar perto de Emily, ele lhe entregou a enorme caixa. A menina, toda feliz colocou-a no chão e abriu. Ao ver o conteúdo, Emily começou a gritar e chorar, enquanto Alex somente ria. Mulder vendo àquela cena voou pra cima de Alex, enquanto Emily corria em direção ao lago. Scully vendo a menina, foi imediatamente atrás dela, mas antes olhou dentro da caixa e aí assim viu a dimensão da loucura daquele homem. Na caixa havia uma grande boneca morena toda cheia de sangue e segurando uma foto de mulher nas mãos que Scully deduziu ser a esposa falecida de Mulder.

Scully: Emily ... [chega perto da menina que estava sentada na grama abraçando as pernas e chorando]
Emily: [não responde]
Scully: Vem aqui querida! Não precisa ficar com medo. [senta-se na grama ao lado de Emily e estende os braços]
Emily: [senta-se no colo de Scully]
Scully: Sabe?! ... O seu tio tem um grande problema.
Emily: Ele acha que eu matei a mamãe [chora]
Scully: Calma, querida! [beija a cabeça dela] Isso não é verdade ... [sorri] Olha, você sabia que quando as pessoas morrem, elas não desaparecem por completo?
Emily: Não? [surpresa] Pra onde elas vão, então?
Scully: Pra lá [aponta o céu que já estava ficando todo estrelado]. Todas as boas pessoas viram estrelinhas no céu.
Emily: É mesmo? [sorri entre as lágrimas]
Scully: É sim.
Emily: Quero ver a mamãe.
Scully: Então eu vou te ensinar a procurar, tá?

. Mulder se aproxima e observa que as duas estão conversando, fica atraz de uma árvore ouvindo tudo
do.

Emily: Tá.
Scully: Olha pro céu e procura a estrela mais brilhante de todas!! Vamos lá, quero ver.
Emily: Aquelaaaa [aponta]
Scully: Então! Aquela é a sua mamãe. E toda vez que você estiver triste ou preocupada e quiser conversar, fale com ela. Ela sempre vai te ouvir e te ajudar. Quer ver? Tente perguntar pra ela, em pensamento, se você tem culpa de alguma coisa, tá? De qualquer coisa. Depois me diz o que ela te disse. Fecha os olhinhos e pensa, tá?
Emily: Tá. [fecha os olhos]
Scully: [minutos depois] O que ela disse, minha querida?
Emily: [abre os olhos] Que não! Eu não tenho culpa. [sorri] Obrigado Dana!. [beija o rosto dela]
Scully: Ah, meu amor! Promete-me uma coisa?
Emily: Uhum.
Scully: Me promete que sempre que o seu tio, ou qualquer outra pessoa, fizer algo de ruim pra você ... você vai contar pro papai. E nunca, nunca mesmo, vai ficar triste por isso. Porque você sabe que não é verdade, não sabe?
Emily:[fala sorrindo] Sei!
Scully: Me promete?
Emily: Sim! [sorri]
Scully: Você é muito linda, sabia?
Emily: Você também. [ri e passa a mão no rosto de Carla]
Scully: [beija a testa dela] Vai se divertir agora, vai. Seus amiguinhos estão te esperando.
Emily: [sai correndo]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jun 28, 2008 8:56 am

» Capítulo 7

Mulder: [senta-se ao lado dela] Você é muito boa com crianças.
Scully: Eu te disse que as amo. [sorri] O que aconteceu lá?
Mulder: Eu quase quebrei a cara dele, mas só o expulsei. Tinha muitas crianças lá, não seria legal.
Scully: Tem razão, e ele? Foi embora?
Mulder: Foi, os seguranças o levaram. Agora tá tudo normal, as crianças esquecem rápido das coisas, é uma vantagem sobre nós, adultos.
Scully: É mesmo. [sorri e olha o lago] É muito lindo aqui.
Mulder: Que bom que gostou. Eu amo essa casa. Cresci aqui. [sorri]
Scully: O lago fica perfeito iluminado pela luz da lua, né?
Mulder: Muito. [abraça-a]
Scully: [olha-o nos olhos e sorri]
Mulder: Obrigado por ter acalmado Emily.
Carla: Não foi nada. [sorri]

. Mulder chegou mais perto e a beijou calma e delicadamente. Uma espécie de beijo de agradecimento, mas sem faltar o desejo que lhe aumentava cada vez que a tocava.



. A festa correu bem até as 20h. Todos os convidados foram embora e Mulder foi colocar a filha na cama cedo pois foi uma tarde bem agitada para uma criança e em seguida iria levar Scully em casa.
----




. Na porta da casa de Scully.



Scully: Quer subir?
Mulder: Fala sério?
Scully: Uhum. Vem ... [puxa-o pela mão, levando-o pelas escadas até o segundo andar]
Mulder: É muito lindo aqui.
Scully: Eu adoro. [sorri] Fica à vontade. Quer beber alguma coisa?
Mulder: Água seria ótimo

Scully: Já volto.


. Pouco depois


Scully: Aqui sua água. [entrega um copo]
Mulder: [bebe tudo] Eu sou apaixonado por água. [ri]
Scully: É mesmo? [senta-se] E pelo que mais você é apaixonado?
Mulder: [ri] Ah, Scully! Por muitas coisas ...
Scully: Eu tenho tempo suficiente pra ouvir.
Mulder: [ri e balança a cabeça] Bom ... sou apaixonado pela minha filha, meu pai ... Minha profissão, meus poucos amigos. Sou apaixonado pela vida. [pausa]
E você, pelo que seus olhos brilham mais forte?
Scully: Também por muitas coisas. Minha melhor amiga que é uma irmã pra mim, livros [sorri e olha pra janela] e também por uma coisa ... [olha pra ele] essa coisa desconhecida que te trouxe pra mim.
Mulder: [sorri] É uma ótima resposta.
Scully: Eu tenho esse talento. [levanta-se] Mais água?
Mulder: Não obrigado.
Scully: [sorri e sai pra cozinha]
Mulder: [levanta-se e vai até a sacada, que dava pra lateral da casa] *Que mulher interessante ... muito interessante.*
---
Scully: [chega na sacada] Gostando da vista daqui de cima?
Mulder: É ... perfeita.
Scully: [sorri]
Mulder: Posso te fazer uma pergunta?
Scully: Claro.
Mulder: [olha nos olhos dela] Porque você é assim tão ...
Scully: Tão ... ?
Mulder: Tão ... [abre a boca e não sai nada]
Scully: Se você não concluir a pergunta eu não vou poder respondê-la. [ri]
Mulder: [ri] Tão ... Espontânea! Tão interessante.
Scully: [dá de ombros] Ué ... não sei, eu sou assim e é só. [sorri]
Mulder: Eu estou afim de descobrir ...
Scully: Descobrir o quê?
Mulder: [tira os cabelos que cobriam os olhos dela] Descobrir ... todos os seus encantos.


. Ambos esqueceram-se do mundo naquele instante: aquele precioso instante em que se beijaram. Um beijo desejado pelos dois, algo inexplicavelmente desejado. Muder passou a mão pelas costas dela, ao mesmo tempo em que movia sua cabeça e seus lábios em sintonia com os dela. Scully estava muito surpresa para poder esboçar qualquer reação, e apenas sentia-se totalmente entregue àquele homem. Eles se beijaram por alguns bons e intermináveis minutos. Depois que se soltaram, Mulder abraçou-a colocando a cabeça dela em seu peito e apertando-a naquele abraço que era tão bom. Eles fecharam os olhos e o abriram quando sentiram alguns pingos de chuva em seus rostos.

Scully: [ri, ainda abraçada à ele] Você tem razão, ela nos persegue.
Mulder: Certamente. [olha pra cima]
Scully: Vem, vamos entrar antes que fiquemos resfriados de verdade.


---


. Na sala, sentados no sofá, olhando a chuva cair lá fora ... Mulder a beijou novamente. E dessa vez o clima realmente esquentou.

Mulder: Tem certeza de que quer isso?
Scully: Eu não tenho certeza de nada, Mulder. Só uma única coisa, eu estou [longa pausa] realmente querendo isso. Querendo ... você.
Mulder: Isso é bom de ouvir, porque eu também tenho essa mesma certeza. [ri]

. Eles se beijavam de uma forma nunca conhecida por nenhum deles. Era algo estranho, mas muito bom também. Eles não se conheciam há muito tempo pra se dizerem apaixonados, mas foi tempo suficiente pra se desejarem como nunca.

. Ainda se beijando, Scully foi puxando Mulder para seu quarto; o da 'parede de vidro' cujas cortinas estavam abertas. Quarto escuro, uma enorme janela da qual podia se ver a chuva caindo lá fora e a luz da lua. Cenário perfeito.

. Scully deitou-se na cama, sem tirar seus lábios do dele. Ele foi deitando-se também, meio receoso do que estava fazendo. Scully parou de beijá-lo e segurou o rosto dele com as duas mãos, 'olhando' bem dentro dos olhos dele.



.

.

. (PARTE NC-17 DA ESTÓRIA, texto oculto...)



. Mulder estava sedento de desejo por aquela mulher. Ela levantou-se um pouco e tirou a camisa que cobria aquele corpo perfeito que ele tinha. Ela perdeu alguns segundos observando-o, arrancando um sorriso malicioso dele. Ele chegou mais perto, tirando a camiseta dela ... e também se surpreendeu com a beleza que esteve escondida todo aquele tempo. Eles estavam ajoelhados na cama, e Mulder colocou as mãos nas costas dela, procurando o fecho do sutiã. Nisso ela fechou os olhos e respirou fundo. Ele demorou, mas conseguiu abrir a única que peça que o impedia de ver os seios dela. Ele sorriu ao ver a beleza e a perfeição que eles tinham. Ele os beijou carinhosamente, fazendo-a se arrepiar e segurar a cabeça dele ali, naquele local tão sensível. Ele entendeu aquele gesto e passeou sua língua e seus lábios por aquele pedaço do corpo dela. Ela foi caindo na cama, de tanto prazer que sentia e ele foi indo, naturalmente por cima dela. Ela interrompeu as carícias, ao ver que a situação estava mesmo muito crítica.

Scully: Mulder ...
Mulder: [sorri] Hmm?
Scully: Você tem?
Mulder: Camisinha?
Scully: Uhum. (Hey! Aqui ela não foi abduzida)
Mulder: Tenho [coloca a mão em um dos bolsos] bem aqui. [sorri]
Scully: Você sempre anda com isso? [sorri espantada]
Mulder: Digamos que eu vim com a intenção de fazer isso que estamos fazendo.
Scully: Ai, que vergonha ...
Mulder: Vergonha nenhuma. Nenhuma, nenhuma. [a beija]

. Mulder começou a beijá-la de forma mais ousada, passando suas mãos pelas coxas dela e depois lhe tirando a saia. Scully fez um esforço sobre-humano e ficou por cima do corpo dele. Ela levou seus olhos para a região da calça de Mulder, e abriu o zíper, tirando-a completamente. Mulder não desculpou e ficou por cima dela novamente; beijando-lhe os ombros enquanto passava as mãos pela cintura dela.

Mulder: Eu realmente te desejo, Diana. Como eu te desejo ... (Matou ela agora né?)
Scully: [empurrando ele, tentando interrompe tudo] Do que me chamou, Mulder?
Mulder: Te chamei? [meio zonzo] Do quê? Não sei ...
Scully: [puxa o lençol e se cobre] Não sabe, Mulder? Você me chamou de 'Diana'. E como eu tenho uma ótima memória, eu sei que esse é o nome da sua mulher. [empurando-o com força para sair de baixo dele]
Mulder: Não foi por querer. Scully! Eu juro que não foi.
Scully: [uma lágrima escorre dos olhos dela] Por favor, vai embora.
Mulder: Mas eu não tive culpa, Scully! Eu não sei o que me deu ... (Eu tbm não tive culpa. É só para colocar uma emoção a mais...)
Scully: [grita] POR FAVOR, SAI DAQUI. Eu quero ficar sozinha. Por favor.
Mulder: Tudo bem. Eu só quero que saiba que não foi de propósito. [se vestindo]
Scully: [olha pra janela]
Mulder: Eu já vou ...
Scully: [olhou-o nos olhos e mais algumas lágrimas desceram pelo seu rosto, depois voltou a ‘Olhar’ a chuva que caía com uma força impressionante]
Mulder: [respira fundo e sai, sem dizer uma palavra]






Scully vai até a janela e vê o carro dele se afastando. Senta-se enrolada no lençol e um turbilhão de pensamentos invade a sua cabeça. E ela apóia sua cabeça do vidro e chora, pois não tinha mais o que fazer, só chorar.


Última edição por Thita Scully em Sab Jul 05, 2008 11:10 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jun 28, 2008 9:07 am

Então quem quiser ler a parte que não postei deixe seu end. de e-mail no tópico de comentários que eu mando para você. http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm



E eu só tinha pronto até o Capitulo 7. Então quem quizer que eu continue é só comentar...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Jul 02, 2008 9:49 pm

Capítulo 08


. Mulder chegou em casa e encontrou seu pai sentado na varanda da frente, ele estava muito pensativo e sentou-se pra conversar um pouco, pois sabia que não conseguiria dormir aquela noite.

Bill Mulder: O que houve, Mulder? Você está com uma cara que dá até medo! Nesse escuro, então! [ri]
Mulder: Ah, pai. Fiz besteira.
Bill Mulder: O que você fez? Não me diga que aprontou com aquela linda garota!
Mulder: Foi ...
Bill Mulder: O quê? Não posso acreditar, Mulder. Finalmente quando você encontra alguém por quem viver de novo, você me apronta, rapaz? O que você fez?
Mulder: Quando eu a levei em casa, ela me chamou pra subir e ... eu acabei não resistindo e o clima ficou mais íntimo, só que ...
Bill Mulder: Só que o quê? DESEMBUCHA, Mulder!!
Mulder: [sem encarar o pai] Eu a chamei de Diana, pai. [abaixa a cabeça]
Bill Mulder: EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO!

Mulder: Olha só pai, eu já estou morrendo de culpa e o que eu menos preciso agora é de outro sermão, ok? [levanta-se e entra em casa]
Bill Mulder: Eu não acredito. Que burra, meu filho, que burrada. [balança a cabeça negativamente]

. Domingo. Scully deitada na cama, coberta apenas pelo lençol, olhando pro teto de seu quarto cheio de estrelas, que à noite ficavam brilhantes como as de verdade. Ela lembrou que Mulder nem notara na noite passada a beleza que aquele teto ficava. Mulder, pra que pensar nele? Surgiu assim: do nada.




. Uma semana se passou desde a fatídica festa do aniversário de Emily. Scully não conseguia parar de pensar em Mulder e ele idem.

Scully: Ju! Vou indo, tá?
Juliana: Segunda é chato, né Dana? Espera um pouco, aí vamos juntas.
Scully: Eu não vou pra casa, vou passar numa faculdade. Eu estive pensando muito e vou me informar melhor. Quero correr atrás dos meus sonhos. Finalmente vou entrar para a faculdade de medicina e serei uma excelente médica. Ju!


Juliana: [sorri e abraça a amiga] Uhuuuul! SOLTEM FOGOS EM COMEMORAÇÃO!
Scully: [ri]
Juliana: Mas e aí, porque tomou essa decisão?
Scully: Porque eu percebi, com os últimos acontecimentos na minha vida [pausa] que tudo parece estar indo muito bem, mas de uma hora pra outra pode mudar completamente. E eu não quero mais esperar. Quero fazer o que eu sempre sonhei daqui em diante. Talvez ele tenha entrado na minha vida pra despertar isso em mim, e só.
Juliana: Hmm, filosofou legal agora. [sorri] Maaaaaaaas, apesar das minha loucuras, você sabe que tem em mim um apoio eterno, não é? E eu acho que ele não entrou na sua vida só pra isso ... e tenho certeza de que ele volta ...
---


Langly: Mulder, isso aqui está errado cara!
Mulder: O que está errado, Langly? [olha pro papel em cima da mesa]
Langly: Como você quer construir uma coluna de 6m em um cômodo de 3m de altura, Mulder? Não precisa nem ter estudado Arquitetura pra saber que não vai caber, né cara? [ri debochado]
Mulder: Pô, que droga! [senta-se] Vê esse projeto pra mim. Cara, Estou no mundo da lua. [passa a mão na testa]
Langly: Mundo da Scully você quer dizer, né? [ri]
Mulder: É cara ... [respira fundo] eu fui um idiota.
Langly: E porque não fala isso pra ela?
Mulder: Ela não deve nem querer me ver, Langly.
Langly: E você já tentou?
Mulde: [Um pouco sem graça] Não, mas ...


Langly: Então não tem como discutir, cara! Tenta e depois a gente se fala. [vai saindo, mas volta] E só mais uma coisinha: desde a morte da Diana, eu NUNCA te vi empolgado assim; seus olhos estavam com um brilho diferente toda vez que você falou dela pra mim. Lembra quando me contou da noite do jantar, andando na chuva e tals?
Mulder: Aham.
Langly: Seus olhos flamejavam de algo diferente, tipo ... amor? [ri]
Mulder: Amor, Langly? [ri] Eu tinha conhecido a Scully há poucos dias. Impossível.
Langly: Aprende com o mestre, Mulder. NADA É IMPOSSÍVEL QUANDO O ASSUNTO É AMOR. Pensa nisso. [sai]
----


. Faculdade.


Scully: Obrigada!
Atendente: Por nada e não esqueça de trazer seu histórico escolar para a avaliação e ainda precisará fazer provas teóricas de aptidão para o curso que pretende fazer.
Scully: Certamente não. Tchau! Muito Obrigado e bom trabalho.
Atendente: Obrigada. [sorri]


Scully: [sai colocando um papel na bolsa]
x : Dana?
Scully: [ergue a cabeça]
x : Não me reconhece mais?
Scully: Como eu não ia te conhecer, Peter? [sai andando]
Pendrell: Espera, Dana!!! [segura o braço dela]
Scully: Me solta? [olha pra mão dele segurando seu braço]
Pendrell: Dana, o que está havendo com você? [a solta]
Scully: [alterada] Você tem sérios problemas mentais! Como eu não percebi isso antes? [sai andando]
Pendrell: Scully, a gente tem que conversar sobre o que aconteceu!
Scully: Olha aqui Peter, eu já te avisei, não é? SOME DA MINHA VIDA! Que droga!! [entra no carro e arranca]
Pendrell: Ah! Dana Scully ... você não sabe com quem mexeu. [sorri]

---

#Monica: Tenho uma surpresa, Dana.
#Scully: Hmm, qual é?
#Monica: Você poderia por favor olhar pelo seu janelão ...
# Scully: Olhar o quê, Monica? Está ficando louca? [ri]
#Monica: Só olha, carambaaa!
# Scully: Aaaiii!!! [se aproxima e olha pela janela] Não acreditoooo! [ri] Sua louca, porque
não me contou?
#Monica: [ri]
#Scully: Vou descer pra abrir a porta, sua loka!
#Monica: Tudo ok. [desliga]

. Monica havia chegado de viagem. Estava em frente à casa de Scully.

Scully: Monicaaaaaaa!!! [Abraça apertando a amiga]
Monica: Tá me sufocando, Dana Scully! [ri]
Scully: [solta a amiga] Desculpa. Entra, vem.

. Elas passaram muito tempo contando os detalhes de suas vidas naqueles 4 anos em que Monica havia ficado fora do país. Scully estava feliz, pelo menos agora teria sua amiga pra conversar e pra contar em qualquer situação.

. Monica foi embora quase 23hs. Scully estava tomando banho quando ouviu a campainha tocar...

Scully:
*Droga!* Já vaaaaaai! [grita irritada e se enrola rapidamente em uma toalha e vai até a porta]


Scully: Monica, o que você esqueceu, hein? [abre a porta e se emudece]


Momento ternurinha. Meninas música indicada para ouvir enquanto lê essa cena - Bryan Adams - I'll Always Be Right There; Youtube: http://br.youtube.com/watch?v=ECMw5DM8vok


x : Oi. [repara que ela está só de toalha e sorri]
Scully: O-o-o-o-i [nervosa], Mulder.
Mulder: [sorri] Ainda lembra meu nome. Não vai me chamar pra entrar?
Scully: Claro. É ... entra. Eu vou [aponta pro quarto] trocar de roupa e [pausa] já volto.
Mulder: Ok. E desculpa pelo incômodo, mas o que eu tenho pra falar é muito importante.
Scully: [não responde nada e vai pro quarto]
*O que ele tem pra falar, Jesus?*
Mulder: [senta-se no sofá]
*Já valeu à pena ter vindo só por vê-la de toalha


. Scully volta para sala depois de 8 minutos.

Mulder: [vira-se com o barulho dela entrando] Oi de novo.
Scully: Oi. [completamente sem jeito]
Mulder: Pode se sentar, viu? Fique à vontade. [ri]
Scully: Desculpa, é que [longa pausa] eu não esperava te ver.
Mulder: Eu te entendo. [sorri]
Scully: Então, o que o trouxe até aqui? [mais segura de si mesma]
Mulder: Eu ... vim em primeiro lugar te pedir perdão pela mancada que eu dei. Eu sei que deve ter sido muito doloroso, e pra mim também foi e [a olha nos olhos] ... eu realmente queria seu perdão.
Scully: [engole em seco e sente seus olhos cheios d'água] Eu não sei o que dizer e ... [desvia o olhar]
Mulder: [abre a boca, mas não diz nada]
Scully: Olha Mulder, já que você veio aqui e tocou nesse assunto, eu quero dizer que aquilo me magoou muito, sabe? [pausa] Aquele momento me fez ver que eu realmente não significava nada pra você e também nem tinha como, né? A gente tinha se conhecido há, sei lá, 2 semanas? As coisas nem sempre são sentidas de forma igual pelas pessoas. Eu posso ter [longa pausa] me interessado de verdade por você, mas não foi recíproco, então ... eu não sei o que te faz querer meu perdão. Entende?
Mulder: É aí que você se engana, Dana. Olha pra mim? [segura o queixo dela e cruza seus ‘olhares’] Eu também me interessei muito por você. E esse é o motivo principal da minha vinda aqui hoje.
Scully: [fecha os olhos]
Mulder: Você pode me achar um louco, mas eu me apaixonei por você logo de cara. Eu mesmo achava que estava ficando maluco quando pensava nessa possibilidade, mas algumas coisas me fizeram ver que não há como fugir de certas coisas, e o amor é uma delas.
Scully: [abre os olhos e morde o lábio inferior, pensativa] Eu não te entendo. De verdade, não. Como pode se dizer apaixonado e ter feito o que fez, Mulder?
Mulder: [passa a mão na cabeça] Eu não sei o que aconteceu. Eu não sei por que eu falei aquilo, talvez tenha sido a força do hábito, não sei, Dana. Não sei! A única certeza que eu tenho agora, é que ... [respira fundo e olha fundo nos olhos dela] eu te amo. Eu quero tentar ... Novamente se você quiser, claro...

Scully
: [chora em silêncio]

. Mulder enxugou as lágrimas que ela vertia, a ‘olhou’ de forma penetrante e passeou seu polegar pela face dela. Scully não reagiu de nenhuma forma, só se deixou ser tocada por aquela pele que tanto desejava. Mulder roçou seu nariz no dela ao encostar seus lábios em um beijo cheio de saudade e desejo contido...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Jul 02, 2008 10:01 pm

Mais uma vez eu digo: sem comentários, sem fic. O capitulo 9 é finalmente a reconsilhação e tenho que dizer q agora eu travei... Não estou conseguindo continuar. http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jul 05, 2008 10:49 am

» Capítulo 9

Scully: [parando de beijá-lo] Eu não posso. [levanta-se e vira de costas]
Mulder: [levanta-se] Porque não, Scully?
Scully: Eu não quero sentir de novo as sensações ruins daquele dia, não quero. [vai pra sacada]
Mulder: [chega e a abraça por trás, falando em seu ouvido] Eu te desejo, Dana Scully. Eu desejo somente você. [beija o pescoço dela]
Scully: Mulder ...
Mulder: Me diz se você também me deseja, Scully. [ainda beijando o pescoço dela]
Scully: [arrepia-se] Sim. Eu te desejo, Mulder. [vira-se] Te desejo como nunca desejei ninguém na minha vida. [o beija]
Mulder: Mesmo. [selinho] Mesmo? [sorri] Posso te fazer uma pergunta?
Scully: Nunca desejei ninguém como te desejo [beijo] pode perguntar. [sorri e desvia seu olhar dimida]. Diga.
Mulder: Senhorita Dana Katherine Scully [longa pausa], quer ser minha namorada? [olha-a nos olhos, sorrindo]
Scully: [deixa cair algumas lágrimas] Uhum.
Mulder: NÃO! Diz de verdade, quer ou não?
Scully: EU QUERO SER SUA NAMORADA, FOX WILLIAM MULDER! [ri]
Mulder: Bem melhor, meu amor. Bem melhor. [Beijando ardentemente]

. O céu, que estava estrelado, se tornou um grande véu negro e a chuva começou a cair. Scully e Mulder pararam de beijar-se, olharam pro alto e depois cruzaram seus olhares, sorrindo. Mulder pegou Scully pela cintura e a encostou na parede, beijando-lhe a boca e o pescoço. A chuva caía com mais força, deixando-os completamente molhados. Mulder pegou Scully pelas mãos e deitou-se com ela no chão. Ficando por cima do corpo dela, deixando-a completamente extasiada.

Scully: Mulder ... [o beija] alguém pode nos ver aqui.
Mulder: Eu não me importo com a chuva, não me importo com as pessoas; eu só me importo com esse momento, eu só me importo com a gente. [sorri]
Scully: [sorri] Você trouxe camisinha dessa vez também?
Mulder: Droga. Não trouxe. [desanimado]
Scully: [ri]
Mulder: Que foi?
Scully:[fala com a voz meio rouca] Eu tenho aquela que você esqueceu aqui e várias outras em uma caixinha.
Mulder: Sim, sim. Espero que tenha comprado essa caixinha por minha causa. [ri] Scully: [rindo] Claro que foi por sua causa. [Com um olhar malicioso] Espero que não use só uma...
Mulder: [Beijo] Onde está? [beijo] Me fala. [beijo] Que eu vou pegar.
Scully: Está no [beijo] Criado-mudo. [beijo] Na primeira gaveta.
Mulder: Eu volto num segundo. [A beija com todo seu desejo]Por favor, não sai daqui. [entra na casa]
Scully: *Você acha mesmo que eu sairia?*
----
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jul 05, 2008 10:58 am

Já com a devida autorização vou postar a parte NC-17 desse capitulo. Vou fazer assim, para ler vc terá que selecionar as letras que estão ocultas What a Face

*

Eu sou maior de idade se vc não for a responsabilidade é tda sua.

*

Havisado você foi.

*

. Quando voltou, Mulder encontrou Scully no mesmo lugar e sorriu abaixando-se junto dela. Mulder a encarou e tirou a blusa que ela vestia. Scully também começou a tirar a camisa dele, desabotoando devagar os botões que a mantinham fechada. Ao passar as mãos pelo tórax dele, Scully sentiu seu toque fazer a pele dele se arrepiar. Ela sorriu e o beijou, descendo suas mãos até o membro dele.

Mulder: Não faça torturas, Scully!

. Ela apenas sorriu e não parou de acaricía-lo, abrindo o zíper e tirando a calça com a ajuda dele. Mulder sentou-se encostado na parede e Scully com um sorriso malicioso nos lábios começou a tocar lentamente em seu corpo e cobrindo-o de beijos, até chegar na boca e então eles se beijaram enlouquecedoramente. Mulder a beijava e passava a mão pelas costas dela, abrindo o sutiã e acariciando-a. Scully livrou-se do sutiã e encostou seus seios no tórax dele, deixando Mulder à beira do êxtase total.

. Mulder deitou-a no chão e tirou-lhe a calça e a calcinha. Ele beijou todo o abdômen dela, fazendo-a fechar os olhos ao sentir aqueles lábios e também a chuva caindo em sua pele. Quando chegou na altura dos seios, Mulder sorriu e abaixou-se pousando seus lábios ali, fazendo-a gemer de prazer.

. Scully foi aos poucos se levantando, pegou a camisinha e entregou a ele, que entendeu o gesto e a colocou rapidamente, sem perder tempo deitou-se no chão por cima dela, penetrando-a de uma só vez, arrancando um gemido que ele abafou com um beijo ... apaixonado. Eles se amaram por algum tempo até ambos chegarem ao êxtase final.

. Mulder separou seus corpos e deitou-se no chão molhado, trazendo-a para si num abraço terno e apaixonado. Ele beijou o topo da cabeça dela e a apertou muito forte.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jul 05, 2008 11:01 am

Cont. do capitulo 9

Scully: Mulder ...
Mulder: Hmm?
Scully: Eu só quero que saiba que foi mágico ... Você foi a melhor coisa que podia ter me acontecido.
Mulder: [sorri] Ô minha linda, você também foi a melhor coisa que me aconteceu e você fez dessa noite a melhor da minha vida.
Scully: [encara-o] Mesmo?
Mulder: Mesmo. [a beija] Minha linda eu preciso ir.
Scully: Ah, não. Nem brinca! Você dorme aqui hoje!
Mulder: Mal começamos a namorar e já está mandando em mim? [ri assustado]
Scully: Não é isso ... mas se você quiser dormir aqui, eu iria ficar muito feliz. [sorri]
Mulder: Ahn, mas como você é irresistível, menina! [a beija]
Scully: Você é irresistível também, sabia disso?
Mulder: [cara de paisagem] Não, não sabia. Me diz ...
Scully: Você é irresistível!! [ri]
Mulder: Uaaau [ri]. Scully, essa chuva não pára, né?
Scully: Não pára e cisma em cair onde estamos. [ri]
Mulder: Eu estou começando a acreditar naquilo que seu pai disse, sobre a natureza comemorar a felicidade de alguém ... Acho que é a nossa felicidade que ela insistiu em comemorar desde o início, lembra?
Scully: Uhum. Eu também acho o mesmo. [sorri]
Mulder: Uhuul! [pausa] Dana, posso tomar banho.
Scully: Claro, Mulder. Sinta-se em casa. [sorri]
Mulder: Vem comigo?
Scully: Hmm, que convite tentador ...
Mulder: Se é tentador então aceite logo. [ri, levantando-se] Eu estou indo. Você tem 5 segundos pra decidir. 1, 2, 3, 4 ...
Scully: ACEITOOO! [ri, sai correndo atrás dele, que já estava na sala]
. Scully e Mulder saíram do banho alegres e brincando muito um com o outro.

Scully: Pára Mulder! [tentando se proteger das cócegas dele]
Mulder: [pára de fazer cócegas] Tudo bem, parei. Sabe, eu estou com muita fome.
Scully: Vem, vamos comer alguma coisa. [vão pra cozinha]
Mulder: [senta-se em um banco no balcão] Muito legal isso aqui.
Scully: Vindo de um arquiteto eu acredito. [sorri, prendendo o cabelo num rabo de cavalo] (Imaginem o cabelo dela na 9ª temporada)
Mulder: É verdade, é muito bem projetado [passa a mão pelo balcão] Taí, gostei. [olha pra Scully] Essa comida sai ou não? [sorri]
Scully: Você prefere o quê?
Mulder: O que você quiser, minha deusa.
Scully: [vira-se rindo]
Mulder: Posso ligar a tv?
Scully: Claro, já disse pra ficar à vontade.
Mulder: Então tá. [indo pra sala] Eu gosto de assistir o Nacional Geografic e você? Scully: Também, mas gosto mais da Discovery.
Mulder: Legal. [senta-se no sofá] É interessante descobrir o que gostamos de fazer. Né?
Scully: [sorri] É muito bom mesmo.
Scully: [O.O]Nossa! Já são quase duas da manhã, Mulder?
Mulder: Pouco mais de quinze pras duas. Porque ficou assustada?
Scully: Não sei. Acho que o tempo passou rápido demais.
Mulder: [ri] Quando estamos felizes o tempo passa mesmo muito rápido.
Scully: [indo pra sala, com uma bandeja] Isso significa que você está feliz?
Mulder: Estou com muita fome. [vidrado na bandeja]
Scully: Mulder, não desconversa, sério.
Mulder: Você quer a verdade? A verdadeira verdade? [segura o riso]
Scully: [ri] É, eu quero sim.
Mulder: Tudo bem. [tira a bandeja das mãos dela e coloca na mesinha de centro] Eu vou te dizer toda a verdade. [encara Scully]
Scully: Estou esperando ...
Mulder: Scully [segura o rosto dela], eu nunca estive mais feliz na minha vida. Nunca uma mulher me fez sentir o que eu senti com você hoje, meu amor!
Scully: [sorri] Seu amor?
Mulder: Meu amor!

. Mulder grudou seus lábios nos dela e eles começaram a beijar-se em total sintonia; àquelas bocas pareciam feitas uma para a outra. Mulder segurou a nuca de Scully e chegou mais perto dela ...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Jul 05, 2008 11:14 am

Mais uma vez eu digo: sem comentários, sem fic. O capitulo 10 fica p/ semana que vem, nem começei a escrever ainda, pretendo fazer um cap grande. http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jul 08, 2008 6:34 pm

» Capítulo 10.

. Mulder despertou e viu-se deitado ao lado de Scully, que repousava um de seus braços sobre o abdômen dele. Mulder deu um sorriso terno e reparou que a luz do sol invadia todo o quarto, então ele se levantou e andou até a enorme janela.

. Scully acordou com alguns raios de sol que teimavam em repousar em seu rosto. Levantou-se e viu Mulder de costas olhando pela janela, totalmente distraído.Ela saiu da cama e enrolando-se no lençol foi até ele, abraçando-o por trás, colocando sua cabeça em contato com as costas dele e suas mãos no tórax. Mulder surpreendeu-se e quase pulou com o susto, mas ao sentir as mãos de Scully reconheceu imediatamente aquele toque e sorriu, cobrindo as mãos dela com as suas. Ele fechou os olhos e começou a balançar o corpo no ritmo de uma música que tocava ao longe, nenhum dos dois soube exatamente de onde vinha, mas era muito boa.


. Mulder passou um dos braços sobre a cabeça de Scully, trazendo-a para frente dele e abraçando-a carinhosamente. Eles começaram a dançar como dois românticos bobos e apaixonados. Scully pousou sua cabeça no tórax de Mulder, colocando suas mãos ao redor da cintura dele, que fez o mesmo.

Mulder: Dana, eu vou me trocar e queria dar uma volta por aí ... Com você junto. É claro!
Scully: Eu também adoraria amor, mas a gente está em plena quarta-feira. Dia comum de trabalho.
Mulder: Olha Dana, pode ser um dia comum pra todas as outras pessoas, menos pra mim. Ontem eu tive a melhor noite da minha vida, com a melhor companhia do mundo e acordei querendo passear, querendo comemorar isso, entende? E não temos chefe, não temos que prestar contas a ninguém...[sorri]
Scully: Uhum!!! Depois desses argumentos eu topo. [o beija carinhosamente]
Mulder: Hum, amor eu vou pra casa, troco de roupa e te pego aqui em 1h, ok?
Scully: Tudo bem. Vamos aonde?
Mulder: Que tal tomar um sorvete ... na praia?
Scully: É uma ótima idéia. [sorri]
Mulder:[a beija] Bem então, vou indo antes que fique muito tarde para o nosso passeio.

. Mulder saiu e ao entrar no carro olhou pra cima e viu Scully dando um tchauzinho. Ele jogou beijinhos no ar e se foi, morrendo de felicidade!!

. Mulder parecia estar flutuando; ele sorria o tempo todo e nem xingou um cara que deu uma fechada no carro dele. Ele estava no paraíso. Seu sorriso parecia preso com parafusos, ele não se desfazia NUNCA! Impressionante. Ele chegou em casa, subiu as escadas como um furacão, trocou de roupa rapidamente e quando descia em direção a saída, encontrou seu pai.

Bill Mulder: Onde vai? Nem está arrumado pro trabalho ainda? E nem dormiu em casa também. Onde esteve Mulder?
Mulder: Pai! Estou voando porque tenho um encontro e não quero me atrasar.
Bill Mulder: Encontro?
Mulder:[fala sorrindo] Eu e a Dana nos entendemos, pai. Dormi lá ontem. [sorri]
Bill Mulder: [ri e abraça o filho] Isso é uma ótima novidade, rapaz!
Mulder: Estamos namorando. [sorri]
Bill Mulder: [ri] QUE MARAVILHAAAA! JESUS ATENDEU MEUS PEDIDOS! [ri] Mulder: Eu vou indo. Não vou trabalhar hoje, vou passar o dia com a mulher da minha vida. [sai sorrindo]
Bill Mulder: [olhando o filho sair] É ... [olha pra cima] Deus me ouviu com a sua ajuda, né?! Teena. [sorri]

. Scully estava perdida; estava com Juliana no celular e se trocando ao mesmo tempo.

#Scully: Ju, querida ... Prometo que depois te conto, agora eu preciso me trocar porque ele já vai chegar!! [procurando uma blusa no armário]
#Scully: Ai sua chata! Tudo bem, mas EU VOU QUERER SABER TUDO, tá ouvindo Dana?
#Scully: [ri] Tudo bem, Ju! Eu te contarei todos os detalhes, sua pervertida!
#Juliana: Pervertida nada, não fui eu quem dormiu com o arquiteto bonitão. Aliás ... quem dera [suspira].
#Scully: Tira o olho que é meu, minha filha!
#Juliana: Humm, já tá se achando a dona do bofe [ri]. Olha, vou desligar porque você não vem e os pepinos vão ficar todos pra mim aqui na editora.
#Scully: Desculpa amiga. Fico te devendo essa.
#Juliana:E euu vou cobrar hein! Beijoo!
#Scully: Tudo bem, Beijoo! [desliga]

. Scully terminou de se trocar e estava no banheiro ajeitando os cabelos quando ouviu a campainha.

. Mulder tocou a campainha três vezes e nada de alguém atender. Scully abriu a porta com um sorrisão no rosto.

Scully: Demorei?
Mulder: [irônico] Não. Nadinha mesmo. [sorri]
Scully: Desculpa, eu estava penteando meu cabelo e ... (Cabelo estilo a 9ª temporada)
Mulder: Valeu à pena cada segundo da minha espera. [sorri e a beija] Vamos?
Scully: Uhum, só vou pegar a chave.

. Scully trancou a porta e enfim eles saíram rumo àquele dia que prometia fortes emoções. No carro, Mulder ligou o som, uma música começou a tocar e ele então parou o carro no acostamento e começou a cantá-la pra Scully.

YouTube: http://br.youtube.com/watch?v=9CkKuA86Mis

Because You Loved Me - Celine Dion
For all those times you stood by me
Por todas as vezes que você me apoiou
For all the truth that you made me see - sorri
Por todas as verdades que você me fez ver
For all the joy you brought to my life -pega as mãos de Scully e as entrelaça nas suas
Por toda alegria que você trouxe para minha vida
For all the wrong that you made right
Por todos os erros que você fez certo
For every dream you made come true
Por todos os sonhos que você fez tornarem-se reais
For all the love I found in you
Por todo amor que encontrei em você
I'll be forever thankful baby- olha bem dentro dos olhos de Scully, que já chorava
Eu serei eternamente grato, baby
You're the one who held me up
Você foi um dos que me ajudou a me levantar
Never let me fall
Nunca me deixou cairYou're the one who saw me through through it all - a abraça
Você foi um dos que me viu através de tudo isto
(Música continua ao fundo)

Mulder: Meu amor ... Eu te amo Dana. Te amo!
Scully: [chorando] Ah Mulder!!! [encara-o] eu também te amo demais. Eu não sei como isso foi acontecer com a gente, tão de repente, mas ... Eu te amo! Muito, muito.
Mulder: Oh! Minha linda [passa a mão no rosto dela, enxugando as lágrimas], as coisas sempre tem um por que, e nós vamos descobrir juntos. [sorri] Te amo, minha lindinha. Te amo! Te amo e Te amo!! [a beija]

. Depois do momento romântico no carro, Mulder dirigiu mais alguns minutos até chegar na praia. Era quarta-feira, mas tinha bastante gente por lá. Santa Monica é uma cidade turística de clima muito agradável.

Mulder: Dana?
Scully: [tirando o cinto de segurança] Humm?
Mulder: Me promete uma coisa?
Scully: Coisa? Que coisa?
Mulder: É uma coisinha simples, coisinha de nada mesmo.
Scully: Fala Mulder.
Mulder: Me promete que não vai usar biquíni?
Scully: [ri] O quê?? Como não vou usar biquíni se vou pra praia, Mulder?
Mulder: Poxa Dana, você é linda e olha só o tanto de marmanjo que está aí na praia. [aponta pra areia]
Scully: E o que tenho a ver com eles, Mulder?
Mulder: Eles não vão tirar o olho de você, caramba!
Scully: Olhar não arranca pedaço, Mulder. E além disso, o que adianta eles olharem se quem tem é você? [sorri maliciosamente]
Mulder: [ri] Sempre ótima nas respostas.
Scully: E você sempre bobo nas perguntas. [ri]
Mulder: [ri]
Scully: [ri] Vamos ou não?
Mulder: Vamos! [abrindo a porta do carro] Esperaaa!!!
Scully: [assustada] QUE FOI, MULDER?? [olhando pra todos os lados]
Mulder: Espera que eu vou abrir a porta pra você meu amor. [sorri]
Scully: Aii, me assustou Mulder.

. Mulder abriu a porta pra Scully e tratou de segurar bem firme a mão dela. Scully foi rindo e se sentindo a mais bela do pedaço; primeiro por ter aquele deus grego ao lado dela e segundo por ele estar morrendo de ciúmes dela.

. Scully tirou uma canga num tom azul claro, com pequenos detalhes em rosa formando pequenas margaridas da bolsa e a estendeu na areia, a alguns metros do mar. Ela e Mulder sentaram-se e ele tratou de puxá-la pra um abraço, fazendo questão de mostrar à todos que ela era dele.

Scully: Mulder?
Mulder: Sim, amor.
Scully: Quero sorvete. [biquinho]
Mulder: [ri] Minha menininha manhosa! Fala de que sabor você quer e eu vou pegar.
Scully: Humm ... você vai querer de quê?
Mulder: Acho que vou começar com um de chocolate.
Scully: Começar? [ri] Então te acompanho.
Mulder: Tudo bem, já volto [selinho] e se comporte.
Scully: Sim senhor! [sinal de continência]
Mulder: [sai rindo em direção a uma barraquinha de sorvete. Que ficava a alguns metros de onde estavam]

. Alguns segundos se passavam enquanto Mulder andava distraído até a barraquinha da sorveteria e Scully fica sentada sozinha na areia.

XxX: Dana?
Scully: [Olha em direção a pessoa que a chamava]
XxX: Dana, não acredito que é você
Dana: [Sorri] Sim, sou eu. [tentando reconhecer aquele homem] Wow! [Se levanta]
XxX: HAHAHA!!! Não acredito a quanto tempo Dana. [Os dois se abraçam]

. Mulder chega na sorveteria e olha em direção a Scully e a vê abraçada a outro homem que estava com muita liberdade envolvendo todo o corpo dela.

Mulder: Leve o sorvete lá na praia pra mim. Obrigado! [Vai apreçado em direção a Scully] *Mas quem esse cara pensa que é?*
Scully: Jimy, que saudades!
James: Jimy, não. Agora capitão James.
Scully: Humm, ta se achando agora é.
James: Mas você pode me chamar de Jimy [beija o rosto dela]
Scully: A quanto tempo você está aqui?
James: Acabo de conseguir uma transferência pra cá. Agora controlo o regimento que monitora as praias de Santa Monica.
Scully: Então vamos nos encontrar muito.
James: Me passa seu telefone, assim fica melhor para nos encontrarmos.
Scully: [Scully se abaixa e pega a bolsa para procurar seu cartão] Aqui está, meus números de telefones.

. Mulder chega a abraçando por traz e Scully se assusta. Com a reação dela James empurra Mulder para traz. Ao perceber que isso viraria briga Scully se mete no meio dos dois.

Scully: Calma! Calma! [Olha para James] Jimy, ele é meu namorado, só não tinha percebido ele chegar.
James: [Começa a rir da situação]
Scully: [vira e olha nos olhos de Mulder] Jimy é meu amigo dos tempos de colégio e faz muito tempo que não nos encontramos. [sai do meio deles]
Mulder: [Olha Scully cheio de ciúmes]Ah, ta!
Scully: [apresentando os dois] Mulder, esse é meu amigo James Brulok,[olha para James] Jimy, meu namorado. Fox Mulder.
James e Mulder: [apertão as mãos] Muito, prazer!
James: [olha para Scully] Por que você só o chama de Mulder?
Mulder: [olha para cima já irritado]
Scully: Pelo mesmo motivo que você não gosta de Jimy [mostra língua pra ele]

. Nesse momento o walk-talk de James começa a chamar James precisamos de auxilio, onde você está? Responda?

James: Ih! Tenho que ir. [beija a mão de Scully e pisca pra ela] Te ligo, hein. Tchau! Mulder. Até outra hora. [sai correndo]
Mulder: [irritado] Não gostei desse cara.
Scully: Mulder! [o beija] É só um amigo, deixa de ser bobo.
Mulder: Sei... [aprofunda mais o beijo] você agora é minha. Só minha.
Scully: [sorrindo] Só sua, de mais ninguém.
X:xX [cutuca as costas de Mulde]
Mulder: [vira para traz] O que é? [irritado]
XxX: Tio, os seus sorvetes! [disse o garoto assustado, Mulder pega os sorvetes e o garoto sai correndo]
Mulder: Oh, garoto! O dinheiro.
Scully: [Rindo da situação]
Mulder: [Lambendo o sorvete e entregando o outro a Scully] Seu sorvete meu amor.
XxX: [pega o dinheiro] Ahn! Esqueci. [sai correndo]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jul 08, 2008 6:35 pm

Mais uma vez eu digo: sem comentários, sem fic. O capitulo 10 fica p/ semana que vem, nem começei a escrever ainda, pretendo fazer um cap grande. http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Jul 16, 2008 9:45 am

CAPITULO 11

Mulder: Scully, tenho um desafio a te propor.
Scully: [se interessa] Ah, é? Qual?
Mulder: Vamos até o fim da praia, naquelas pedras [aponta] e começamos uma caminhada até o outro lado [vira o rosto e aponta].
Scully: Que desafio mais bobo, Mulder! Claro que eu topo! Vamos! [levanta-se]
Mulder: Desafio bobo? Você quem sabe, mas terá uma segunda parte, quando chegarmos lá no final.
Scully: Já topei, vamos embora homeeeem! [puxa Mulder pelas mãos pra que ele se levante]

. Mulder e Scully foram andando calmamente até um lado da praia. Então eles começaram a caminhada oficial que seria encerrada quando eles chegassem do outro lado da praia.

Scully: Quantos kilômetros de extensão tem essa praia, hein?
Mulder: [forçando um pouco a visão] Com o meu olhar analítico, deve ter quase 2.
Scully: [O.O] Tudo isso?
Mulder: Quer desistir do desafio?
Scully: Nem pensar, Mulder! Vou até o fim, nunca desisto fácil de nada. [ri]
Mulder: Quem diria ... [ri]


Scully: Já resolveu o que faremos no fim de semana, Mulder?
Mulder: Eu pensei em levar Emily pra um parque de diversões. Você gosta?
Scully: Amoooooo! Adoro a roda-gigante!
Mulder: Eu morro de medo da montanha-russa. [ri]
Scully: Ai amor, é sério isso?
Mulder: Claro, ué.
Scully: Eu adoro essa coisa de aventura, Adrenalina pura. [sorri]
Mulder: Ao mesmo tempo que temos coisas em comum, temos coisas TOTALMENTE distintas.
Scully: Na mesma proporção. [ri]
Mulder: Isso não deixa de ser bom, certo?
Scully: Certíssimo. [o abraça]

. Eles foram conversando e se conhecendo melhor a cada palavra que diziam. Eles estavam em total sintonia. Ao chegarem no fim da praia, eles viram uma grande formação rochosa parecendo um coração. Depois desse coração de pedra e das muitas rochas que o acompanhavam havia uma espécie de praia menor. Era mesmo muito pequena, a faixa de areia deveria ter uns sete metros de extensão. Para se chegar lá era preciso atravessar as muitas rochas que cobriam o solo e enfrentar a água que batia com força na parede do coração de pedra. Scully queria ir de qualquer maneira e Mulder insistia pra que parassem por ali mesmo, e uma longa discussão foi travada.

Scully: Mulder, eu quero ir ver como é lá.
Mulder: Daqui já é possível ver, olha só [pega Scully pela mão e a mostra a prainha]
Scully: Eu não me contento! Eu quero ir lá, Mulder!
Mulder: E se a gente tá atravessando e escorrega numa dessas pedras aí?
Scully: Vira essa boca pra lá, Mulder! Credo! [segurou na cruz que tinha em uma gargantilha] Se você está com medo, eu vou sozinha. [começa a se arriscar no meio das pedras]
Mulder: Dana! Esperaaaaaa! [apoiando-se no braço dela]
Scully: [pára de andar] Vai vir?
Mulder: Vou, vou. O que eu não faço por você?!?
Scully: [abre um mega sorrisão] Meu amor! [segura o rosto dele e dá um selinho]
Mulder: Tá, mas vamos logo antes que eu desista dessa loucura!




. Quando finalmente atravessaram todos os perigos do caminho - dois metros - Mulder jogou-se literalmente na areia e abriu os braços, respirando fundo e agradecendo por estar vivo enquanto Scully foi em direção da beirinha e começou a brincar com a água que ia e vinha.

. Scully estava distraída olhando para aquela imensidão diante de seus olhos - que pareciam não crer em como o mundo era perfeito - quando Mulder levantou-se, recuperado do susto, e foi até ela abraçando-a forte e logo depois encarando seu olhar.

Mulder: Minha linda ... [coloca os cabelos dela atrás das orelhas e acaricia seu rosto]
Scully: [fecha os olhos e sorri]
Mulder: Eu estou completamente apaixonado por você. [ri]

Scully: [se vira de frente para ele e encosta seus lábios no dele, iniciando um beijo mágico e vai encerrando o beijo aos poucos]
Mulder: Vamos nadar? [estende a mão para Scully acompanhar-lo]
Scully: Uhum. [segura na mão dele] Mas antes temos que tirar nossas roupas [sorri maliciosamente]

. Mulder tirou a camisa fazendo charme para Scully e a jogou na direção dela em seguida a bermuda, Scully entra no jogo e tirou a saia girando e ficando de costas para ele, descendo as mãos pelo corpo junto com a saia em segui a blusa. Olhando para Mulder vendo a cara de desejo que ele estava fazendo sorriu e saiu correndo e entrou na água dando um belo mergulho e depois ‘olhou’ para onde Mulder estava vendo que ele já estava quase colado nela. Ele sorriu e a beijou, o clima começou a ficar mais quente entre os dois, Mulder ai passando as mãos por todo o corpo dela. Scully passou as pernas em volta da cintura de Mulder, ele foi saindo da água levando ela em seu ‘colo’, depois deitou a na areia ficando por cima dela, Scully foi retirando a sunga dele devagar, ele por sua vez, tirou a parte de cima do biquíni dela, e ai beijando seus seios, ela arranhava as costas de Mulder, deixando ele ainda mais excitado, não agüentando mais ele tirou a parte de baixo do biquíni e a penetrou de uma vez, Scully sussurrava no ouvi de Mulder vários ‘te amo’ depois de um tempo se amando chegaram ao clímax.

. Logo depois os dois voltaram para a água onde continuaram a se amar ficando mais algum longo tempo se amando sem pressa alguma, até que a fome ‘apareceu’.



Mulder: Vamos nos vestir e almoçar. Eu conheço um restaurante lindo, tem uma decoração belíssima estilo anos 50, sabe? Tem umas fotos de Elvis Presley e tal.
Scully: [saindo do mar] Você gosta de rock?
Mulder: O suficiente pra saber que é bom. [ri]
Scully: Eu gosto, mas não conheço quase nada desse rock dos anos 50. [sorri]
Mulder: [vestindo a bermuda] Um dia te mostro uns vinis do meu pai. Ele tem todas as raridades possíveis. [ri]
Scully: Eu vou adorar. [vestindo a saia]
Mulder: Então está combinado.


. O belo casal foi caminhando até o restaurante que Mulder conhecia que era bem perto da praia, por sinal. Ao chegar, Mulder escolheu uma mesa na varanda lateral, que tinha vista pro mar. Ele mesmo fez questão de fazer os pedidos que logo chegaram e foram saboreados com muito gosto por ambos.

. O almoço seguiu sem conversas importantes, só alguns comentários sobre o lugar e a comida com o outro assentindo e nada mais. Mulder pagou a conta e voltou com Scully para a beira do mar.

x : Vocês não poderiam fazer isso em outro lugar, não?
Scully: [se assusta e para o beijo]
Mulder: [ri e levanta-se] Langly!!
Scully: [levanta-se]
Langly: Não vai me apresenta, Mulder? [sorri para Scully]
Scully: [sorri]
Mulder: Claro! Ahn ... Scully esse é Ringo Langly; meu melhor amigo e sócio no escritório. Langly; essa é Dana Scully, minha namorada.
Langly: [estende a mão, em cumprimento] Muito prazer, Scully. Já ouvi falar muito de você. [sorri]
Scully: [aperta a mão dele] O prazer é meu. [sorri]
Mulder: [vira-se pra Langly] O que faz aqui? Não deveria estar trabalhando?
Langly: [ri] Parece meu patrão! Eu vim verificar a obra das empresas Callahan aqui na rua 45. E estava passando, aproveitando meus poucos minutos de folga pra curtir a brisa marítima, quando vi você atracado com essa mocinha. [ri]
Scully: [abaixa a cabeça envergonhada]
Mulder: Dana, não liga meu amor. Ele é louco mesmo.
Langly:[ri] Vou deixá-los curtindo a maresia e vou ao trabalho. Mulder, onde você escondeu o cd do AutoCad?
Mulder: Eu não escondi em lugar nenhum! Nem toquei nesse cd. Pergunta pra Rachel.
Langly: Dana querida, acostume-se com a desorganização desse aí.
Scully: [sorri]
Mulder: [Olha ciumento para Langly] Pra você é Scully.

Langly: Agora vou mesmo embora. Boa praia e boa tarde. [vira-se pra Scully] Senhorita, foi um imenso prazer.
Scully: Igualmente. [sorri]
Mulder: Vai logo, cara!! [empurra o amigo]
Langly: [sai dando tchauzinhos]
Mulder: Scully, eu não sou desorganizado não, viu?
Scully: Tem certeza?
Mulder: Tenho. Aliás eu tenho uma organização metódica, entende? Eu separo minhas coisas por grupos: trabalho, pessoal, família. É algo inconscientemente óbvio pra mim ...
Scully: Mulder, tudo bem. Não precisa filosofar em cima disso, tá? Eu entendo perfeitamente. [ri]
Mulder: [respira fundo] Que bom, muito bom.

. O resto do dia foi calmo. Os dois nadaram bastante, beliscaram alguns frutos do mar nas barraquinhas ao redor da praia, beberam litros d'água. Scully quis voltar à tal prainha do coração de pedra, mas Mulder foi categórico e negou-se a ir; ela acabou desistindo ... por enquanto...

Mulder: Dana, vai fazer o quê à noite?
Scully: Eu tava pensando em ligar pra Monica.
Mulder: Monica?
Scully: Eu nem falei dela pra você, né amor? Desculpa! [selinho] Monica é minha amiga, a muito tempo, é como uma irmã mesmo pra mim. Ela estudou Arquitetura na França por 4 anos e voltou ontem de viagem.
Mulder: Ahhh!! Então ela é a Monica que você falou ao abrir a porta pra mim ontem? [ri]
Scully: Ela mesma. Ela tinha acabado de sair lá de casa.
Mulder: Então tá, liga pra ela. A gente já passou uma noite e um dia juntos mesmo. [sorri]
Scully: Depois podemos marcar de sairmos todos juntos, pra nos conhecermos melhor.
Mulder: Seria ótimo, mas agora eu quero falar de outro assunto ...
Scully: Qual?
Mulder: Me dá um beijo?
Scully: [desanimada] Só um?
Mulder: [balança a cabeça negativamente] Um, dois [chega bem perto], três, quatro [cola seus lábios e a beija]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Jul 16, 2008 9:47 am

Façam uma autoura feliz. Comentem. o Capitulo 12 está vindo cheio de SURPRESAS... http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sex Ago 15, 2008 8:30 am

Capitulo 12

. Mulder deixou Scully em casa quando já eram 20hs. Eles ficaram uns minutos namorando na porta e depois Mulder se foi. Quando chegou em casa, ele encontrou a filha na sala vendo um filme. Deu um beijo nela e perguntou pelo pai: "Foi assistir o jogo de basquete, é a final” foi a resposta. Ele então se lembrou que seu pai tinha convidado ele para ir junto assistir a final da liga inter-bairros. Subiu para o seu quarto e ligou pra Langly pra saber sobre um projeto no qual eles estavam trabalhando. Combinaram algo pro dia seguinte e depois foi tomar banho.

. Mulder ficou durante algum tempo lendo e só parou porque foi interrompido pela filha que pulou em cima da cama, ou melhor, em cima dele!

Emily: Paiii!
Mulder: Emy [ri] Como foi a escola hoje?
Emily: Chata. [emburrada]
Mulder: O que houve Emily?
Emily: [triste] A professora pediu pra todo mundo levar uma redação sobre a mãe amanhã.
Mulder: [triste]
Emily: E eu não tenho mãe ...
Mulder: Calma, não é assim. Minha princesa, você tem mãe, ela só não está mais perto da gente. [abraça a filha]
Emily: Sim, ela é uma estrelinha como a tia Dana falou.
Mulder: É sim... mais ta na hora de ir pra cama, não acha? [olha o relógio] Já são 22hs. Já passou da hora da princesa dormir.
Emily: Por quê?
Mulder: Amanhã tem que acordar cedo para ir pra escola.
Emily: [zangada] Eu não vou, amanhã.
Mulder: E porque a senhorita acha que não vai?
Emily: E porque o senhor não foi trabalhar hoje?
Mulder: [estranhando a atitude da filha] Eu perguntei primeiro. E o papai pode faltar uma vez no trabalho.
Emily: [Alegre] Então eu também posso faltar uma a escola.
Mulder: Não, você não pode.
Emily: [começa a chorar] Por quê? POR QUÊ???


. Mulder sem saber como agir levou a filha até o quarto, tentando fazê-la dormir sem muito sucesso. Quando ela finalmente dormiu, ele saiu, foi direto pro quarto e chorou. Estava sendo muito difícil criar a filha sozinho, muito difícil. Emily dormindo sonhou em como seria se tivesse a mãe perto.
----


. Depois do dia maravilhoso que teve com Mulder, Scully entrou em casa, tomou um banho rápido e ligou pra Monica a fim de contar as novidades.

#Monica: Eu liguei praí o dia todo, mulher! Agora sei os reais motivos de seu sumiço. [ri]
#Scully: Foram bons motivos, mana. [sorri]
# Monica: É, foram excelentes!!! [ri] Dana, eu quero conhecer esse remédio milagroso!
#Scully: Remédio milagroso? [espantada]
# Monica: É, esse remédio milagroso chamado Mulder. Ele conseguiu tirar toda a sua irritação! Ele fez milagres. [ri]
#Scully: Aiaiai, Monica!
# Monica: Eu não disse mentiras, disse?
#Scully: [custando a aceitar] Não.
#Monica: Eu sei, bobinha. Olha só mana, eu vou dormir porque tenho que acordar cedo pra procurar emprego amanhã.
#Scully: Tem alguma coisa em vista?
#Monica: Eu tenho uma entrevista na sexta em um escritório reconhecido, mas até lá eu corro atrás, né?
#Scully: Certinho. E o Charles?
#Monica: Ele tá dormindo. Até parece que não conhece seu irmão.
#Scully: Sim, o Belo Adormecido! Olha, vamos marcar algo, assim vocês conhecem o Mulder [sorri]
#Monica: Pode deixar, agora boa noite tagarela!
#Scully: [ri] Boa noiteeeeeee! [desligam]

. No dia seguinte Mulder e Scully não tiveram folga para se encontrarem, só falaram-se no celular uma vez. Mulder estava atarefadíssimo trabalhando na fase final de um grande projeto. Havia contratado mais um estagiário, porque o que havia no escritório não dava mais conta de tanto trabalho. E Rachel, ao mesmo tempo, estava selecionando os currículos dos profissionais especializados em decoração de interiores, pois as entrevistas seriam no dia seguinte.

. Scully estava muito ocupada também cuidando de todos os detalhes pra reunião que anunciaria o novo presidente da editora. A reunião seria no dia seguinte, mas ela estava nervosa com os rumos que essa mudança traria, se seu irmão conseguiria administrar sozinho. Juliana estava preparando todos os documentos burocráticos pra mudança da diretoria. E Scully ainda teria de ir a faculdade fazer sua inscrição para o processo seletivo e ainda com certo receio de reencontrar Peter por lá.
----


. No dia seguinte. Scully acordou demasiadamente atrasada, tomou um banho rapidíssimo e vestiu-se mais formal do que de costume. Chegando na empresa ela trocou poucas palavras com Juliana e foi pra sala de reuniões.
Onde tudo correu tranquilamente. Após diversas conversas e também depois de analisar as propostas feitas, foi decidido a nova presidência da editora que ficará a cargo do seu irmão Charles Scully e o senhor Álvaro na vice-presidência da editora. Sendo que Álvaro, assume agora na ausência de Charles e Scully fica como conselheira da presidência.


. A reunião correu muito bem, depois do anúncio da nova presidência houve abraços de parabenização e Álvaro começou em sua nova função, escolhendo os novos livros que deveriam ser lançados ainda nesse trimestre. Com a presidência da editora em outras mãos, Scully estaria mais disponível para os estudos e para ... Mulder.
----

. Mulder chegou mais cedo ao escritório, pois queria fazer pessoalmente a seleção do novo decorador de interiores. Ele teria um dia longo, pois teria de entrevistar mais de 50 pessoas. Ao chegar conversou alguns detalhes das entrevistas com Rachel e combinou de almoçar com Langly, que estava saindo mais uma vez para supervisionar a obra dos Callahan.

. As entrevistas começaram as oito em ponto e as dez Mulder já estava morto, pois não encontrara ninguém com o perfil do escritório. Quando entrevistou a vigésima quinta candidata, Mulder animou-se porque gostou muito do currículo dela: 4 anos de estudos na França. E sorriu ao perceber que o nome da moça era Monica, como a amiga de Dana.
----


. Scully estava saindo apressada da faculdade onde foi levar seu histórico escolar para avaliação e a prova objetiva seria dali a um mês, em um domingo. Já estavam no terceiro trimestre do ano e nessa época sua vida se tornava um caos, mas como havia deixado a presidência da empresa estava mais tranqüila.

- priiiiimmm – priiiiimmm - priiiiimmm

#Scully: Oiiii Mulder!! [animadíssima]
#Mulder: Como soube que era eu? [espantado]
#Scully: Hello, Mulder. Celulares tem identificador, bobinho!
#Mulder: Ah, é. [ri]
#Scully: Então, porque ligou?
#Mulder: Queria te ver hoje. Tô cheio de saudades amor.
#Scully: Também estou, lindo. Vai lá em casa hoje?
#Mulder: [sorri] Uhmm, com certeza eu vou. Daqui a pouco tô aí, viu?
#Scully: Tudo bem, eu não estou em casa, mas estou à caminho.
#Mulder: Certo, logo nos veremos! [ri]
#Scully: Beijoooo, amor!!
#Mulder: Beijooo! [desligam]

. Mulder foi correndo pra casa tomar banho, vestiu sua melhor roupa e foi à casa de Scully. Estava quase sufocando de saudades dela.


. No quarto com as luzes apagadas, só era possível ver a luz da lua e o brilho dos olhares deles. O casal sentado na cama, um de frente pro outro. Mulder passeava uma de suas mãos pelo rosto de Scully, enquanto a outra estava pousada no joelho dela. Ela fechou os olhos e segurou a mão dele por entre as suas.

. Ele olhou nos olhos dela, murmurou um "eu te amo" e a beijou calmamente. Ele sentiu seu coração acelerar enquanto sentia o gosto do beijo dela. Ele passeou as mãos pela cintura dela, levantando-lhe a blusa, terminando de tirá-la quando ela levantou os braços. Ela tirou a camisa dele e eles se abraçaram, se beijando mais uma vez. Ele desceu seus lábios até o pescoço dela. Ela acariciou os cabelos dele, sentindo a boca dele passando pelo seu pescoço. Ele desceu uma das alças do sutiã, e lhe beijou o ombro. Ela estremeceu, agarrando-se à ele, trazendo-o para si, como se quisesse unir seus corações pra sempre. De repente, ele interrompeu as carícias e procurou o olhar dela, que percebeu o quanto ele estava feliz. Ele abriu a boca algumas vezes, mas não conseguiu pensar em nada consistente com o momento. Ele inclinou a cabeça e a beijou novamente. Ela deitou-se e o levou junto. Ele livrou-a do sutiã e do shorts e ela livrou-o da calça jeans. Ele a beijava e acariciava o corpo dela, que estava completamente entregue àquele homem. O clima era de total romance, e a música (Kiss Me - Dani Carlos - Eu adoro a Dani Carlos esse link é dela cantando http://br.youtube.com/watch?v=Ml7Urzq1foM)que )se repetia e repetia ajudava nisso. Ele tirou as únicas peças que impediam seus corpos de sentirem-se por completo. Ela suspirou ao senti-lo em seu interior, estava sendo dele de novo. Ele se surpreendeu ao constatar que queria aquela mulher pra sempre, somente ela e ninguém mais. O desejo de ambos era ficar assim pra sempre, sentindo muito mais que dois corpos se amando, mas também duas almas se entrelaçando, se fundindo. Ela chegou ao ponto final antes dele e continuou apertando-o contra si, sentindo o cheiro do corpo dele lhe envolver por inteiro. E quando ele também chegou ao êxtase total, eles continuaram juntos, conectados.
. Ela o encarou e disse o que realmente desejava naquele momento: "Eu quero você pra sempre...". Ele deu um lindo e enorme sorriso e disse: "eu serei pra sempre seu, e você pra sempre minha". Ele saiu de cima do corpo dela, ela deitou-se de costas pra ele e fecharam os olhos. Adormeceram.


. Mulder acordou bem cedo e sorriu ao perceber que tudo tinha sido real. Ele observou Scully dormindo por algum tempo e saiu debaixo do lençol devagar para não despertá-la. Ele foi até a janela e observou o céu que estava cheio de nuvens, ele preferia assim. Ele passou a mão pescoço e entrou no banheiro.

. Ele estava tomando banho quando tudo o que aconteceu naquela noite voltou-lhe à mente. Ele passou a mão nos cabelos e parou-as na nuca, encostando-se na parede, de olhos fechados, e lembrando de tudo, sorriu.

. Ele terminou o banho rapidamente, vestiu-se e saiu deixando Scully ainda dormindo.

. Scully acordou e passou a mão na cama ainda de olhos fechados, procurando por Mulder. Quando não encontrou nada, ela abriu os olhos e se assustou. Onde ele estaria?

. Ela se levantou e andou rapidamente pelos cômodos da casa e nem sinal do namorado. Mil coisas passaram pela cabeça dela, e ainda pensativa resolveu tomar banho e depois ligar ou até mesmo sair pra procurá-lo.

. Mulder voltou para a casa de Scully, e entrou sorrateiramente, andando na ponta dos pés e tentando não fazer nenhum barulho. Ela já havia saído do banho e estava secando os cabelos, ainda no banheiro. Mulder entrou no quarto e a viu lá dentro pela fresta da porta. Ele então deu meia-volta, sorrindo, e foi até a cozinha. Chegando lá ele colocou umas coisas em cima da mesa e ligou o som com o volume um pouco baixo e empolgado começou a preparar o café da manhã.

. Scully estava distraída quando levou um enorme susto ao ouvir um barulho vindo da cozinha. Ela foi até lá e viu Mulder agachado pegando um copo, ou melhor, os cacos dele.

Scully: Se machucou, amor? [abaixando-se pra ajudá-lo]
Mulder: Não, minha linda. [selinho] Deixa que eu pego.
Scully: Você estava cozinhando?
Mulder: Tentando, né? [ri]
Scully: [ri]


. Mulder terminou de limpar a sujeira que havia feito e continuou fazendo o café. Scully ajudou-o cortando os pães e fazendo pequenas coisas, mas ele fez quase tudo sozinho.

Mulder: Então, amor! O que achou? Passei no teste?
Scully: [selinho] Está maravilhoso meu amor! E que teste vc se refere?
Mulder: [olha espantado p/ ela] Só mereço um selinho?
Scully: Ah! Acabei de comer amor. [olhar Scully o.Ô]
Mulder: Vc pode tudo, sou seu escravo.
Scully: Humm... Não me acostume mal. [beijo calhente]
Mulder: Ah, Meu Pai! [Exitado]
Scully: O que foi.
Mulder: Eu não consigo ficar mto tempo perto de vc sem... [olha no fundo dos olhos dela] Sem me excitar, vc tem total poder sobre meu corpo. [sorrindo maliciosamente]
Scully: [sorri] Vc tbm tem esse poder sobre mim. [se levanta, sentando no colo de Mulder]
Mulder: Vc tem certeza?
Scully: Toda.
Mulder: Olha que eu não vou para tão fácil.
Scully: Eu não tenho nada mto importe p/ fazer essa manhã. E vc?
Mulder: [Fecha o rosto e olha p/ Baixo] *Tenho que levar Emily ao colégio* Wouuu! [Scully beija seu pescoço e começa a se mexer em seu colo, Mulder abraça sua cintura a pressionando mais contra seu colo] Tinha que levar Emily ao colégio. [Beijo] Mas, acho que meu pai pode fazer isso por mim.
Scully: [gemendo no ouvido dele] Isso seria maravilhoso.
Mulder: [alcança o celular em cima da bancada] Espera um pouco, vou ligar p/ meu pai. [já ligando para seu pai]
Scully: [Beijo] Não espero nada, isso está mto bom para ser interrompido.
Mulder: [solta um gemido alto no momento q seu pai atende o cel] Aarrr!!!
Bill Mulder: Q foi filho? [ouve o gemido] O que ta acontecendo?
Mulder: [assustado, tenta fazer Scully parar de se mexer] Nada, nada.
Scully: [para de se mexer e sorri baixo, mas o suficiente para Bill Mulder ouvir]
Mulder: É, éeee... [sem graça] Eu estou um pouco ocupado, o senhor poderia levar Emily ao colégio por mim? [falou rápido]
Bill Mulder: Claro! Mas depois vc vai ter que me explicar isso. [Sorri e desliga o celular sem esperar resposta já imaginando o que o filho estava fazendo]
Mulder: [sorri a apertando mais contra si] Acho que meu pai entendeu direitinho com o q estou ocupado aqui.
Scully: [suspirando] Ai, que vergonha!
Mulder: É, agora está com vergonha? [Beija]
Scully: Sim, como vou olhar p/ ele agora.
Mulder: Meu pai não tem preconceitos e ele sabe q estou completamente apaixonado por vc. [Beija]
Scully: Aiii, que lindo. E tbm estou completamente apaixonada por vc. [Beija]
Mulder: [Começa a levantar a camisola dela] Isso está me atrapalhando [joga no chão]
Scully: E sua camisa tbm está me atrapalhando. [tirando a camisa dele percorrendo suas mãos pelo tronco dele o fazendo arrepiar]



Última edição por Thita Scully em Sex Ago 15, 2008 3:10 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sex Ago 15, 2008 9:16 am

E finalmente se livram das roupas, Scully “montada” em Mulder se movimenta lentamente para que o seu corpo se encaixasse ao dele. Mulder agarrado em sua cintura forçando seu corpo para baixo a penetrando, a fez emitir um gemido de dor, ele parou de forçar ela por alguns segundos para que ela se acostumasse a ele e continuaram se beijando, as mãos inquietas de Mulder percorriam seu corpo ao ouvi-la gemer seu nome e relaxar os músculos em volta de seu membro ele começa a se mover, primeiro devagar, depois mais rápido até que, atingem o clímax juntos.

Mulder: Isso... [diz ele sem fôlego] foi... INCRÍVEL!!!!!!!- eles sorriem enquanto esperam que suas respirações voltem ao normal
Scully: Não posso acreditar [beija] Está a cada dia melhor. [Sente algo crescer dentro dela novamente]
Mulder: Me desculpa. [Antes que ele saia de dentro dela, ela o impede firmando suas pernas em volta dele.
Scully: ISSO...É...IMPOSSÍVEL!!!!!-diz ela surpresa porém muitíssimo excitada
Mulder: Eu diria que não. [Diz ele sorrindo e ficando sério de repente] Me deixa sair. Eu não quero te machucar!
Scully: Como?!? Se eu também quero!?!
Mulder: Insaciável! [Diz ele beijando-a]
Scully: Você também é!
Mulder: Louca! [Outro beijo e ele levanta com ela em seus braços a colocando sentada na mesa e retomando os movimentos de vai-e-vem.


. E assim eles passam parte da manhã juntos na casa de Scully. Mas Mulder estava planejando outras coisas para aquele dia e saiu para organizar as coisas como queria. Em seguida o telefone tocou; era Juliana se dizendo morta de saudades da amiga, então Scully marcou um almoçinho básico na casa dela no dia seguinte. Juliana aceitou na hora e pediu pra Scully convidar Mulder, porque ela queria conhecê-lo! Scully disse que ia fazer o possível e desligou.

Scully:
*Que saudades que nada! Ela quer conhecer o Mulder! [ri] *


. Enquanto vestia-se Scully pensou em chamar Monica e Charles e pedir pra Mulder levar o amigo dele, Langly. Assim todos se conheceriam. Ela riu da sua agilidade mental e sentou-se no sofá pra arrumar seus cd's. Ela adora organização e coloca os cd's todos em ordem alfabética.

. Mulder pediu à Hanna que fizesse uns sanduíches e sucos para um piquenique e foi ao escritório fazer uma ligação misteriosa. Depois foi tomar outro banho e vestir-se.


. Scully estava ouvindo calmamente seus cd's quando ouviu a campainha.

Scully: [abre a porta] Oi?
x : Senhorita [olha um papel] Dana Scully?
Scully: Sim. [sorri]
x : Pra senhorita. [entrega um bouquet lindo]
Scully: [pega o bouquet] Obrigada. [sorri] Só um minuto ... [vai até a gaveta do aparador que ficava atrás do sofá, pega um dinheiro e entrega ao rapaz]
x : Obrigado senhorrita.
Scully: Por nada. [fecha a porta]

. Scully encostou na porta, olhando pra cima e sorrindo. Ela pegou o cartão que havia junto do bouquet. O cartão dizia:

"O que mais desejo é sentir meu corpo se abrigar no seu calor ... eu não consigo um minuto sem te ver, sua presença alegra meu coração, amor. A noite de ontem foi maravilhosa, pois todas as vezes que estivermos juntos serão as melhores pra mim. Dana, obrigado por esses momentos e que essas singelas flores sejam de seu agrado, minha vida. Do sempre seu, Mulder.


. Scully caiu sentada no sofá com as flores e o cartão nas mãos. Um sentimento grandioso lhe invadia a alma e o coração.

. Naquele momento ela constatou o que estava havendo em sua vida: ela estava completamente apaixonada! E não era como das outras vezes, agora era REAL! Finalmente, Dana Katherine Scully conheceria as mais doces e confusas sensações que o amor provoca. E seria ao lado de um homem incrível, Mulder, seu amor.

. Depois de se recuperar, ela pegou o telefone.

#Scully: Alô?
#x : Oi?
#Scully: Mulder, por favor?
#Mulder: É ele mesmo, amor da minha vida. [sorri]
#Scully: [ri] Que lindo! Já estou morrendo de saudades ...
#Mulder: Sério? Sabia que eu não?
#Scully: [triste] Não?
#Mulder: Não. Eu já estou morto ... [ri]
#Scully: Ai que horror, Mulder![séria]
#Mulder: Foi modo de dizer, bobinha.
#Scully: [ri] Tá, tá. Olha, eu liguei pra agradecer pelas flores. [sorri]
#Mulder: Já recebeu?
#Scully: Uhum, e são perfeitas e mais perfeito ainda é você!!
#Mulder: [ri] Caramba, assim eu me convenço de vez.
#Scully: Pode se convencer, já que é mesmo verdade, amor. [ri]
#Mulder: Que maravilha ... sabe, eu tô louco de vontade de te ver. Eu sei que já passamos a noite juntos e tudo, mas a cada vez que estou contigo eu quero mais e mais. Você me viciou, Dana! [ri]
#Scully: Hmm amor, também tô louca pra te ver!
#Mulder: São 11:30hs, você já tá pronta?
#Scully: É só trocar de roupa, porque?
#Mulder: E se a gente antecipar o horário do passeio? Eu vejo se as coisas estão prontas por aqui e a gente vai praí.
#Scully: Eu acho excelente!! [sorri]
#Mulde: Então fica assim, se arruma que passo aí daqui a pouco. Vou voar aqui.
#Scully: Então tá, meu amor. Beijoooos!
#Mulder: Beijooos linda!! [desligam]


Última edição por Thita Scully em Sex Ago 15, 2008 9:23 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sex Ago 15, 2008 9:22 am

Consegui, consegui, consegui... bounce bounce bounce Nossa! escrevi tanto q não coube em uma postagem só... Mas eu ainda acho que não ficou bom...

Por favor, comentem pq eu não gostei mto desse cap. 12.

COMENTÁRIOS: http://arquivox.forumeiros.com/fics-da-serie-f5/fanfic-com-um-olhar-adaptada-comentarios-t102.htm

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Ago 19, 2008 7:39 pm

» Capítulo 13.



. Scully correu pra cozinha, pegou um vaso e colocou as flores lá e deixou-o em cima da mesinha da sala. Depois ela correu pro quarto e começou a se trocar, rindo e rindo.

. Mulder foi até sua casa avisar que passaria o dia fora e não almoçaria em casa e perguntar se as coisas que ele havia pedido para Hanna organizar estavam prontas e a resposta de Hanna foi positiva, então ele subiu pra se trocar.

. Mulder despediu-se do pai, e pegou a cesta enorme que estava cheia das delícias preparadas por Hanna. Indo ao encontro de Scully para aproveitarem o dia juntos.

. Scully estava fechando as cortinas na janela de seu quarto quando viu Mulder estacionando o carro lá embaixo. Ela terminou de fechar, pegou a bolsa e desceu radiante.

. Scully abriu a porta e viu Mulder encostado no carro; ele sorria e ela correspondeu. Ele estava de uma beleza estonteante, usava uma regata solta que deixava a mostra os músculos de seu braço com uma bermuda também solta. Scully se aproximou e ele a arrebatou em um beijo intenso e cheio de amor.

Scully: Mulder! [se separando dele, afinal, estavam em pleno dia na porta de sua casa]
Mulder: [olha no fundo dos olhos dela] Tudo bem, só um selinho. [Beija segurando-a pela cintura, ainda encostado no capô]
Scully: Era pra ser um selinho.
Mulder: [ri] Tudo bem. Vamos?
Scully: Uhum.

. Mulder abriu a porta pra ela. O caminho até o parque era relativamente longo, já que ele ficava do outro lado da cidade. Ele teria que parar para abastecer o carro e checar os pneus.

Mulder: Vou parar em um posto mais na frente pra abastecer.
Scully: Tudo bem.
Mulder: Tem uma conveniência lá e sei que tem uns chocolates gostosos. [diz sorrindo]
Scully: [olha maliciosa] chocolates é...


....

. Scully vai na lojinha de conveniência do posto e compra os chocolates e também um sorvete pois estava um leve calor. Mulder olha pra dentro da lojinha, seu olhar cruza com o de Scully e ambos abrem aquele sorriso que eles tem.

. Mulder termina de abastecer e coloca o carro mais pra frente. Depois vai até a lojinha e abraça Scully por traz, beijando-lhe a bochecha. Ela lhe oferece um pouco do seu sorvete e ele aceita e seguem pro carro. E agora vão, sem paradas, para o parque!


. Mulder entra com o carro no estacionamento do parque, Scully estava achando tudo aquilo maravilhoso, do estacionamento já dava para ver os casais andando abraçados e ao longe alguns deitados no chão com sua cesta de piquenique, alguns brincando com seus filhos. Verdadeiras famílias aproveitando o dia. Mulder trancou o carro e colocou um de seus braços ao redor da cintura de Scully.

Mulder: Scully, vem aqui. [a puxa de lado]
Scully: Que houve?
Mulder: [Beijando-a] Isso tudo está acontecendo de verdade? [olha nos olhos dela]
Scully: [ri] Quer que eu te belisque?
Mulder: Não, de vc eu só quero beijos [sorri e a beija] Vamos.


. O parque estava lindo, os jardins floridos, as árvores com seus grandes arbustos fazendo sombra, crianças brincando e correndo sem parar. Eles seguem para o outro lado do parque, onde tbm havia outros casais que estavam namorando.


. Scully ajudou Mulder a forrar a toalha no chão e sentaram-se nela. Scully sentou-se entre as pernas de Mulder, encostando sua cabeça no tórax dele; ele colocou os braços sobre os ombros dela, abraçando-a. Ele estava encostado em uma árvore enorme que fazia uma deliciosa sombra sobre toda a toalha.

Mulder: Tô adorando passar esse dia com você, amor. [sorri]
Scully: Eu também. Parece que tudo isso é um sonho.
Mulder: E se for, é o sonho mais lindo que eu já tive [sorri]
Scully: [levanta-se e fica ajoelhada entre as pernas dele, encarando-o] Você é a personificação desse sonho, nunca imaginei que viveria uma história assim e nem que iria te encontrar tão rápido. *Falei de mais*
Mulder: Como assim, tão rápido?

Scully: [senta ao lado dele abraçando seu braço] Bem, acho que vamos começar a falar sobre nossas vidas.
Mulder: [incerto] Ah, alguma coisa da sua vida que eu não deva saber? [olha nos olhos dela] Scully: Claro que não é isso. Mas eu tbm quero saber detalhes sobre sua vida [Beija-o] direitos iguais. Respondendo sua pergunta. Tão rápido pq qdo te conheci tinha acabado de sair de um relacionamento e não estava à procura de outra pessoa.
Mulder: Hummm. Espero que o outro não volte. [puxa pelo pescoço beijando profundamente]
Scully: [Empurra Mulder] Me deixe... [puxa fôlego] respirar...
Mulder: [sorri] claro [beija novamete]
Scully: Nada vai superar vc na minha vida. Te Amo, como nunca imaginei amar alguém.
Mulder: Eu tbm Te Amo! [beija] Como nunca amei ninguém.
Scully: [temerosa] Nem a mãe da sua filha?
Mulder: Diana foi um erro na minha vida.
Scully: E sua filha?
Mulder: [olha para o chão envergonhado] Por causa dela que me casei, meu casamento foi forçado, Diana manipulava as coisas para acontecerem do jeito que queria. Qdo contou que estava grávida já estava de 4 meses e eu disse que não iria casar com ela porque não tinha certeza se era o pai da Emily e ela começou a colocar a vida de Emily em risco. [triste] Chegou a ficar internada por causa disso [escorre uma lágrima de seus olhos] Então resolvi não arriscar a vida de Emily.
Scully: [afaga o rosto de Mulder beijando-o] Desculpa, amor. [beija] Não queria fazer vc relembrar coisas tristes.
Mulder: São coisas que vc ia saber, cedo ou tarde, não se preocupe. [beija] E vc mora sozinha numa casa enorme, aquela casa é mto grande para uma pessoa só.
Scully: [Sorri] Era a casa de meus pais. Eu fiquei com ela.
Mulder: E onde está sua família?
Scully: Meu pai faleceu há alguns anos, William Scully.
Mulder: [Sorri] Mesmo nome do meu pai. Só que o meu é William Mulder. E eu ainda tive a sorte de não ser Junior, apesar de não gostar de Fox. [sorri]
Scully: [rindo] Bem, meu irmão mais velho se chama William Scully Junior. E é da marinha mercante.
Mulder: Estou correndo perigo então?
Scully: Creio que sim [sorri]
Mulder: Quantos irmãos vc tem?
Scully: 3 somos 2 casais.
Mulder: Nossa! [sorri] Tenho 2 cunhados.
Scully: [beijando-o] Isso mesmo, vc terá que prestar contas a 2 Scully’s e a minha mãe tbm. Dona Margareth Scully. [sorri]
Mulder: [sorri] To frito. [beija]

Scully: E vc? Tem irmãos? [fita-o]
Mulder: Sim, mas ela não está mais entre nós.
Scully: Sinto muito. Mas o que aconteceu com ela?
Mulder: Aconteceu qdo éramos crianças, ela tinha 8 anos, estávamos em férias e ela foi seqüestrada. [triste] Nunca foi encontrada.
Scully: Meu Deus! Sinto Muito! [beija-o] Sinto Muito!
Mulder: Todo bem, aconteceu há muito tempo e foi à ruína da minha família. Por isso nunca achei que ia amar tanto alguém como amo vc. [a beija demoradamente] Quero construir uma família com vc. [sorri] Quer casar comigo?
Scully: [olha para ele assustada] Nossa! Não está indo rápido de mais com as coisas?
Mulder: Isso foi um não?
Scully: Não, não! [se assusta com o q disse] Quer dizer... Foi um sim, mas acho que temos que esperar um pouco, tem o que? 1 mês que nos conhecemos?
Mulder: [pensando] Exatamente, hoje está fazendo 1 mês que nos conhecemos. [beija-a]
Scully: Então isso é tipo uma comemoração?
Mulder: está parecendo que sim, e vc pode pedir o que quiser que por vc eu sou capaz de tudo.
Scully: [Sorri] Me beija.

Mulder: [avança sobre o corpo dela, a fazendo deitar e ele por cima a beijando] Só isso? Scully: [sorri] Não, você está condenado a me beijar durante o resto da sua vida. [beija] Mas voltando a nossa conversa. E sua filia? Só a vi uma vez, e você não me apresentou a ela como sua namorada.
Mulder: [beija] Noiva, agora você é minha noiva.
Scully: Unhum! Mas você tem que nos apresentar. E temos que ver se ela vai me aceitar ou não.
Mulder: Quanto a isso creio que não haverá problemas. Eu amo você e ela não teve convivência com a mãe dela. E ela parece ter muito mais que os 5 anos que tem.
Scully: Como assim?
Mulder: Ela foi criada por 2 homens, e passa mais tempo com meu pai do que com outras crianças.
Scully: [levanta a sobrancelha] Por que com o seu pai e não com você.
Mulder: [beija-a, agora deitados de lado, se olhando nos olhos] Bem, até vc entrar na minha vida, eu me dedicava inteiramente ao trabalho. E meu pai vê a Samantha nela e cuida dela.
Scully: Isso não é certo Mulder. Ela é sua filha e você é que tem que cuidar dela.
Mulder: Estou tentando, mas está sendo difícil pra mim. Ela está ficando um pouco rebelde, acha que tem os mesmos direitos que eu, que pode fazer o que quiser.
Scully: Mulder, seu pai que cuida dela, ela deve achar que vc é irmão dela e não pai. Mulder: [envergonhado] Bem, não tive instinto paternal, e não sei cuidar de uma menina. [beija] você me ajuda?
Scully: [sorri] Posso tentar, mas vamos ter que planejar melhor e a partir de hoje qdo sairmos devemos levá-la junto. [beija-o]


. E eles continuaram conversando e namorando a tarde toda. Foi muito agradável eles aproveitaram o momento para se conhecerem melhor, mas como tudo que é bom, o dia terminou com Mulder deixando Scully em casa e combinando o almoço do dia seguinte na casa dela. Mulder ficou de levar seu pai e sua filha e tbm convidaria Langly para participar do almoço em família pois Mulder o considerava como irmão e Scully de chamar a Mônica, Charles e Juliana.
---

. Já em casa Scully liga para Mônica, conta da conversa que teve com Mulder no parque, do pedido de casamento e a convida para o almoço no outro dia.

#Scully: Isso, amanhã.
#Mônica: Uau, vou conhecer o remédio! [ri]
#Scully: Pára de chamar ele assim, Mônica!
#Mônica: Já tá defendendo, olha...
#Scully: Pára, tô falando sério!
#Mônica: [ri] Uiii! Tudo bem, parei.
#Scully: Então, vocês vem?
#Mônica: Vamos sim, e vou preparar o Charles para conhecer o seu noivo, quero ver o que vai acontecer pq eu não contei nada p/ ele que vc está saindo com alguém

#Scully: Ok! [ri] Vamos ver como ele vai reagir amanhã, agora vou ligar pra Juliana tbm, mana. Beijooo! E amança a fera. [ri]
#Mônica: [rindo] Pode deixar, com ele vai ser fácil. Quero ver com Bill Jr. [ri mais ainda]

#Scully: Mas ainda temos tempo para preparar o campo. [ri] Beijo, até amanhã!
#Mônica: Beijo! [desligam]

. Scully ligou e confirmou com Juliana o almoço. Juliana amou a idéia de conhecer Mulder, o Santo Mulder - que estava mudando a vida da amiga. Mulder também estava ao telefone, falando com Langly, confirmando o almoço do dia seguinte. E em seguida liga para Scully.

#Mulder: Oi minha vida! Tudo bem? [sorri]
#Scully: Oi amor! Aham. E com você?
#Mulder: Ótimo. Tudo certo com os convidados?
#Scully: Sim, todos confirmaram e você?
#Mulder: Meu único convidado confirmou também. [ri]
#Scully: Que bom.
#Mulder: É ótimo.
#Scully: ...
#Mulder: ...
#Scully: ...
#Mulder: Dana... ainda ta ai?
#Scully: Uhum...
#Mulder: Você tá sentindo a minha falta como eu estou sentindo a sua? [sorri]
#Scully: Muito.
#Mulder: [ri]
#Scully: Será que você quer passar a noite aqui?
#Mulder: Eu estava esperando por esse convite.
#Scully: [ri] E então, você vem?
#Mulder: Claro. [sorri] Posso levar algumas roupas pra não precisar voltar em casa amanhã?
#Scully: Quer dormir aqui? [assustada]
#Mulder: Se você quiser, eu quero.
#Scully: [ri] Então eu quero.
#Mulder: Rapidinho eu chego aí.
#Scully: Estou te esperando, amor.
#Mulder: Te amo.
#Scully: Te amo também. [desligam]


Última edição por Thita em Sab Ago 30, 2008 4:39 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» FANFIC - Namorando meu Ídolo
» FANFIC - Laranjas
» FANFIC - Still You
» FANFIC - My Lovely Stepmother ?
» FANFIC - My Lovely Stepmother - Comentários

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Arquivo X  :: Fics da série :: Fics da série-
Ir para: