Arquivo X

Espaço para os fãs de Arquivo X debaterem a série.
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Nova por aqui
Qua Jun 24, 2015 7:23 pm por One

» Arquivo X (Novos episódios)
Qua Jun 24, 2015 7:15 pm por One

» Caixa de Arquivo X
Qui Ago 21, 2014 8:17 pm por hugoxrosa

» `Californication´
Sab Out 12, 2013 2:54 pm por Meiline

» GANHEI UM CHINELO DO MULDER E DA SCULLY!!!!
Sab Out 12, 2013 2:51 pm por Meiline

» Melhores casais das séries criminais
Sab Out 12, 2013 2:51 pm por Meiline

» Fics One - Procura
Sab Mar 12, 2011 3:09 pm por Elenice Sousa

» Vocês se lembram de mim?
Sab Jan 01, 2011 7:29 pm por Ma_Scully_

» Arquivo Crepúsculo
Dom Out 24, 2010 9:26 pm por Dana

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Patrocinadores

Compartilhe | 
 

 FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Ago 19, 2008 7:47 pm

Cont...


. Quando estava se preparando para sair, seu pai aparece na sala surpreso com o filho saindo sorrateiramente e com uma mala pequena na mão.

Bill Mulder: [tirando os óculos do rosto] Onde vc está indo com essa mala, Fox [fala sério] Mulder: [franzindo a testa] Estou indo pra casa da Dana, para ajudar com os preparativos do almoço de amanhã.
Bill Mulder: Fox, vc está percebendo o que está fazendo?
Mulder: [Irônico] Estou aproveitando a vida.
Bill Mulder: O que sua filha fez hoje Fox?
Mulder: [zangado] Não sei. O que ela fez?
Bill Mulder: Vc não percebe que essa menina precisa de sua atenção.
Mulder: Pai, por favor...
Bill Mulder: Vc é o pai dela, Fox. Emily precisa mais de vc do que de mim. Mulder: Mas ela prefere sua companhia e eu sou apenas um estorvo.
Bill Mulder: [zangado] E parece que vc gosta de ser um.
Mulder: ....
Bill Mulder: Não vê o que está fazendo na sua vida. Tira a responsabilidade de si e acaba entregando aos outros.
Mulder: O senhor não sabe o que fala.
Bill Mulder: É claro que sei. Primeiro vc não liga para própria filha. O seu escritório não funciona direito sem vc. [faz uma pausa] Por acaso, vc viu a papelada que o Langly deixou para vc ler?
Mulder: ....
Bill Mulder: Vc nunca mais pensou naquela especialização que tanto estudava para entrar. O que está acontecendo, Fox? Vc não era assim.
Mulder: [suspira] Minha vida está diferente, Pai. Eu encontrei algo que nunca tive e...
Bill Mulder: [interrompendo] Sei que vc está empolgado com a Srta. Scully, filho. Mas lembre-se que ela pode te machucar.
Mulder: Scully nunca faria isso.
Bill Mulder: Mas vc está perdendo o contato com sua filha por causa de uma mulher que vc mal conhece.
Mulder: [irritado] O senhor não pode falar assim dela.
Bill Mulder: [paciente] Só quero que vc avalie o que está fazendo com Emily. Ela precisa muito de vc, Fox. Muito mais que vc precisa da Srta. Scully.
Mulder: Tá, amanhã cedo eu estou aqui para buscar-la. [sai rapidamente sem esperar uma resposta de seu pai]
Bill Mulder: *espero que ele pense muito bem no que está fazendo*




. Mulder seguiu para a casa de Scully pensando na discussão que teve com seu pai. Sabia que tinha errado em algumas coisas com Emily, mas agora tinha certeza que tudo daria certo, pois tinha encontrado sua cara metade. Quando chegou na casa de Scully não pensou em outra coisa a não ser amá-la e assim a noite passou com os dois aproveitando cada minuto juntos. Amanheceu e Mulder despertou, mas ficou na cama, observando a respiração e o movimento que esta fazia no corpo de Scully. Ele acariciou os cabelos dela e beijou-lhe a testa. Com o beijo ela acordou e sorriu ao senti-lo tão próximo. Scully virou-se e encarou os olhos do noivo, que brilhavam. Ela se sentou encostada na cabeceira da cama e ele se sentou por entre as pernas dela. Scully ficou fazendo cafuné em Mulder, com a sua cabeça encostada na dele.


. Os dois ficaram de namorico por muito tempo, até que Mulder lembrou-se que teria que buscar Emily, já que seu pai provavelmente não iria participar do almoço, Scully tbm lembrou-se que ainda tinha alguns detalhes que faltava organizar para o almoço e logo os convidados iriam chegar e levantaram-se pra preparar as coisas. Algumas horas depois ....

Scully: Mulder, atende a porta pra mim?
Mulder: Ok, já vou [saindo em direção a porta]
Mulder: Oi?
Mônica : Você deve ser o remédio. [sorri]
Mulder: Remédio? [espantado]
Mônica: É, o remédio milagroso que curou a minha amiga. [ri]
Mulder: [ri]
Mônica: Juro que eu já estava desenganando essa menina! [ri e estende a mão] Mônica, prazer!
Mulder: Mulder. [sorri]
Charles: [sério] Então vc é o tal Fox Mulder?
Mônica: [olha séria] Charles.
Mulder: Prazer, Mônica. E sim eu sou Fox Mulder. [estende a mão para ele]
Charles: [ignorando o cumprimento de Mulder] Onde Dana está?
Mulder: Desculpe, entrem! [sorri] A Dana está na cozinha.


. Mônica, Chrarles e Mulder foram pra cozinha e o papo rolou por lá, com Charles fazendo algumas perguntas para Mulder e Scully e Mônica tentando acalmar as coisas.. Logo Juliana chegou. E Langly era o único que faltava, Mulder ligou pro celular dele e deu algumas instruções finais, porque ele tava meio que perdido. Langly chegou depois de uns 15 minutos, e finalmente eles começaram o almoço. Scully serviu Emily primeiro que estava brincando na sala de TV e logo depois a levou para o quarto de hospedes onde a pequena dormiu. E todos se conheceram melhor e o clima já estava mais animado.

Langly: Scully, a sua mãe parece que passou açúcar ao invés de talco em você.
[todos riam]
Scully: [sem entender] Porque, Langly?
Mulder: [olha pra Langly, ansioso pela resposta]
Langly: Porque todo mundo que chega perto de você, fica grudado. Olha só o Mulder! [aponta pro amigo]
Charles: Tem razão [joga um guardanapo em Mulder] Solta minha irmã um pouco. [ri]
Juliana: Dana tem o poder de arrasar corações!!! [ri]
Mulder: Pode arrasar o coração de qualquer um, mas é minha. [sério]
Mônica: Amiga, ele tá louco por você. Tá até com ciúmes! [ri]
Langly: Eu que o diga, Mônica. Já levei muitas patadas, você nem imagina.
Mônica/Charles: [riem]
Mulder: Vamos falar menos e comer mais, ok?
Charles: Concordo com o Mulder. [volta a comer]
Mônica: Ih, dois chatos unidos ...
Juliana: Jamais serão vencidos! [ri]
Langly: Vamos comer, então.

. Juliana abriu a boca pra começar a falar mais foi interrompida pela campainha ........



Mulder: Esperando mais alguém, amor?
Scully: Não. Deixa que eu atendo. [sai]

. Scully foi abrir a porta e os outros continuaram a conversa na sala de jantar.

Scully: [abre a porta e fica boquiaberta] O que faz aqui? [irritada]
x : Isso é jeito de me receber, Dana? [sorri]
Scully: Sai logo da minha casa, você não é bem-vindo aqui! [empurra-o]
x : Como seu noivo não é bem-vindo na sua casa, Dana? [dá mais uns passos, entrando na casa]
Scully: Dá pra sair, Peter? [grita]
Mulder: O que está havendo aqui? [chegando]
Peter: Não me apresenta, Querida?
Juliana: [chega na sala] Peter? [espantada]
Charles: IDIOTA! Agora você me paga!! [voando em Peter]
Peter: QUE ISSO! ME SOLTA SEU LOUCOOO! [empurrando-o]
Mônica: Calma, Charles! [tenta segurar ele]
Langly: [fica olhando, distante]
Scully: [com raiva e já com uma lagrima caindo de seus olhos] Peter, VAI EMBORA!
Peter: Como você expulsa seu noivo?
Mulder: NOIVOOOOO? [olha pra Scully, furioso]
Scully: [olha pra Mulder e chorando] Mulder, ele não é meu noivo!
Juliana: Claro que não!!
Mônica: Nem em sonho, seu babaca! [olha pra Peter, soltando Charlles que voar nele de novo]
Chrarles: Eu acho melhor você sair daqui, Seu babaca. [Acerta um murro no olho dele]
Peter: Você tá pensando que é quem para fazer isso? [olha para ele avançado para goupea-lo] Moleque?
Charles: Sou o irmão dela, e ela não te quer aqui, ENTÃO VAI EMBORA! VAIII!
Langly: [chega junto com Charlles] VAZA! [olha furioso pra Peter] Ou nós mesmos te tiramos daqui.
Peter: [vira-se pra Scully] Amor eu vou, nos vemos depois.
Charles: AH, IDIOTAAAAAAAA! [voa no pescoço de Peter] SOME DAQUI!
Langly: [consegue separar os dois e empurra Peter pra fora e fecha a porta]
Scully: [chorando] Te odeio ...
Juliana: [Abraça Scully] Calma, Dana.
Mônica: [indo em direção a elas] Ele já foi embora.
Langly: Acho melhor deixarmos o Mulder conversar com ela, pessoal.
Charlles: Tem razão. Vamos, Mônica?
Mônica: [beija a amiga] Fica bem, Amor! [vira-se pra Charles] Vamos.
Charles: Qualquer coisa é só ligar Dana. [beija no rosto]

Langly: Eu te levo, se quiser, Juliana.
Juliana: Eu aceito. Beijo amiga. [todos saem]


. Emily tinha acordado com o barulho da briga e estava escondida atrás da porta vendo tudo assustada.


Última edição por Thita em Sab Ago 30, 2008 4:49 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Ago 19, 2008 7:50 pm


_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Ago 30, 2008 4:51 pm

Atendendo aos pedidos da Mimilla. Postando o capitulo 14....


» Capítulo 14.


. Mulder estava na sacada, olhando pro céu, sentado no chão. Scully continuou sentada no chão, pensando em como odiava Peter. Ao ver que todos haviam ido embora, Mulder foi até ela e sentou-se à seu lado.

Scully: [fala baixo] Mulder, eu não tenho nada com ele. [olha pra ele, lagrimas escorrendo de seus olhos]
Mulder: [somente a abraça]
Scully: Diz alguma coisa, por favor.
Mulder: Eu acredito em você, meu amor. [beija a cabeça dela e a abraça mais forte]
Scully: [chora]
Mulder: Mas eu quero saber tudo sobre o que houve entre vocês. Eu fiquei paralisado com a situação, me senti um intruso, entende? Todo mundo sabia quem era o cara, menos eu!
Scully: [enxuga as lágrimas] Eu vou te contar tudo.

. E Scully narrou toda a situação em que Peter a colocou, a traição e o fato dele nunca desistir dela.

Mulder: Agora você tem a mim. Eu vou te proteger dele e de quem ousar te machucar.
Scully: [sorri] Graças a Deus você apareceu na minha vida, amor. Obrigada por ser tão compreensivo.
Mulder: Obrigado por ser minha namorada. Te amo!
Scully: Te amo também. [sorri]
Emily: [entrando na sala] O que aconteceu aqui?


Mulder: [olha pra filha] Não estava dormindo, princesa?

Emily: [indo em direção ao pai e se sentando entre ele e Scully] É que tinha gritos. [olha para Scully que estava escondendo o rosto] Pq vc ta chorando?
Scully: Eu... [passando a mão pelo rosto, tentando limpar as lagrimas] Não estou chorando. [olha pra Mulder] Foi um cisco que caiu no meu olho e seu pai estava tentando tirar.
Emily: [olha para o pai e sendo irônica em sua resposta] Ta, cadê todo mundo? Onde o Tio Ringo ta? Ela não mandou ele ir embora né?
Mulder: Emily Mulder. Pare com essas perguntas.
Scully:[Quieta só olhando a briga deles]
Emily: Aqui ta muito chato pai. [cruza os braços]
Scully: [se levantando] Todo bem, vamos para a cozinha, seu pai ainda não almoçou e tem sorvete vc quer?

Emily: [olha para o pai sorrindo] Posso?
Mulder: *O que devo fazer para ela parar de birra* Claro, que pode.

...

. Os dois recomeçaram o almoço, com Emily junto a eles dessa vez.

Mulder:[olhando Scully comer] Gosto de te ver comendo.
Scully: Por quê? [comendo]
Mulder: Você é linda de todos os jeitos


Scully: [sorri]



. Emily que até então estava quieta, se incomoda porque seu pai só olhava para Scully.



Emily: [olha para o pai] E eu?
Mulder: O que princesa?
Emily: Eu sou linda também? [com uma sobrancelha levantada]
Mulder: [pega nas mãos dela] Claro que é. E é a minha princesa.
Emily: E minha mãe é a sua rainha. [sorri]
Mulder: [sorri] Sim, sua mãe era minha rainha.


. Scully ao ouvir isso se levanta da mesa e vai em direção a pia. Nesse momento Mulder percebe que tinha falado algo sem pensar


Mulder: [dá um tapa na própria testa] Desculpa, Dana. Falei sem pensar. *Mulder, você é um idiota, fato.* [indo em direção a ela]
Emily: [olhando tudo]

Scully: [falando baixo para Emily não escutar] É. [séria] Já bastou você me confundir com ela naquela que seria nossa primeira noite, Mulder.
Mulder: Me desculpe, me desculpe! [tenta beijá-la, mas Scully desvia o rosto]
Scully: Mulder, eu vou te falar uma coisa bem séria, eu poderia até aceitar 'disputar' você com uma mulher qualquer, mas com um fantasma, uma lembrança ... aí não dá.
Mulder: Dana, você não vai me disputar com ninguém, ok? Porque eu sou seu e de ninguém mais.
Scully: Tudo bem. [selinho rápido pq Emily estava olhando]
Mulder: [voltando p/ mesa] Seu macarrão estava ótimo.
Scully: [sorri tristemente] Que bom que gostou.
Emily: [fala alto] Mentira pai, você não gosta de macarrão. Qdo Hanna faz vc não come.

Mulder: [olha pra Emily] Pare com isso Emily, vc quer ficar de castigo?
Emily: O vovô nunca me deixa de castigo.
Mulder: [fecha os olhos e abaixa a cabeça] Acho que vou levá-la de volta pra casa.
Scully: Todo bem, hoje não é um bom dia. [selinho]

. Mulder leva Emily p/ casa como seu pai não estava e ele tinha dado folga aos empregados teve que ficar em casa pois não podia deixar a filha sozinha. E a tarde passou calma com Mulder e Scully pensando nos acontecimentos do dia e Mulder não via a hora de seu pai chegar para que ele pudesse voltar para a casa de sua amada. Coisa que não aconteceu pq seu pai dessa vez não voltou para casa.

----


. Depois do almoço Mulder foi embora e Scully foi pra cozinha terminar de limpar tudo. Ela estava com uma expressão tristonha, mas tentou ao máximo esconder essa tristeza até de si mesma. Depois da limpeza terminada, ela foi pro quarto, sentou-se na cama e colocou milhares de livros ao seu redor, domingo seguinte seria a prova da faculdade, teria que passar se quisesse ser uma professora. Se passasse ela começaria as aulas no ano seguinte. Então passou o resto da tarde estudando. Mulder ligou uma vez, e eles se desejaram boa noite. Monica e Juliana também ligaram querendo saber o que havia acontecido. Era nove da noite quando Scully recebeu uma ligação misteriosa no celular.

#Scully: Alô?
#x : Dana, toma cuidado comigo. Você não sabe do que eu sou capaz.
#Scully: Quem está falando, hein?
#x : Não sabe, gata? [ri]
#Scully: O que você quer? [nervosa]
#x : Quer dizer que você já tem outro, não? ESCUTA BEM DANA KATHERINE SCULLY, SE VOCÊ CONTINUAR A SE ENCONTRAR COM ESSE PLAYBOYZINHO DE QUINTA, EU NÃO FAREI ALGO À VOCÊ, NÃO. MAS FAREI À ELE, PORQUE VOCÊ SOFRERIA MAIS, NÃO É? [ri]
#C: [chora em silêncio]
#x : Você é só minha, Dana. MINHA!!
#C: EU NÃO SOU DE NINGUÉM, MUITO MENOS SUA! EU SEI QUE É VOCÊ PETER, VOCÊ É QUEM TEM DE TOMAR CUIDADO COMIGO. PRESTA ATENÇÃO ONDE PISA. [desliga]
Scully: Eu não tenho medo de você. [anda de um lado pro outro] Não tenho, Peter.



....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Ago 30, 2008 5:03 pm

. A semana se iniciou sem maiores problemas. Scully continuou estudando para sua prova e indo algumas vezes à editora. Mulder passou a semana com um projeto, teve de ir várias vezes à uma obra que já estava lhe dando dores de cabeça, fora esses imprevistos a semana dele também foi boa. Monica iniciou seu trabalho no escritório de Mulder e estava se dando super bem com todos. Juliana estava de rolo com Thomas, mas ao mesmo tempo de olho em Langly. Peter sumiu e Alex ...

Alex: [observando a casa de Mulder] Quando esse velho vai sair? [olha o relógio, impaciente]
Bill Mulder: [sai de casa no seu carro]
Alex: Graças!! [sai do carro e entra na casa]
Hanna: Oi senhor. Nenhum dos donos se encontra.
Alex: Eu vim ver a Emily, Hanna.
Hanna: [gelou] Ela também não esta.
Alex: E de quem é esse risinho vindo lá de cima? [subindo]
Hanna: Senhor, espera. O senhor Mulder não deu permissão pro senhor entrar aqui! [indo atrás dele]
Hilarie (a babá): Meu Deus! [pega o telefone e liga pra Mulder]
Alex: [entra no quarto de Emily] E aí sobrinha!
Emily: [meio receosa] Oi.
Hanna: [chega, cansada] Vá embora por favor, senhor.
Emily: Hanna, deixa ele ficar. [mãos na cintura] É meu tio.
Hanna: [fica parada]
Alex: Não ouviu a menina, Hanna?
Hanna: Sim.
Alex: E o que está esperando pra sair?
Hanna: Nada senhor, já estou indo. [sai meio receosa]


Alex: [pega umas fotos em cima da cama de Emily] Quem é essa?
Emily: Deixa eu ver [vê a foto]. Ah é a Dana, namorada do papai. Acho que ele esqueceu aqui. Ela até que é legal.
Alex: *Namorada? Então o canalha já está traindo a minha irmã. Mas claro, é aquela mulher da festa.*
Emily: Tio??? O que foi?
Alex: Nada Emily. Eu vou embora. Diga a seu pai que ele tome cuidado.
Emily: Tome cuidado? [espantada]

. Alguns minutos depois Mulder chega apressado em casa, desce do carro sai correndo deixando a porta aberta.

Mulder: [desesperado] Onde ele se meteu, Hanna?
Hanna: Ele já foi senhor, calma.
Mulder: Droga. [coloca a mão na testa e anda de um lado pro outro] Vou ver minha filha. [sobe]
Hanna: Você ligou pra ele, Hilarie?
Hilarie: Liguei Hanna. Eu vi o senhor Alex entrando aqui e me apavorei.
Mulder: Emily, onde você esta? [olhando dentro do quarto]
Emily: [sai na porta da biblioteca] Aqui papai.
Mulder: Ai minha filha! [corre e a abraça] O seu tio não fez nada, né?
Emily: Não papai... Por quê?
Mulder: Nada princesa.
Emily: Aah[lembrando]... O tio disse pra você tomar cuidado.
Mulder: O quê?
Emily: Ele me mandou dizer isso.
Mulder: *Filho da p*** Eu te mato Alex. Se mato.* Fique aqui estudando. Quero ver você passando de ano sem recuperação final, hein? [ri]
Emily: Tudo bem.
Mulder: Vou ver umas coisas lá embaixo.
Emily: Não vai mais pro trabalho?
Emily: Não filha. Vou ficar em casa o resto do dia. [sorri] Depois eu venho pra gente ler um pouco.
Mulder: [descendo as escadas] *Quem esse cara pensa que é pra me ameaçar? Eu quebro a cara dele, ah, se quebro. Babaca!*

. Alex estava à todo custo tentando encontrar informações sobre Scully.

Alex: [olha uma foto que pegou na casa de Mulder] *Sculy! Como vou descobrir seu paradeiro, mulher? Ah, mas eu vou descobrir, de um jeito ou de outro.*



. Scully estava voltando da casa de Monica, estava subindo as escadas rapidamente, tava morta de fome. Quando chegou na porta ela encontrou encostada na parede uma caixa branca, de forma retangular envolta por um laço vermelho.

Scully: *Deve ser surpresa do Mulder.* [ri]

. Ela pegou a caixa e abriu a porta. Entrou e colocou a caixa em cima da mesinha da sala, fechou a porta, colocou a bolsa no sofá e foi abrir a caixa.

Scully: [grita] AAAHHHHHH!

. Na caixa estavam várias rosas brancas ... Mortas. Scully pegou algumas rosas nas mãos e ficou olhando atônita pra elas. Ela sentou-se na cadeira, desesperada. Quem estaria fazendo isso? Quem estaria lhe pregando essa peça?

Scully: *Peter. Só pode ser o ele!!*

. Ela começou a revirar a caixa em busca de algum vestígio, alguma prova, qualquer coisa! E quão não foi a surpresa dela ao tirar todas as rosas da caixa e ver escrito no fundo com letras garrafais: "Você é SÓ MINHA!".

Scully: [pega a caixa junto com as rosas e joga no lixo] IDIOTAAAA! [grita desesperada] TE ODEIO Peter! TE ODEIOOOOO!



. Mais uma quente manhã. Scully estava no banho, pois iria à editora verificar como Charles estava trabalhando. Seus pensamentos não saíam do ocorrido da noite passada. Será mesmo que Peter seria capaz de algo realmente grave? Não acreditaria se pegasse por base todo o relacionamento que tiveram. Ele sempre foi gentil e entregado à relação, com exceção da traição. Depois do fim do noivado, sim, ele estava diferente, nos seus olhos havia loucura e ódio, talvez sentimento de possessão...mas ele não era o mesmo de fato.

. Scully estava se vestindo e não sabia se contava à Mulder o que tinha acontecido. Será que era mesmo necessário fazer alarde? Afinal eram só flores mortas. Ou isso significava uma ameaça grave? Ela estava perdida em seus pensamentos quando ouviu o celular.


- Trriiiiiiimmm, Trriiiiiiimmm, Trriiiiiiimmm...

#Scully: Alô?
#Mulder: [animado] Oi senhorita, tudo bem?
#Scully: [senta na cama, sorrindo] Bem, amor. E você?
#Mulder: Tudo bem. Topa jantar comigo hoje?
#Scully: Huummm, eu adoraria. [toda meiga]
#Mulder: E eu mais ainda meu amor. [sorri] Então eu te pego às 20h, pode ser?
#Scully: Combinado. [sorri]
#Mulder: Amo você.
#Scully: Amo você. [ri]


. Como sempre acontecia, a hora do jantar logo chegou. Scully estava radiante e Mulder lindo como sempre. Ele estava saindo de casa e nem notou que alguém o seguia. Ao parar na casa de Scully, ele desceu e nem demorou muito, pois ela já estava pronta. A pessoa que seguiu Mulder agora havia ido embora, sem que ninguém o notasse. A noite prometia, Scully e Mulder transbordavam felicidade!

Mulder: [dá o braço pra Scully]
Scully: [ri] Parece casamento. [segura no braço dele]
Mulder: Temos que ir ensaiando desde agora, não acha? [sorri]
Scully: É muito cedo ainda.
Mulder: Nunca é cedo ou tarde pro amor. Pra ele é sempre tempo.
Scully: Filósofo Mulder.
Mulder: Eu não diria filósofo, [abre a porta do carro pra ela] diria apaixonado. [fecha a porta e dá a volta no carro, entrando]
Scully: Amo quando você se diz apaixonado por mim. [sorri]
Mulder: [sorri] Eu só digo verdades.
Scully: Isso é ótimo. [ri]

. Logo Mulder ligou o carro e eles foram até um pequenino, aconchegante e romântico restaurante. Na cidade esse restaurante era conhecido pelo enorme número de casais que iam lá. Praticamente era o point dos apaixonados. Ao ver que era esse o restaurante em que ele a estava levando, Scully gelou: *o que ele pretende fazer essa noite?*



. Eles chegaram e antes de sair do carro, Mulder sorriu docemente pra ela, que retribuiu o sorriso. Ele pegou na mão de Scully pra entrar no restaurante e por onde eles passavam as pessoas iam virando seus pescoços olhando a beleza daquele casal. Uma senhora que estava na porta sorriu e pensou: *devem ser felizes, que Deus os mantenha assim* e foi embora.

. Mulder puxou a cadeira pra Scully e depois sentou-se de frente pra ela. Era um lugar lindo, com uma música ambiente bem romântica.

Scully: Você está tão sereno. [sorri]
Mulder: Eu descobri o sentido da vida. [sorri]
Scully: E qual é o sentido da vida pra você?

Mulder: [Olha nos olhos dela sorrindo] Nesse ultimo mês eu descobri que você é o sentido da minha vida. [segura nas mãos dela]
Scully: [emocionada] Te Amo!

. Mulder levanta, indo em direção a ela lhe dando um beijooo. O garçom chega com os pedidos e ambos e interrompe o beijo dizendo que aquele não era um local apropriado para demonstração de tamanho afeto.

. O jantar foi muito romântico, calmo e a paixão emanava dos dois. Eles estavam felizes só de estar um na presença do outro. Sem nada, nem ninguém que atrapalhasse.

. Quando estavam indo em direção estacionamento, a chuva se fez sobre suas cabeças.

Scully: [ri] Isso é perseguição!
Mulder: Declarada! [pega na mão dela e correm até o carro]

. Mulder foi levar Scully em casa e ao passarem por um lugar, ela quis parar.


Scully: Por favor amor, vamos parar aqui. [suplicando]
Mulder: Dana, está chovendo, meu amor!
Scully: Eu vou descer. [sorri e sai]
Mulder: Não tenho como argumentar. [diz pra si mesmo]
Scully: [senta-se no capô do carro e olha pro céu] Eu amo a chuva, Mulder.
Mulder: Estou começando a amar pela minha convivência com você. [sorri e senta-se ao lado dela]
Scully: [fica séria e olha no fundo dos olhos dele] Mulder ...
Mulder: Hmm?
Scully: [coloca a mão na nuca dele] Eu quero te sentir de novo ...
Mulder: [sorri e passa o dedo indicador pelos lábios dela] Não precisa dizer duas vezes, meu amor.
Scully: [sorri e aproxima seus rostos] Amo você!
Mulder: [não diz nada, só a beija]

.
.
.
.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Ago 30, 2008 5:18 pm

. Nesse instante a chuva se fez mais presente e eles estavam se beijando embaixo de um temporal jamais visto, estavam totalmente molhados, com as roupas coladas nos corpos, fazendo todos os desenhos existentes ali.



Mulder: [ainda com seus lábios colados] Você quer ir pra outro lugar?
Scully: Vamos. [beija-o] Tem um hotel a duas quadras daqui.
Mulder: [acaricia o rosto dela] Como você sabe disso?
Scully: [fecha os olhos] Sem perguntas Mulder. Vamos.
Mulder: Tudo bem. [sorri e a beija]




. Foram correndo para o hotel, não conversaram muito com o recepcionista, se dirigindo rapidamente para o quarto. Scully puxou Mulder pra cama e a chuva batia na janela cada vez mais forte. Scully ficou com seu corpo em cima dele, se encaixando, fazendo-o enlouquecer. Eles se beijavam como se nada mais existisse ou importasse além do amor que sentiam. Mulder passeava suas mãos pela cintura dela e descia levando-as até as coxas. Scully estava completamente extasiada pelos carinhos dele. Mulder mudou seus beijos molhados para o pescoço dela, deixando-a ainda mais excitada. Ela sentou-se sobre o corpo dele e tirou a camisa dele. Depois ela voltou a beijá-lo ao mesmo tempo em que passava suas mãos pelo tórax dele. Ele colocou suas mãos sobre o quadril dela e a apertou contra seu corpo, fazendo-a soltar um gemido. Ele ficou ainda mais excitado e levantou seu corpo, fazendo com que ela fizesse o mesmo. Scully estava sentada no colo dele, com as pernas envolvendo o corpo do namorado. Mulder olhou fundo em seus olhos e foi levantando o vestido que ela usava. Mulder o tirou completamente e transferiu o olhar para o corpo nu da amada, começando a acariciá-la com as mãos e depois a beijando carinhosamente. Scully sentiu-se trêmula com aquelas carícias e abraçou-o forte. Ele agora deitou sobre ela. Mulder deu um beijo apaixonado nela e levantou-se tirando suas últimas peças. Scully olhou-o impressionada e sorriu vendo que ele já se deitava sobre ela novamente. Mulder beijou-a novamente e foi até os pés dela, acariciando todo o corpo dela, deixando-a maluca. Ele chegou na intimidade dela e olhou-a profundamente enquanto lhe arrancava a última peça restante. Ambos estavam agora totalmente nus e não hesitaram em colocar seus corpos em contato. O calor entre os dois só almentava.



Scully: Amor ... [ainda beijando-o]
Mulder: Hmm?
Scully: Você tem proteção?
Mulder: [sorri] Eu sou prevenido e preocupado não só comigo, mas com você também. [mostra-lhe a camisinha]
Scully: [sorri maliciosa] Eu coloco.
Mulder: [sorri] Todo bem.



. Mulder sentou-se, e deixou Scully colocar a camisinha nele. Depois eles voltaram a se deitar e já estavam ansiosos por estarem em contato novamente. Mulder pegou uma das pernas de Scully colocando-a ao redor da sua cintura e penetrou-a olhando-a nos olhos. Ele acariciava a coxa dela enquanto fazia movimentos lentos e ritmados. Scully o segurou pela nuca, puxando-o para um beijo ardente. Ele sentiu todo seu corpo estremecer e aumentou os movimentos, Scully gemia e apertava-o contra si, arranhando suas costas. Mulder estava louco ao sentir as mãos dela apertando-o cada vez mais.

Scully: Eu amo ser sua. [disse no ouvido dele entre carícias e gemidos]



. Isso deixou Mulder ainda mais excitado e seus movimentos foram ficando cada vez mais intensos, levando-os ao auge. Mulder respirou fundo e deitou-se ao lado dela, passeando suas mãos pelos seios de uma Scully completamente fora de si. Ela estava ofegante e de olhos fechados recuperava o fôlego perdido. Ela segurou as mãos dele sobre seu corpo e abriu os olhos, olhando diretamente para o amado.

Mulder: [sorri] Você é a mulher mais linda que eu já conheci.
Scully: E você é o homem mais fantástico que eu já conheci. [respira fundo]
Mulder: Te deixei cansada? [ri]
Scully: [sorri] Você conseguiu, me deixou verdadeiramente cansada.
Mulder: [ofegante] Você não fica muito pra trás. [sorri e deita sua cabeça no ventre dela]
Scully: [segura a cabeça dele e fecha os olhos] Amo você.
Mulder: Também te amo demais.



. E os dois ficaram por alguns minutos se reenergizando ali mesmo. Depois eles se levantaram, vestiram suas roupas e Mulder foi deixar ela em casa.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sab Ago 30, 2008 5:19 pm


_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qui Out 02, 2008 8:00 am

CAPITULO 15


Mulder: Tenho que ir, amor! [tentando se soltar]
Scully: Que maldade, não faz isso. Ficaaa! [faz biquinho]
Mulder: [a envolveu pela cintura e tirou todo seu fôlego com um beijaço]
Scully: Uau. [sorri]
Mulder: [apóia sua cabeça no ombro de Scully, cheirando o pescoço dela] Minha noiva!!! [a fita] Eu te amo.
Scully: [ri e vai puxando Mulder até o murinho da sacada]
Mulder: Insaciável. [ri]
Scully: [senta-se no murinho e envolve Mulder com as pernas, apoiando os braços nos ombros dele] Você não vai fugir de mim.
Mulder: E eu nem quero. [a beija]

. Eles ficaram por longos minutos se beijando ali. A chuva já parecia querer parar, mas o frio só aumentava.

Mulder: Scully, você tem planos pra O próximo final de semana?
Scully: [pensa] Não. A Monica não comentou nada e eu nem perguntei.
Mulder: O que você acha de passar lá em casa? A Muriel e o seu irmão, Charles, né?! Também para nos conhecermos melhor.
Scully: [selinho] Eu adoraria amor.
Mulder: [beija um dos ombros dela] Que bom. Vou amar passar o final de semana com você.
Scully: Eu também. [sorri] Mudou de idéia quanto passar a noite aqui?
Mulder: Aham!
Scully: [sorri vitoriosa] Então vamos. [indo até à porta] Tá com frio? [vendo Mulder se encolhendo]
Mulder: Bastante. [tremendo]
Scully: [abre a porta] Tenho a leve impressão de que isso vai mudar. [morde o lábio inferior e puxa Mulder de volta pra dentro da casa]

....
. Os dias que se seguiram foram bem tranqüilos pros dois. Scully foi até o escritório de Mulder e passou uma tarde lá com ele e Monica, olhando as coisas e aprendendo um pouco mais, causando ciúmes em Rachel, que já não conseguia disfarçar. John ligou uma vez pra Scully e insistiu em convidá-la pra sair, mas ela falou em Mulder ... ele se irritou e sumiu de novo. Emily estava de férias agora na fazenda da família junto com o avô; lá que aconteceria o final de semana em família que Mulder havia proposto. Peter estava em um seminário médico na Inglaterra e ao que parece desistiu de ameaçar Scully. Juliana estava ainda namorando Thomas, deixando-o irritado por só falar em um cara chamado Ringo; ela tava dando muita bandeira.

. A semana se passou agora com uma pequena correria, Scully ficou um pouco ocupada com alguns problemas na editora seu irmão ainda era um pouco inexperiente em comandar a editora e ela não poderia deixá-lo sozinho nessa e estava chegando o dia em que Scully faria a prova do vestibular. Mulder um pouco a contra gosto deixou Scully sozinha para que ela aprofundasse nos estudos para a prova que faria, mas a fez prometer que depois da prova ela seria dele e ela a faria não se preocupar com o resultado da prova.

Mulder: [toca a campainha e recoloca as mãos nos bolsos, virando-se pra olhar o céu que estava lindo]
Scully: [abre a porta, ofegante] Oii
Mulder: [vira-se pra ela] Cansada? [se aproxima]
Scully: Vim correndo, tava lá no quarto. [sorri]
Mulder: [a abraça] Nervosa?
Scully: Bastante! Já estou sem unhas pra roer. [ri]
Mulder: [começa a balançar seu corpo, fazendo com que Scully também o fizesse]
Scully: [ri] O que está fazendo?
Mulder: Dançando. [cola seus rostos]
Scully: Sem música? [ri]
Mulder: Só me importo com a companhia. [fecha os olhos e continua dançando]
Scully: [fecha os olhos também e o segue os movimentos]
Mulder: [acaricia as costas dela] Tudo vai dar certo. Você se esforçou, se empenhou e merece o resultado positivo. E eu estarei lá comemorando junto com você. [sorri]
Scully: Obrigada amor. [sorri e continuam dançando]
Mulder: [ainda de olhos fechados, sorrindo] Mais calma?
Scully: Muito mais calma. Seu toque me acalma. [sorri]
Mulder: Vou querer uma recompensa por isso.
Scully: Sabia que nada seria de graça. [ri]
Mulder: [pára de dançar e a encara tirando a franja dela do rosto] Te amo mais que semente de gira sol.
Scully: [gargalha] O quê?
Mulder: [gargalha] Te amo mais que semente de gira sol. Depois você vai entender, tenho certeza. [ri]
Scully: Você não existe mesmo.
Mulder: [balança a cabeça negativamente] Mude essa frase: eu não existo longe de você. [sorri]
Scully: [suspira] Você é meu príncipe azul. [o abraça] Amo tudo nessa vida depois que te conheci. As cores se harmonizam perfeitamente, todas as nuvens formam o seu rosto, as estrelas transmitem o brilho do seu olhar, o sol tem a alegria do seu sorriso, a chuva traz as melhores lembranças da gente. O mundo é perfeito, enfim. [sorri]
Mulder: [emocionado, a encara]
Scully: Você me INSPIRA! [sorri] Te amo mais que ... [coloca o dedo indicador na boca, pensativa] ... mais que ...
Mulder: ... mais que? [curioso]
Scully: Mais que ... [pensa] ... iorgut gelado! Ou seria mais que água? [pensa] Ah, não sei Mulder. Mas eu te amo muito. [ri] Bobaaa!
Scully: Amor, está na hora. Não posso me atrasar.
Mulder: [olha o relógio] Ah sim. Está pronta? Vamos.
Scully: Estou sim, é só trancar a porta e ... [tranca a porta] mais nada! [sorri] Vamos!


. Mulder e Scully caminharam abraçados até o carro dele. Ela se acalmou quando começou a contar pra ele sobre a prova. Ele se mostrou bastante interessado e isso a deixou feliz e animada. Eles foram direto para a casa de Scully estavam com saudades, ficaram uma semana sem conseguirem ficar juntos. Pensaram que finalmente passariam o dia juntos, sem preocupações. Scully se sente outra pessoa na presença de Mulder, era algo fora do comum, com ele, ela não usava disfarces, era ela mesma, com seus defeitos e virtudes. E não sentia medo por isso.

. Mulder já não conseguia ficar por muito tempo longe de Scully, seu corpo estava necessitado em te-la. Ao parar o carro na garagem já avançava sobre ela, beijando-a intensamente, suas mãos a apertavam em todos os lados.

Scully: [tentando se afastar dele] Mulder, aqui não.
Mulder: [a olha] porque não?
Scully: [séria] Mulder, está de dia e estamos no carro.
Mulder: Não quer curtir a vida meu amor! [sorri]
Scully: Vamos entrar logo.
Mulder: [beija] Vamos.

. E os dois entram na casa, Mulder guia Scully em seus braços a imprensando nas paredes. Scully para no sofá, sabia que não conseguiria chegar no quarto e o sofá estava mais próximo.


Scully: Aiii! Desse jeito você vai acabar comigo.[senta-se no sofá]
Mulder: Ta, não vi você reclamar de nada [ri e deita sobre ela no sofá]
Scully: Mas que chato é você hein!
Mulder: Agora judia de mim. [Beija] Ai! [cara de dor]
Scully: Que foi meu amor.
Mulder: Minha coluna doeu um pouco.
Scully: Está doendo muito? [ri]
Mulder: Só um pouco. Mas porque a senhora ta rindo?
Scully: Porque sua coluna ta doendo e eu não sou a culpada.
Mulder: [senta] Pode se sentar aqui. Não é nada, não está doendo. Às vezes dói, mas agora não está doendo mais. [ri]
Scully: Tem certeza? [preocupada]
Mulder: Senta logo! [a puxa pro seu colo]
Scully: [ri]
Mulder: Eu acho que junta a idade, [ri] e também a posição que eu fico o dia todo em cima daquelas maquetes, computador, prancheta, essas coisas. Ossos do ofício, querida. [sorri]
Scully: Ah, como meu amor sofre, meu Deus! [beijinhos por todo o rosto dele]
Mulder: [suspira] Que delícia ficar assim com você. [cheira o pescoço dela]
Scully: Eu também adoro. [Aprofunda mais o beijo]
Mulder: [vai beijando e se deitando novamente sobre ela]
Scully: [o aperta forte contra si]
Mulder: [suspira]
Scully: [ri dele e tenta deitar-se no peito do amado, mas eles caem do sofá]
Mulder:[ri] Desse jeito você me mata. [beija] Vamos fica aqui o resto do dia e a noite?
Scully: Hunhum. [sorri]
Mulder: Quando tiver fome você me diz, eu faço algo e a gente volta da onde parou.
Scully: [ri] Ai, que tarado. [beija a bochecha dele]
Mulder: Tarado nada; não estamos fazendo nada demais, só nos curtindo um pouquinho.
Scully: Amo você falando assim: "se curtindo". [ri]
Mulder: Mas é isso mesmo que estamos fazendo. [ri]
Scully: Então eu amo te curtir.
XxX: Oh céus, [séria] O que está acontecendo aqui?
Scully: [empurrando Mulder pro lado] Mãe, quando chegou, porque não me avisou?
Meggei: [Zangada] Não sou eu que devo explicações aqui mocinha.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Seg Mar 02, 2009 9:44 am

Atendendo a pedidos a fic continua...

Mas não se esqueçam dos comentários por favor. São eles que nos empolgam a continuar escrevendo.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*


Última edição por Thita em Seg Mar 02, 2009 9:46 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Seg Mar 02, 2009 9:44 am

» Capítulo 16.

- Meggie Scully havia voltado para a cidade, estava com saudades da filha e de sua cidade. Após a morte de seu marido passou a se dedicar a viagens e voltou a escrever livros, sempre se dedicou a literatura sua formação foi em literatura inglesa que suas filhas seguiram para acompanhar o movimento literário já que a família era dona de uma das maiores editoras do país.



Scully: Mãe, essa passou a ser minha casa. Vocês todos foram embora.
Mulder: [Abraça-a tentando passar forças para enfrentar a situação] Calma, meu amor!
Meggie: [irônica] Amor? Dana o que está acontecendo aqui? Onde o Peter se encaixa nisso?
Scully: [olha para o chão] Mãe, eu e o Peter terminamos há 3 meses atrás.
Meggie: Oh! E isso você não avisa sua mãe, Dana, não sei se você se lembra, mas seu casamento esta mercado para daqui a 1 mês e esse foi um dos motivos pelo qual eu voltei.
Scully: Não é hora para essa conversa. Falaremos disso mais tarde.
Meggie: Sim, mas não vai me apresentar seu “novo” amigo?
Scully: [olha para Mulder] Mãe quero lhe apresentar o meu namorado Fox Willian Mulder. Mulder, minha mãe, Margareth Scully.
Mulder: [um pouco sem jeito] Muito prazer! [beija a mão]
Meggie: Bem, educado você é. O que faz da vida?
Scully: Mãe!
Mulder: [fala baixo para Scully escutar] Tudo bem, não se altere. [sorri] Sou arquiteto e estou à frente da empresa de minha família. WM Construtora.
Meggie: Muito bom, Dana porque você o chama de Mulder?
Scully: [olha para ele] Ele não gosta de Fox [sorri e o beija]
Meggie: Muito bem crianças. Eu estava preparando o jantar, Mônica e Charles estão a caminho. Pode me acompanhar a cozinha Dana?
Scully: [a segue]
Meggie: Fique a vontade FOX, quando Mônica chegar peça-a para nos encontrar na cozinha.
Mulder: Sim senhora!
- elas seguem para a cozinha.


Mulder: [sentasse no sofá] Que situação, Meu Deus! Não tinha um jeito melhor para conhecer a mãe dela.

- Tudo correu bem durante o jantar, a conversa não se estendeu muito e somente Charles estava se divertindo com a situação. Logo após o jantar Mulder recebeu uma ligação de seu pai avisando que Emily não estava passando e ele foi para ver o era. Scully ficou a conversar com Mônica sobre a situação que passou, sendo encontrada por sua mãe namorando no sofá da sala. E Charles sendo mimado por sua mãe.


. Era sexta-feira daquela mesma semana e Mulder estava saindo do trabalho; ele iria em casa, tomar banho e pegar sua mala, depois passaria na casa de Scully para pegá-la. Eles iriam passar o final de semana em um hotel fazenda para aproveitar melhor o tempo juntos.


. Dana estava em casa, havia saído do banho e estava secando os cabelos. Depois disso, ela terminou de arrumar as coisas na mala e de se vestir. Ela ia se sentar quando ouviu a campainha.


Scully: [abre a porta e sorri] Oi!
Mulder: Oi, boa noite. [sorriso galanteador] Pronta?
Scully: Uhum. Vou pegar a mala. [entrando]
Mulder: Deixa que eu te ajudo. [pega a mala] Sua Mãe não esta por aqui?
Scully: [sorri] Não, hoje ela está com o Charles. Deixa que eu levo a menor.

Mulder: [descendo as escadas] Eu gosto de ser útil à você.
Scully: Você já me é útil de outras formas. [sorriso malicioso]
Mulder: [colocando as malas no carro] Então eu sou só um brinquedinho nas suas mãos?
Scully: [tranca a porta] É o que parece, não? [entra no carro]
Mulder: [entra também] Porque não esperou que eu abrisse a porta pra você?
Scully: Eu sei fazer isso sozinha, Mulder. [coloca o cinto]
Mulder: [liga o carro] Essa independência feminina ainda me mata.
Scully: [ri] Mulder, você fez revisão no carro?
Mulder: Fiz sim senhora, não se preocupe.
Scully: Uma viagem é sempre motivo de preocupação, são só 3 horas mas é melhor prevenir.
Mulder: Fica calma, eu estou cansado de dirigir nessa estrada.
Scully: Você ainda insistiu pra gente ir agora à noite.
Mulder: Pra gente aproveitar melhor amanhã, amor.
Scully: Mas eu me preocupo.
Mulder: Eu já fiz isso muitas vezes, relaxa Dana. [sorri]
Scully: Tá. [respira fundo] já fez isso muitas vezes...



» Depois de 1h de viagem;


Mulder: Scully, pega um mapa que taí no porta-luvas?
Scully: [assustada] Tá perdido, Mulder?
Mulder: Não, linda. [ri] Só quero confirmar uma coisa.
Scully: [desconfiada, pega o mapa]
Mulder: Vê aí se estamos na US 56
Scully: [olha o mapa] Passamos agora há pouco pela entrada dela, era naquele posto lá atrás.
Mulder: Droga. Tem algum retorno aí pra frente?
Scully: Não, nenhum. [olha pra ele] E agora?
Mulder: Não sei. Temos que voltar, mas eu não sei como.
Scully: ...
Mulder: Vou parar no acostamento e estudar a melhor forma.
Scully: T-tudo bem.
Mulder: [respira fundo e pega o mapa da mão dela] Vamos ver ...
Scully: [sai do carro]
...
Mulder: Beleza. [sai do carro e vai até ela] Olha aqui Scully, [mostrando o mapa] se formos até a próxima cidade, podemos retornar pela US 66 e de lá pegar a US 56



Scully: Mas isso é longe, Mulder! [olhando o mapa]
Mulder: [sem jeito] É, perderemos umas 2hs na estrada.
Scully: Ahn? Tudo isso, amor?
Mulder: Uhum. [põe o mapa no capô e a abraça] Desculpa pela burrada. [selinho]
Scully: [sorri] Tudo bem, amor. [acaricia o rosto dele] Vamos?
Mulder: Vamos. [entram e seguem viagem]



» Depois de 2h30m de viagem;

Scully: Essa cidadezinha é linda, amor.
Mulder: Nunca passei por aqui, nunca me perdi antes! [ri] Mas é mesmo linda.
Scully: Falta muito pra Rodovia?
Mulder: Não, olha ali na placa [aponta] daqui à 3km vem a entrada dela.
Scully: Vou ficar de olho então.
Mulder: [sorri] Obrigado.
Scully: [sorri]
Mulder: Na última hora de viagem a estrada é de chão, sabia?
Scully: Não.
Mulder: Só mato dos dois lados e pastos [ri].
Scully: E a gente nessa escuridão sem fim. [se encolhe]
Mulder: Não precisa ter medo. [acaricia o braço dela]
Scully: Não estou com medo, mas eu preferia ter vindo com a luz do dia.
Mulder: Como sempre eu fazendo burradas, mas foi com boa intenção.
Scully: Às vezes só isso não basta, né Mulder? [ri]
Mulder: [ri] É, pena que não.



. A viagem correu bem levando em consideração os parâmetros daquele dia. Quando estavam ainda na rodovia começou a chover e Scully ficou ainda mais preocupada. Agora eles já estavam na estrada de chão, faltava menos de 1hs pra chegarem no Hotel fazenda.


Mulder: Droga!
Scully: [assustada] O que foi? Porque a gente parou?
Mulder: Desculpa ter te acordado amor, mas não fui eu quem parou o carro, foi ele que parou sozinho.
Scully: O que houve? [com os olhos arregalados, olhando pra ele]
Mulder: Estamos atolados. [preocupado]
Scully: Ahn?
Mulder: Estamos presos na lama, Dana.
Scully: Mulder, eu sei o que significa 'atolados', mas eu não acredito nisso.
Mulder: Infelizmente pode acreditar amor.
Scully: [se assusta e grita] AAAHH!
Mulder: [a abraça] Calma, shiiiiuu ... calma. Foi só um trovão.
Scully: E essa chuva que tá pior à cada segundo.
Mulder: Essa aí não tá comemorando a felicidade de ninguém, ela tá bem bravinha. [ri]
Scully: Não brinca, Mulder. Tô com medo.
Mulder: Calma, eu tô com você. [beija a testa dela]
Scully: O que a gente faz?
Mulder: Eu tentei ligar para o hotel, mas o celular não tem sinal aqui. O jeito é esperarmos amanhecer pra poder caminhar até lá ou tentar encontrar sinal aí fora. Vamos dormir aqui, eu travo as portas e não vai ter nenhum perigo.
Scully: Ai meu Deus! [o agarra] Ainda são 10hs da noite!
Mulder: [ri dela] Vai passar rapidinho. [selinho]
Scully: ...
Mulder: Bom, eu vou pegar as malas.
Scully: E sair nessa tempestade? Tá louco?
Mulder: Precisamos das malas. Lá eu tenho uma colcha e a gente pode se cobrir, tá frio demais, Dana.
Scully: Ai Jesus, nos proteja.
Mulder: [ri dela] Nunca te vi assim com medo.
Scully: [olha pra ele] E eu nunca te vi assim tão corajoso.
Mulder: Tá me chamando de medroso, Dana?
Scully: Você sabe que é.
Mulder: [respira fundo e muda de assunto] Acho melhor você passar pro banco de trás, eu saio e pego as malas rapidinho e já entro ali também.
Scully: Tudo bem, mas vai rápido.
Mulder: Volto em um segundo. [selinho e sai do carro em meio à trovões e relâmpagos]
Scully: Meu Deus ... que dia. [pula pro banco de trás]



. Mulder foi até o porta-malas e se enrolou todo na hora de abri-lo. Quando finalmente conseguiu, pegou sua mala e as duas de Scully. Ao fechar o porta-malas ele ouviu um enorme estrondo e deixou as malas caírem ... levou mais um tempo pegando-as e conseguiu entrar no carro.

Scully: Demorou, amor.
Mulder: [recuperando o fôlego] É, aconteceram imprevistos, mas tá tudo aí.
Scully: Olha como você tá molhado, amor.
Mulder: Atchim!!
Scully: Ai, [preocupada] tá ficando resfriado.
Mulder: Eu passei a tarde de hoje com dor de cabeça, acho que já tava mesmo ficando ass... atchim!!
Scully: Calma, [pega a mochila dela] eu acho que tenho uma toalha aqui. [começa a revirar dentro da mochila]
Mulder: Atchim!!!
Scully: [pega as toalhas] Achei duas. [fala consigo mesma] Ótimo, Dana. [vira-se pra ele] Amor, tira essa roupa e coloca aqui em cima dessa toalha. [forra a toalha no banco da frente]
Mulder: Atchim! [começa a tirar a roupa]
Scully: [pega a mala dele] Vou pegar roupas secas pra você. [procura por roupas na mala dele]

. Scully estava pegando as roupas dele quando o vê sem camisa e solta um suspiro involuntário. Ela tenta se concentrar novamente na busca das roupas, mas se torna impossível e ela pega as primeiras que encontra, colocando a mala no banco do motorista, junto com as outras.




Scully: Não precisava tirar até a cueca, Mulder.
Mulder: E eu vou dormir com a cueca molhada?
Scully: Molhou até a cueca?
Mulder: É claro, Dana!
Scully: [afasta seus pensamentos pecaminosos] Tudo bem, tudo bem. Deixa que eu te seco.
Mulder: [encosta no banco]
Scully: [começa a passar a toalha no corpo dele] Isso não foi uma boa idéia.
Mulder: O quê?
Scully: Nada.
Mulder: [ri e fecha os olhos]
Scully: Pronto, coloca essa camisa. [dá a camisa pra ele]
Mulder: [colocando a camisa] Atchim! E a parte de baixo?
Scully: [incrédula] Q-quer que eu seque também?
Mulder: Se começou, agora faz o serviço completo, né Dana? [sorriso]
Scully: Tudo bem. [se concentra em seu 'trabalho' e o conclui rapidamente, deixando Mulder desapontado] Pronto, pode se vestir agora.
Mulder: Tem certeza? [aponta pra baixo]
Scully: [desvia seu olhar que insistia em pousar pra onde ele apontava] Absoluta.
Mulder: [se veste, tristinho]

. Depois disso, Mulder pegou um lençol e forrou o banco com ele, fez a bolsa de Scully de travesseiro e eles se deitaram. Mulder encostado no banco e Scully de costas pra ele.

Mulder: [faz cafuné nela] Dorme bem.
Scully: Acho que não vou conseguir dormir.
Mulder: Eu tenho uma idéia pra passar o tempo mais prazerosamente. [ri]
Scully: Eu não tô nesse ritmo.
Mulder: Desculpa, amor. [beijo na bochecha] Eu gosto de ficar te curtindo assim.
Scully: [se aconchega nos braços do amado] Eu também. [sorri]




. Nenhum dos dois conseguiu pegar no sono e ficaram trocando carícias por muito tempo, até que Mulder decidiu colocar um cd pra ver se assim o sono vinha. Ele colocou um cd de músicas instrumentais e ficaram curtindo, pois ambos gostavam bastante.

Mulder: [olhando os olhos dela] Te amo.
Scully: Eu te amo. [o beija]

. Mais algumas canções tocaram e eles foram aos poucos indo pros braços de Morpheu. Scully dormiu primeiro e Mulder ficou mais algum tempo velando o sono da amada e depois também dormiu.

. Já era manhã quando Scully acordou e respirou aliviada por não estar mais chovendo. Ela olhou pela janela e viu Mulder andando de um lado pro outro, segurando o celular com a mão no alto e colocando-o no ouvido algumas vezes. Ela abriu a porta e olhou pro chão: lama e mais lama. Ela se esforçou e conseguiu pular pra um lugar mais seco e foi escolhendo onde pisar até chegar à Mulder.

Mulder: Bom dia! [sorri e protege os olhos com as mãos, pelo sol que fazia]
Scully: Bom dia, amor. [selinho] Hoje ele resolveu aparecer, né? [fazendo menção ao sol]
Mulder: Pois é, pelo menos seca toda essa lamaçal.
Scully: Que vai virar uma beeela poeira! [olhando o chão ao redor]
Mulder: [ri] É.
Scully: Conseguiu alguma coisa?
Mulder: Com o sinal? Tudo na mesma, ou seja, sem sinal algum. Nem unzinho pra contar a história. NADA!
Scully: E aí, alguma idéia?
Mulder: Eu vou andando até o hotel, não deve estar muito longe daqui. [olhando pro horizonte]
Scully: E eu fico sozinha?
Mulder: Pode vir comigo se quiser, mas eu prefiro que fique.
Scully: [começa a olhar ao redor, enquanto Mulder insiste em encontrar sinal no celular]
Mulder: Tá difícil, colabora aí meu Deus! [olha pro céu]
Scully: [avista alguma coisa] Mulder, olha só! [aponta]
Mulder: [vira-se pra onde ela apontou]


.

.

.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Seg Abr 27, 2009 11:14 am

Todos os creditos desse capitulo são da Mimilla. Obrigado Miga por me ajudar com esse capitulo, ficou Maravilhoso...


>>CAPITULO 17


. Um carro vinha se aproximando rapidamente e Mulder foi pro meio da estrada para pará-lo. Quando o carro chegou perto deles, Mulder não precisou fazer nenhum sinal, o carro parou.

Mulder: [vai até a janela do motorista, que abaixa o vidro] VOCÊ? [surpreso]
x : Porque a surpresa?
Mulder: Simplesmente porque não entendo o motivo de você estar por essas bandas.
x : Um final de semana para esquecer dos problemas não parece um motivo pra você?
Mulder: Esquecer problemas? [agressivo]
Scully: [se aproxima de Mulder e observa a conversa]
x : Mas eu vim. E aí, o que tá pegando aqui?
Mulder: ...
Scully: [vendo que Mulder não responderia] Ficamos presos na lama ontem à noite e continuamos até agora. Precisamos de ajuda, o celular não pega aqui.
x : Entrem aí no meu carro que eu levo vocês até o hotel e depois os empregados de lá vem rebocar o carro.
Scully: Tudo bem. Vamos pegar nossas coisas, Mulder?
[Mulder não responde e vai com ela]


Mulder: O que foi aquilo?
Scully: Mulder precisamos sair daqui e essa é a melhor oportunidade. Ou você prefere ir andando até lá?
Mulder: É óbvio que é a melhor saída, mas eu estou apreensivo com o quê o Krycek veio fazer aqui, Scully.
Scully: Ele não vai fazer nada, ele veio, olha bem pra mim [segura-o pelo queixo] - ele veio pra te deixar nervoso. Ele quer te ver sair do sério, mas você não vai dar esse gosto pra ele, vai?
Mulder: Não, não vou.
Scully: Promete?
Mulder: Prometo. [selinho]
Scully: E então, vamos sair daqui? [sorri]
Mulder: [ri] Vamos.



. Mulder e Scully pegaram todas as suas coisas e passaram pro carro de Krycek. Mulder sentou-se no banco do passageiro e Scully no banco de trás. Mulder foi incomodado o caminho todo, não entendia o porquê de Krycek estar indo para aquele hotel fazenda, ele nunca fez isso, qual o motivo levaria ele a fazer isso? QUAL? E além disso, era terrível olhar pro lado e ver Krycek com a mais branda das fisionomias, como se ele nunca tivesse feito nada digno de reprovação.


. Mulder teve sorte, porque eles logo chegaram ao hotel fazenda e eles foram direto para a recepção verificar sua reserva e guardar as coisas e ele não cruzou mais com Krycek, que saiu para cavalgar. Depois de tudo guardado e eles estarem acomodados em uma das suítes, Mulder foi atrás dos empregados para ajudarem-no na 'salvação do carro' e saiu com eles, deixando Scully admirando o local. Tudo estava tranqüilo.

x: Se eu fosse Mulder não deixava você sozinha aqui.
Scully:Ele sabe que sou uma mulher crescida e que sei me defender.
x:[olhar lascivo] Isso não se tem dúvida.
Scully:[cortante] Tenha uma boa estadia. [sai]
x: Com certeza terei.

Krycek ficou observando a ruiva sair em direção ao hotel. Com um sorriso cínico no lábios, ele começava a entender a atração de Mulder pela delicada ruiva. 'Esse será um final de semana e tanto' pensou ele. E voltando-se para o caminho do estábulo, ele começou a assobiar.

.Mulder chegou algumas horas depois com dois funcionários e o guincho. Estando tudo a certado, ele correu para o seu quarto, encontrando uma Scully adormecida. Deitada na cama king size, Mulder percebeu o quanto ela era minúscula. Sorrindo com o pensamento, ele tirou os sapatos e foi para cama. Dando beijinhos suaves no rosto, ele percebeu ela se acordando com um doce sorriso nos lábios.

Scully: [manhosa] Hum, quem bom que chegou.
Mulder: Estava sonhando comigo? [abraça]
Scully: Mais ou menos. E então, conseguiu rebocar o carro?
Mulder: Sim, está tudo resolvido. Agora podemos ter esse fim de semana para nós dois. [puxa e lhe dá um beijo]


.O corpo dele caiu no dela e os dois começaram a se beijar por longos minutos. A Mão de Mulder começou a desfazer os botões da blusa de flanela que ela usava, mas quando foi tirá-la, o telefone começou a tocar.

Mulder: [com cara de pânico] Aí, Deus.
Scully: [manhosa] Não atende.
Mulder: Desculpa, linda. Mas pode ser importante. [atende o telefone, mas ninguém fala] Alô, alô.
Scully: Desliga. [beija o pescoço dele]
Mulder: Que estranho. [desligou o telefone e voltou a se deitar]
Scully: [beija o pescoço, enquanto o abraça] Quem era?
Mulder. Não sei. [beijo]Acho que foi engano.


.Eles começam a se beijar e o telefone volta a tocar. Scully impaciente, puxa o plug do telefone da tomada. Mulder sorri.
Scully: [sabichona]Agora ninguém vai nos incomodar.

.Algum tempo depois, o casal desce para almoçar. O restaurante parecia lotado. Mas de repente, uma mesa chamou a atenção de Scully, ela estava vaga. Puxando Mulder, eles se encaminharam para lá. Mas antes que chegassem, Krycek sentou-se e puxou o pequeno cardápio. Mulder gelou e ficou sério. O outro moreno levantou os olhos e sorriu sarcástico.

.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*


Última edição por Thita em Seg Abr 27, 2009 11:20 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Seg Abr 27, 2009 11:19 am

Krycek: Ora, ora. Quem finalmente resolveu sair da toca.
Mulder:[se controlando] Vamos,Scully.
Krycek: Por que não se sentam comigo? Afinal de contas tem espaço para o romântico casal aqui.
Mulder: [sisudo] Não é necessário.Scully: [cutucando] Vamos, querido. Há uma outra mesa ali.
Krycek: [cínico] Bon apettit!!


. O casal sentou-se e Scully percebeu a face séria de seu namorado. Ela sabia que Mulder sério não era sinônimo de boa coisa. Ela se apoiou e segurou a sua mão.
Scully: Mulder. Querido, deixe-o. Você não vê que ele quer só te irritá-lo.
Mulder: [se controlando] Pior é que ele está conseguindo.
Scully: Não dê importância a isso. Lembre-se que prometemos aproveitar esse tempo sozinhos. [ela toca a face dele suavemente] O que posso fazer para chamr a sua atenção.
Mulder: [puxa a mão dela e dá um beijo] Não precisa fazer nada, linda. Contando que fique ao meu lado. [olhar lascivo] Ou em cima de mim.
Scully:[dá um tapinha no ombro]Tarado.
Mulder: Por você, minha linda.


.Os dois ficaram sorrindo até a chegada da atendente, que apanhou os pedidos. Eles almoçaram calmamente. Uma conversa gentil e doce os acompanhou até a sobremesa. Assinado o recibo, eles seguiram até o campo principal. Apesar do dia nublado, um calor gostoso os abraçava. Caminhando lado a lado, de mãos dadas, eles sorriam e faziam planos para o futuro. Somente um par de olhos negros discordava do amor daquelas duas pessoas felizes. A inveja no seblante de Krycek era extremamente visível.

.A tarde se foi. Mulder estava em pé, na varanda, observando a chuva fina que cai lá fora. A temperatura havia abaixado ainda mais e as pequenas luzes dos postes criavam uma atmosfera romantica e simplista. Scully, puxou a porta e saiu com uma manta ao seu redor. Definitamente a ruiva não apreciava o frio. Se aproximando de Mulder, ela o abraçou, ficando protegida pelas costas dele.

Scully: Por que não volta para cama? Está tão quentinho lá.
Mulder: Não queria te acordar ainda. [virou-se para ela] Além do mais, a chuva é tão bonita aqui fora.
Scully: [suspirou] Tem razão. Mas está muito frio aqui fora. Vamos entrar.
Mulder: [puxou ela mais ao seu encontro] Dança comigo?
Scully: [estranhando]Com que música?
Mulder: Ela não é importante agora. Só nós dois.


.Os dois começaram a se mover suavemente. Scully percebeu a intensidade do olhar de Mulder, que lhe sorria suavemente. Fechando os olhos, ela encostou sua cabeça no peito dele, ouvindo o bater forte do coração tão amado. Quanto a ele, encostou sua cabeça na dela e as pirou suavemente o cabelo ruivo, que tanto admirava. Para ele, Scully era a mulher mais forte que ele já conhecia. E de pensar que ele prometeu jamais se apaixonar de novo. A morte de Diana foi horrível para ele (ECAAAA! Tive que escrever. Só para dar coerência), mas se apaixonar e amar Dana Scully era tudo que ele queria na vida. Uma renovação para sua alma remediada.

Mulder: Queria que o mundo parasse.
Scully: [afasta-se para olhá-lo] Eu também.
Mulder: [encosta sua cabeça na dela] Eu te amo, Dana Scully.
Scully: E eu amo você, Fox Mulder.


.Os dois continuaram abraçados por um longo tempo, até se darem conta da hora jantar. Minutos se passaram, em ambos se vestiram rapidamente. Mulder estava vestindo um terno cinza escuro simples, mas sem gravata, e Scully usava um vestido azul escuro mediano, com um corte reto e decote quadrado, que valorizava seu corpo.

Scully: Ainda não entendo porque me fez vestir uma roupa tão fina para um simples jantar, Mulder.
Mulder: Ora, hoje é sábado. E também é tão bom vê-la tão bonita assim.
Scully: Não acha que estamos exagerados para um simples jantar, Mulder? Não gostaria de ser observada.
Mulder: Confie em mim. Ninguém irá nos atrapalhar.


.Eles chegaram ao restaurante no térreo. A recepcionista sorriu para eles, que deram o nome para checarem a reserva.
Recepcionista: Por aqui.

. Ela os acompanhou pelo salão. Scully olou para Mulder que fingiu não entender. Subindo as escadas, que Scully ne imaginava ter, eles foram para um lugar que parecia ser bastante restrito. A recepcionista abriu as portas e esperou que eles entrassem.

.Scully ficou abismada com o que viu. Era um salão quadrado, um pouco menor que o salão de baixo, mas extremamente decorado. Havia um quarteto de cordas tocando música clássica e uma única mesa no centro. Por todo o lugar, desenas de arranjos de rosas brancas e vermelhas cobriam todo o local. Dois garçons impecavelmente vestidos, aguardavam as instruções do casal para que fossem servido. Ainda parada, Scully não acreditava no que via. Virando-se para Mulder, ela percebeu que ele estava sorrindo.

Scully: [surpresa] Você...
Mulder: [sorrindo] O melhor para a melhor.
Scully: [com os olhos cheio de lágrima] Eu não sei o que dizer?
Mulder: Um "obrigada" ao homem da sua vida seria o bastante no momento.


.Scully ainda surpresa não conseguiu se conter. Puxou-o para um beijo provocante, que foi bem recebido por ele. Respirando fundo, ele se afastou.
Mulder: [ofegante] Vamos, linda. O jantar nos espera.

.Como num sonho, Scully ficou admirada com a surpresa que Mulder lhe proporcionou. O ambiente era intimista e doce. O romantismo não foi esquecido. A música suave clássica foi trocada algumas vezes por baladas romanticas que o moreno sabia que ela apreciava. Scully poderia dizer que pelo menos uma vez na vida ela se sentiu divinamente especial. Enquanto retiravam os pratos da entrada, ele esticou uma das mãos para segura a mão direita dela.

Mulder: Então, está gostando?
Scully: Você só pode estar brincando. Isso é um sonho, Mulder.
Mulder: Olha, garanto que é realidade.
Scully: ...
Mulder: Quer dançar comigo?
Scully: Mas e o prato principal?
Mulder: deve demorar um pouco. Vem.


.Os dois se levantaram e começaram a dançar suavemente. Três músicas foram tocadas e eles não conseguiram falar nada. Apenas se olharam, corrindo um poara o outro. A quarta música que começou a tocar era um tango, uma música conhecida de uma filme famoso de Al Pacino.

Mulder: Dança tango, Scully?
Scully: Não que eu saíba. E vc?
Mulder: Adoraria tentar.


.Os dois começaram a fazer o passo inicial, mas como dois aprendizes suas pernas se batiam e grandes gargalhadas ecoavam pelo salão. A música era belíssima, mas os dois pareciam imbuídos em desvendar o ritmo. Chegaram a tentar mais alguns passos, contudo sem muito sucesso.

Scully: [gargalhando] Mulder, é melhor nos sentar. Estamos envergonhando o tango.
Mulder: [sorrindo] Mas o Pacino faz isso tão fácil?!
Scully: [sorrindo] É mas Pacino teve aulas para fazer a cena e nós não.
Mulder: [rindo, puxa Scully para se sentarem] É, você tem razão. Pobre Carlos Gardel, deve estar furioso comigo.
Scully: Conosco, querido. [bebe um gole de vinho] Mas deixe o compositor fora dessa conversa já tem gente demais aqui.
Mulder: [sorri] Me lembre de alugar Perfume de Mulder mais vezes, quero aprender a dançar daquele jeito.
Scully: Não sei não, Mulder. E se vc começar a se encantar com aquela loira do filme?
Mulder: [bebe o vinho]Acho difícil, Scully. Somente ruivas me encantam.
Scully[levanta a sobrancelha] Ruivas?
Mulder: Bem, uma só que voc~e conhece muito bem.


.Os dois voltaram a rir. O prato principal foi posto e eles comeram em silencio. Mulder ealmente era um bom observador. Scully ficou contente em saborear o prato que ela mais gostava. Era realmente uma noite de sonho. Recolhidos os pratos, eles voltaram a uma conversa despretenciosa sobre suas vidas e impressões. Ambos estavam muito felizes com este fim de semana e com o tempo em que estavam juntos. Sorrindo, Mulder fez um sinal para um dos graçons. Vendo a pergunta no rosto de sua amada, ele apenas lhe sorriu.

Mulder: A sobremesa.
Scully: Não acha que já comemos demais?
Mulder: [sorri] E vai perder a sobremesa que mandei fazer especialmente para você? Seria uma grande desfeita.
Scully: Depois não reclame dos meus quilinhos a mais.
Mulder: [sussurrou baixo] Posso lhe garantir que farei você perder esses quilinhos a mais em poucas horas.
Scully: [sorri maliciosa] Poucas horas?
Mulder: Desculpe, muitas e muitas horas.


.Os dois começam a rir. Seus pratos vieram tampados e somente o de Mulder foi retirado. Scully estranhou e percebeu que seu namorado parecia nervoso. Olhando para ela, ele acenou para o parto dela. Scully sorriu e destampou a porcelana. Para sua surpresa, uma caixinha de veludo azul marinho estava fechada. Ela voltou a olhar para Mulder, que lhe olhou terno. Levantando-se da cadeira, ele foi até ela, ajoelhou-se e tomou a caixinha nas suas mão.

Mulder: Eu sei que nesse momento qualquer palavra que seja dita não é suficiente para descrever o amor que sinto por você, Scully. Uma retrospectiva desde o momento que nos encontramos agora também seria pouco para te mostrar o quanto você significa para mim. A única coisa que sei é que eu te amo e quero ter você ao meus lado por toda a vida. [abre a caixinha que contem um lindo diamante 24 quilates, rodeado por pequenas pedras de esmeraldas] Dana Katherine Scully, você me daria a honra de dividir sua vida comigo e se tornar a minha esposa para sempre?

.Scully estava um pouco catatônica, mas seus olhos diziam tudo que Mulder precisava ouvir. Uma lágrima caiu suavemente pelo rosto dela, que balançou a cabeça suavemente em positivo. ela saiu da cadeira, se ajoelhando em frente a ele, que também chorava emocionado.

Scully: [chorando feliz] Sim, Mulder. Eu aceito.
.Os dois se abraçaram e deram um beijo suave. Tirando o anel da caixinha, Mulder o colocou suavemente no dedo dela dando um suave beijo na mão direita. Os dois ajoelhados voltaram a se abraçar e o som de aplausos ecoaram pelo salão. Eles se levataram e sorriram a todos que presenciaram a união mais bonita que já viram. um dos garçons trouxe duas taças de champagne, para que eles brindassem. Definitivamente, não era um jantar de sonho, mas uma maravilhosa realidade.

. Caminhando pelo corredor até o elevador, Scully sorria suavemente, encantada pelo anel em sua mão. Eles aguardaram abraçados até a chegada do mesmo, para ir a seu quarto. Mulder abaixou o rosto para dar um suave beijo na testa de Scully que lhe sorriu.



(continua...)

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jun 02, 2009 10:08 pm

cont

Mulder: Então amor, vamos reunir as famílias???

Scully: Como?

Mulder: Estava pensando em organizar um almoço de domingo lá em casa, assim nossas famílias se conhecem melhor. O que você acha?

Scully: Eu acho que você esta com medo da minha mãe. Hahahaha!!!

Mulder: Eu com medo? Nunca!

Scully: [Olha para ele com a sobrancelha levantada... ]

Mulder: Tudo bem, eu não estou com medo, só um pouco apreensivo.

Scully: [sorrindo] Meu amor você sabe que não precisa ficar assim, meu coração você já tem [beija-o]

Mulder: Você também tem o meu, te amo [beijooo]

Scully: Eu te amo. [beijooo]

Mulder: Então ficamos assim, no próximo final de semana almoço na minha casa para apresentar as famílias.

Scully: [sorri] É, aproveite que Bill Jr não está por perto.



[A semana se passa tranquilamente, Mulder e Scully passam todo tempo livre que conseguem juntos e planejando o encontro entre as famílias]



Casa da Família Mulder
08:30 a.m


. Scully e sua mãe sentaram-se próximo ao Sr.º William nas cadeiras da varanda da casa.

Bill Mulder: Sabe Dana, meu filho mudou muito depois que te conheceu.
Meggie Scully: Mudou? Como assim mudou?


Scully: Sim, como ele mudou?
Bill Mulder: [ri] Ele era muito largado, sabe? Não se preocupava tanto com a filha e nem com os sentimentos dele mesmo, às vezes.


Meggie Scully: Era de se esperar de um rapaz novo.

Scully: Mãe! [Olha para sua mãe] Desculpe Sr.º Bill continue.

Bill Mulder: Sim, ele achava que não tinha direito a um novo amor depois do que aconteceu com a mãe da Emily. Ele teve algumas namoradas. Mas nenhuma nunca eram boas o suficiente como a ex-esposa. Ele nunca apresentou nenhuma à Emily. E é por isso que te digo Dana, você conquistou o coração do meu menino.

Scully: [sorri]

Bill Mulder: [sorri] E sinceramente, eu acho isso fantástico porque você é uma boa garota. E merece ser feliz, e tenha a certeza de que meu filho irá te conceder essa felicidade, pois quando Mulder se apaixona ele se entrega completamente. Eu fui um incentivador pra que ele saísse mais e conhecesse novas mulheres, as poucas que ele namorou eram conhecidas e foram relações apenas carnais. Necessidade masculina, entende?


Meggie Scully: Espero que seja isso mesmo, Dana merece o melhor.

Scully: [Sorri ao ver o duelo entre sua mãe e Bill Mulder]

Bill Mulder: Sim, esses dois merecem o melhor e posso afirmar amor ... [olha pro céu] amor ele está sentindo agora. [olha pra Scully] Com você Dana.

Scully: E eu também, Sr.º Bill. [suspira] Eu já sofri muito por amor nessa vida, muito mesmo; e nunca eu havia sentido esse sentimento tão forte dentro do peito.

Bill Mulder: Vocês foram feitos um para o outro, basta observá-los ... Está escrito na testa de vocês o quanto se amam. É impressionante ver como meu filho te trata com tamanho carinho e atenção. Podemos estar todos conversando tranqüilamente - inclusive o Mulder - mas quando você chega, ele esquece de todo mundo e fica dando atenção somente pra você!

Scully: [ri] Não é verdade, Sr.º Bill.

Bill Mulder: É sim! Você que ainda não percebeu, mas eu já percebi há muito, minha filha.


Meggie Scully: Faço votos para que tudo isso seja verdade. Minha filha merece ser feliz.
Scully: [ri]


. Eles ficaram conversando até Emily acordar e quando isso aconteceu eles foram ver alguns programas na tv, esperando Mulder.




. Quando Mulder chegou e todos eles foram para a mesa da enorme sala de jantar. Mulder sentou-se ao lado de Scully e de frente pra Emily, tendo seu pai sentado no lugar do anfitrião e a Sr.ª Scully ao lado de Emily. O café da manhã foi muito divertido apesar de Mulder estar preocupadíssimo sentia que algo ia acontecer. Scully percebeu a inquietação do namorado e ficou cheia de chamegos e selinhos.

Scully: [falando bem no ouvido de Mulder] Amo ver seu sorriso.

Mulder: [Sorri]

Scully: [Cochichando com ele] Tudo vale à pena quando eu vejo isso ... [olha o sorriso dele]

Mulder: Eu fico sem graça.

Scully: E eu fico mais apaixonada. [sorri]

Bill Mulder: Cofcofcof... [Tosse propositalmente] *Esses dois...*

Scully: [olha para o sogro, sem graça]

Mulder: [ri da cara dela]

Bill Mulder: Mulder, posso falar com você um segundo? [levanta-se]

Mulder: Claro, pai. *O que vem agora?*



. Escritório



Bill Mulder: [senta-se em uma cadeira do escritório]

Mulder: O que quer, pai? [senta-se]

Bill Mulder: Conversar sobre a Dana.

Mulder: Pode falar.

Bill Mulder: Você está apaixonado por ela, não é filho?

Mulder: [suspira] Muito.

Bill Mulder: [sorri] Eu suspeitei. Ela é uma boa menina e não quero que você a faça sofrer como fez com a ...

Mulder: [Interrompe] Pai, eu estou apaixonado pela Scully. Não é o mesmo sentimento que eu nutri por aquela mulher.

Bill Mulder: Eu espero Mulder. Eu realmente espero.


. Depois da conversa com o pai Mulder, Scully, Emily e a Sr.ª Meggie Scully ficaram a manhã toda conversando admirando a alegria de Emily em ter uma família reunida.

. Quando chegou a hora do almoço Scully teve uma surpresa porque Mulder pediu que a cozinheira fizesse lasanha, prato preferido dela.

Mulder: [cochichando com Scully] Gostou do cardápio?

Scully: Uhum, por quê?

Mulder: Porque eu pedi que fizessem especialmente pra você, meu amor. [sorri]

Scully: [olhos brilhando] Sério?

Mulder: Mas é claro, amor. [selinho] Adoro te agradar!

Scully: Te amo! [passa o polegar pelos lábios dele]

Mulder: [sorri] Te amo mais.

Meggie Scully: O casal 20 poderia me passar a travessa de arroz?

Scully: [Se afasta um pouco de Mulder] Mãe!

Mulder: [Passa a travessa para ela] Aqui está.

Meggie Scully: [Se levanta para pegar a travessa] Não se esqueça que tem outras pessoas em volta...

Bill Mulder: [Abaixa a cabeça para esconder o riso].




. Após o almoço Mulder sobe para seu quarto e vai pra sacada, seguido por Scully.

Scully: Mulder?

Mulder: [apóia as mãos nas grades da sacada e abaixa a cabeça]

Scully: [coloca as mãos nas costas dele] O que foi?

Mulder: Nada amor ... [vira-se a abraçando] Estava com um pouco de dor de cabeça, nada mais.

Scully: Não fique assim, foi algo que minha mãe disse?

Mulder: Não, que isso. Estou apenas cansado, ando trabalhando muito ultimamente.

Scully: [O abraça, mudando o assunto] Quer vir para o lago?

Mulder: Desculpa amor, quero ficar aqui, tô com dor de cabeça.

Scully: Então eu fico com você. Vem deitar.

.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Dom Jun 14, 2009 1:12 pm

>>>CAPITULO 18




. Scully colocou Mulder deitado na cama, pegou um analgésico na bolsa e deu pra ele.

Mulder: Deita comigo. [abre os braços]

Scully: [sorri e deita-se]

Mulder: A porta tá trancada?

Scully: Tá, por quê?

Mulder: [ri] Por nada. [beija a testa dela]

Scully: Nem vem com essa de 'por nada', Mulder! O que você tá pensando?

Mulder: Nos encontramos às 21h no lago e eu te conto.

Scully: 21h? Tá louco?

Mulder: [ri] Tô. [a beija]

Scully: Amor, tô sentindo uma peninha ...

Mulder: De quem?

Scully: Não, de ninguém. É da lasanha. Não comi quase nada e você mandou fazer pra mim.

Mulder: [ri] Comilona!

Scully: [ri]

Mulder: Eu vou lá embaixo rapidinho e peço que preparem nossos pratos e tragam aqui, o que acha?

Scully: Ótimo. [sorri]

Mulder: Humm [aperta as bochechas dela] que gracinha!! [selinho] Já volto! [levanta da cama e sai]



{flashbacks}

XxX : Mulder???

Mulder: [se assusta e dá um pulo da cama] Eu posso explicar!!

XxX : EXPLICAR? [começa a chorar] EXPLICAR, Mulder? Meus olhos já viram o suficiente. Você está me
traindo. ME TRAINDO, Mulder! [desesperada]

Mulder: É, é isso mesmo. [gesticulando e falando alto] Você achou o quê? Que eu fosse ficar com você pra sempre? Pelo menos a Diana me satisfaz!

XxX : [falando com um fio de voz] Mulder, eu te amo, sabia? Realmente achei que você fosse um rapaz diferente dos outros, que não se interessasse tanto por sexo. [engole o choro] Mas eu me enganei, não é? Você é pior que todos! [sai, batendo a porta]

Diana: [o abraça por trás] Calma.

Mulder: Foi melhor assim, eu não sabia como terminar com ela mesmo.

Diana: Vem [puxando-o pra cama] vamos conversar sobre o nosso casamento.

Mulder: Esse dia ainda vai demorar.

Diana: Mas você me pediu em casamento, então é certo que ele chegue, demorando ou não.

Mulder: [ri] Linda. [acaricia os cabelos dela] Te adoro.

Dianta: [sorri] *Você me adorando e eu te amando, Mulder ...*

{Fim flashbacks}



Mulder: [dá um tapa na própria testa] Porque meu pai foi me lembrar dessa mulher? Porque? Agora essas lembranças ficam indo e voltando. Ah, meu Deus, a comida. [desce as escadas como um foguete]

...........................


#Celular

#Scully: Que bom, Mônica.

#Mônica: Estou animada pra conhecer minha sobrinha!! [ri]

#Scully: [ri] Sua louca!!

#Mônica: O Mulder taí?

#Scully: [ouve a porta se abrindo] Acabou de entrar. [tapa o fone e fala com Mulder] É a Mônica.

Mulder: Ela já está vindo? [senta na cama, com a comida]

Scully: Eles acabaram de sair de casa.

#Scully: Estamos esperando por vocês, se precisar liga, tá?

#Mônica: Tudo bem mana, vou desligar. Manda um beijo pro remédio.

#Scully: MÔNICA!

#Mônica: [gargalha] Byeee! [Desliga]

Mulder: Que foi? [ri]

Scully: A Mônica que fica insistindo em te chamar de remédio. [gargalha]

Mulder: Me lembrei da primeira vez que ela disse isso, eu boiei

Scully: [larga o celular na cama] Olha, a lasanha tão desejada, esperada e idolatrada.

Mulder: Nossa, a lasanha tá com mais moral que o namorado.

Scully: Aham. [comendo]


. E continuaram ali comendo e conversando.

. Scully acabou cochilando e Mulder ficou observando-a por algum tempo até que Hanna veio lhe avisar que Mônica e Charles haviam chegado. Ele desceu para recepcioná-los e depois lhes mostrou os quartos em que ficariam.

. Era noite de sábado, todos desceram pra jantar às 19hs. O jantar foi animado pela presença dos dois novos convidados. Mônica e Charles não pouparam os outros de suas piadas e gracinhas, até mesmo Meggie que estava séria durante o dia deu umas risadas. Depois do jantar, Mulder lembrou Scully do tal encontro às 21h no lago. Ela foi então arrumar-se.

Scully: [cantarolando no banheiro, tomando banho] Você é algo assim, é tudo pra miiiiim, é mais que esperava baby!! Você é mais do que seiii, é mais que penseeei, é mais que eu sonhaaava baby!! [ouve um barulho vindo do quarto e cessa o canto] Mulder, é você? [mira a porta e vê um homem saindo do quarto] Mullddeer? [não houve resposta e ela continuou o banho]

. Mais tarde, Scully desceu encantadora e encontrou Mulder esperando por ela na sala.

Mulder: *Lindaa!!* Vamos? [sorri]

Scully: Vamos.

Mulder: Curiosa?

Scully: Um pouco. *COMPLETAMENTE.*

Mulder: Acho que vai gostar. [a envolve pela cintura e saem]



. No caminho Scully perguntou a Mulder se ele havia ido ao quarto enquanto ela tomava banho, ele disse que não e isso a deixou confusa, mas tratou de esquecer e se concentrar no amado que estava bem ao seu lado.

. Eles chegaram ao lago e Mulder sentou-se com Scully no pequeno deck que havia lá. Ele pediu que ela esperasse e voltou alguns metros por onde eles haviam andado.



Mulder: [volta com algo nas mãos]

Scully: [surpresa] Você toca?

Mulder: Uhum. Você gosta?

Scully: [olhos brilhando, olhando os dele] Amo. Toca alguma coisa pra mim?

Mulder: Era a minha intenção desde o início. [sorri e se ajeita com o violão]

Scully: [morde o lábio inferior e fica atenta aos movimentos dele]

Mulder: Sabe, o meu coração guarda um tanto de amor [começou a cantar meio tímido]

Scully: [Apoiou o cotovelo na coxa, colocando a mão no queixo e ficou observando Mulder]

Mulder: É o fruto do que você semeou
você pode regar, que o que der é só teu
benza Deus que você apareceu [Scully se emocionou]
tive um sonho ruim, vi você me deixar
tava meio sem jeito de falar
que bom poder desabafar

teu amor me mudou [Mulder ficou mais seguro de si e a olhou profundamente]
fez o homem que eu sou
sabe dar tudo o que eu quero
você me trouxe a paz [Mulder pronunciou bem essas palavras]
mal de amor nunca mais
quero amor eterno


Mulder: [olhando-a e sorrindo] E aí, como me saí?

Scully: [sorri e senta-se do lado dele] Muito bem. [silêncio]

Mulder: [Olha os lábios de Scully e os beija em seguida]

Scully: Porque escolheu essa música?

Mulder: Porque conta a nossa história.

Scully: Então, meu amor te mudou? Em que sentido?

Mulder: Todos.

Scully: [sorri] Seja específico.

Mulder: Eu não sei como dizer ... não consigo encontrar palavras.

Scully: Promete que quando tiver pronto, vai me dizer?

Mulder: Sim, minha linda. [segura o queixo dela] Amo você.

Scully: [sorri e o beija]

Mulder: Lembra de quando estávamos jantando pela segunda vez, e você me perguntou qual era o sentido da vida pra mim?

Scully: [olha pra baixo, tentando lembrar] Acho que ... [olha os olhos dele] sim eu lembro. Engraçado você ter lembrado.

Mulder: [sorri] É.

Scully: Então, qual é?

Mulder: O sentido da vida pra mim é amar, amar você.

Scully: [encosta sua testa na dele] Não sei como você conseguiu a façanha de me conquistar.

Mulder: [sorri]

Scully: Só sei que foi de verdade, foi pra sempre. [coloca as mãos na nuca dele, puxando carinhosamente os cabelos de Mulder]

Mulder: [tira os cabelos dela do rosto e os segura atrás das orelhas, a olhando e a beija] Viemos ao lago e não vamos nadar um pouquinho?

Scully: E esse lago não é só decorativo?

Mulder: Não, a idéia foi para diversão, e fique tranqüila que a água é tratada.

Scully: Só um pouquinho então. [sorri e se levanta] Deve estar gelada. [olhando a água]

Mulder: Isso é. [coloca um dos braços na cintura dela] Mas não vamos saber se não pularmos, não é?

Scully: É. [olha pra Mulder e depois pra água]

Mulder: Já que é assim ... [empurra Scully e começa a rir]

Scully: [fica uns segundos submersa, vem à tona e passa as mãos nos cabelos] Tá muuuuuito gelada! VOCÊ ME PAGA! [esfregando os braços]

Mulder: Vamos ver agora se está mesmo fria ou se você é fresca!! [mergulha]

Scully: [ri]

Mulder: [volta à superfície] NOOOOOOOOOOOSSA! Parece que a gente tá dentro de um freezer! [se encolhe]

Scully: Eu disse!!! Mas vem cá que eu te esquento (66) [gargalha]

Mulder: Ah, é? [puxa Scully, abraçando e beijando]

Scully: [não consegue parar de rir]

Mulder: [grita] TE AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Scully: EU TAMBÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉM!!! [ri]



. Mulder tirou a camiseta dele, olhando nos olhos de Scully, ela começou a beijar todo o peito e tórax dele, dando mordidinhas. Mulder tirou lentamente a blusa que Scully estava usando, olhando fixamente pros seios enrijecidos dela ficando cada vez mais excitado. Ele começa a subir sua mão por dentro da saia dela, e arranca a calcinha dela de uma vez, acariciando a intimidade dela, logo depois tira a saia e Scully logo tira a calça e a cueca dele, ficando completamente nus. Scully logo beija Mulder, um beijo cheio de paixão e desejo. Mulder a levanta pela cintura, Scully envolve a cintura dele com as pernas, colando seus corpos, sem separar seus lábios. Mulder logo a penetra, e ambos soltam um gemido de prazer, Mulder ia beijando seus seios dando vários chupões e ela ia gemendo cada vez mais. Eles ficaram por um tempo se amando ali naquele lago com água muito gelada, que agora estava muito quente por sinal, até chegarem ao clímax.

. Eles ficaram até depois da uma da madrugada por lá, quando resolveram voltar pra casa e dormir, pois estavam muito cansados. Eles foram andando calmamente e quando passavam pela área do jardim, ouviram uns gritinhos e uns gemidos estranhos.............



Scully: Vamos lá ver o que é?

Mulder: Não Scully, deve ser algum casal se divertindo. [ri]

Scully: Ahn? Que casal existe aqui? Será que é a Mônica e o Charles? [arregala os olhos]

Mulder: Deve ser algum empregado.

Scully: No meio do jardim?

Mulder: Cada um com suas taras.[recomeçam a andar]

Scully: Você tem alguma fantasia, Mulder? [Sorri maliciosa]

Mulder: Tenho uma do batman que eu usei numa festa ano passado [ri] ela tem um morcego enorme desenhado na frente e vem junto com uma máscara assim. [faz o modelo da máscara no rosto] É muito maneira!! [ri] Mas porque a pergunta?

Scully: [levantando o olhar] *Tonto!* Você achou mesmo que era desse tipo de fantasia que eu falava Mulder?

Mulder: E não era, Scully?

Scully: Esquece. [começa a andar mais rápido]

Mulder: *O que será que deu nela? Fantasia...fantasiaaa! CLARO!* Scuuuully [a alcança], entendi a pergunta! [ri]

Scully: Três anos depois.

Mulder: Desculpa amor, eu sou ingênuo às vezes. (a)

Scully: Bem às vezes, né?

Mulder: É. [ri] Mas então, fantasias eu tenho muitas.

Scully: Quais?

Mulder: Tipo assim ... de [gesticula] você sabe ...

Scully: Fazer amor?

Mulder: É ... tipo no elevador, na mesa da cozinha, no banho, no meio da madrugada assim de repente, ahn ... [pensa] e algumas posições também que eu não vou falar.

Scully: [gargalhando] Porque eu fui perguntar?

Mulder: O que é engraçado?

Scully: Você é muito TARADO³! [ri]

Mulder: Quem pergunta quer resposta.[chegam na varanda da casa]

Scully: Vamos encerrar esse papo pervo e vamos dormir. [entra]

Mulder: [entra atrás dela, rindo sozinho]

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jul 07, 2009 11:53 am

>>>CAPITULO 19


. Mulder sentiu os primeiros raios de sol da manhã invadirem o quarto; ele observou Scully dormindo serenamente ao seu lado, levantou-se e foi até o banheiro. Ele lavou o rosto e desceu até a varanda; deitou-se em uma rede e ficou pensando na vida.

. Scully acordou alguns minutos depois, bocejou profundamente enquanto ia até o banheiro; tomou um banho e logo desceu. Mônica havia acordado cedo também e se encontrava na cozinha tomando o café da manhã e Charles dormiu um pouco mais naquele dia, pois estava muito cansado e não desceu pro café.

. Estavam todos reunidos à mesa, com exceção de Charles, Emily e Bill Mulder. O café correu normalmente, tirando os olhares de desaprovação que Meggie Scully lançava a sua filha.

. Bill Mulder e Emily acordaram logo depois tomaram o café da manhã e foram para o jardim colher flores, Meggie Scully foi junto conhecer o jardim, pois estava encantada com a beleza das flores. Charles acordou quando todos os outros já haviam tomado café da manhã e sentou-se na cozinha para se alimentar.


Mulder: [senta-se na mesma rede em que Scully estava deitada] O que acham que devemos fazer hoje meninas?


Mônica: Ahn ... [notando o clima] eu a-adoraria apenas ficar relaxando sem nada pra fazer...

Scully: [sorri] Eu também adoraria, mas acho que vou caminhar agora, esse jardim é tão lindo. [levanta-se dando um selinho em Mulder] Alguém se habilita?

Mulder: Não olha pra mim.

Mônica: Nem pra mim. [ri]

Charles: Muito menos pra mim.

Scully: Chatos, eu vou sozinha! [sai]

Mulder: [deita-se na rede onde Scully estava] Como é bom não fazer nada.

Mônica: [balançando-se em uma cadeira] Excelentemente bom. Mulder, e o Frohike não vem?

[size=13]Mulder: Ele disse que vem amanhã.

Charles: Que interesse é esse Dona Mônica???

Mônica: Que isso meu amor, o Frohike é o melhor amigo de Mulder quase irmão como o próprio diz [olha para Mulder que esconde o riso] só pensei que deveria estar aqui.

Charles: Ah, tá. [enciumado]

Meggie: [entra em casa]

Mulder: Aconteceu algo Sr.ª Scully. [Apreensivo]

Meggie: Não meu querido, vim apenas tomar um pouco de água. [Sorri]

Charles: Hummm... [Ri] já caiu nas graças da D. Scully...


Mônica: [rindo] Parabéns, não é fácil conquistá-la tão rápido.

Mulder: Por que será que eu fiquei com medo agora....


. Bill Mulder estava colhendo algumas rosas enquanto Emily brincando ia se afastando .....


Mulder: Está gostando do escritório, Mônica?

Mônica: Muuuuito! Aquele lugar é excelente! As pessoas são ótimas e meu primeiro trabalho Está sendo fabuloso.

Mulder: É? Os McFlly sempre foram um pé no saco comigo!

[size=12]Mônica: [ri] O senhor McFlly está sendo muito gentil.



Mulder: Eu sabia que ele tinha tara por meninas mais novas.



Charles: Hey! Eu estou aqui, não estão me vendo, não?

Mônica: Que isso, amor o Mulder está apenas brincando e ele é casado!



Charles: Tudo bem, e não vão perguntar como estou me saindo com a editora depois que a Dana abandonou o cargo? [zangado]

Mônica: Tudo bem, conta como está se saindo com Skinner no seu pé.



Mulder: [Ri] Iiih... Tem um guarda no seu pé...



Charles: Não é nada disso...



. No jardim



Bill Mulder: [olha ao redor] Cadê a Emily, Jhon? [pergunta a um empregado que cuida do jardim]



Jhon: [olha também] Ela tava ali agorinha.



Bill Mulder: Emiiiilly!! [grita] EMILY! [sai andando e procurando] EMIILY!

. Bill Mulder procurou Emily por todos os lados mais próximos da onde estava, mas o tempo passava e nada dela. Ele voltou pra casa, lá ele explicou tudo à Mulder que quase teve um ataque cardíaco. Mônica pontuou que talvez ela tivesse encontrado Scully e as duas poderiam estar caminhando juntas e isso fez Mulder ficar um pouco mais calmo, mas mesmo assim ele pediu à aos empregados que encontrassem Scully e Emily.

. Mulder entrou pra beber água e todos ficaram conversando na varanda. Depois de 20min, Scully chegava.


_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jul 07, 2009 12:15 pm

Mônica: E a Emily, Dana?



Scully: Emily? Eu não a vi, por quê?



Bill Mulder: Ela sumiu. [disse isso e imediatamente entrou pra avisar Mulder]




. Mulder ficou altamente preocupado e chamou todos os empregados possíveis e saiu com eles e Charles pra procurá-la, deixando Mônica, Scully, Meggie e Bill Mulder em casa.

. A noite chegou e Emily continuava desaparecida. Bill Mulder foi atrás do filho e rapidamente o encontrou.

Bill Mulder: Mulder acho melhor você vir comigo pra casa!!



Mulder: Não vou enquanto não achar minha filha!



Bill Mulder: Você não comeu nada o dia todo, Mulder! VEM COMIGO!



Mulder: [grita] EU NÃO VOU!! [começa a chorar] MINHA FILHA ESTÁ PERDIDA POR AÍ. EU NÃO VOU DEIXAR QUE NADA ACONTEÇA Á ELA! NADA, PAI!



Bill Mulder: PELO AMOR DE DEUS! Deixe que os empregados continuem a procurá-la, você come alguma coisa, descansa e amanhã nós continuamos. [segura Mulder pelos braços]



Mulder: [grita e se solta do pai] EU JÁ DISSE QUE NÃO VOU, DROGA!!



Charles: [chega sem fôlego até Pedro e Luciano] Trago notícias. [recuperando o ar]



. Agora todos estavam reunidos na sala. Mulder andando de um lado pro outro, nervoso. Scully andando atrás dele com um copo d'água insistindo pra que ele bebesse. Meggie sentada mais afastado, olhando pra algo invisível. Bill Mulder sentado à mesa da sala de jantar, tentando pensar. Charles sentado ao lado de Mônica, tentando se manter calmo pra deixar todos mais calmos. Uma hora se passa e todos na mesma. Um silêncio constrangedor ...

Mulder: [com um fio de voz] Quando eles vão ligar, meu Deus? [senta-se]



Scully: [chorando] Eu não sei ... [acaricia as costas dele]



Mônica: Eles disseram que ligavam em meia hora.



Charles: [olha o relógio] Já passou mais de 1h.



Mulder: [coloca as mãos no rosto] Eu não acredito que isso tá acontecendo comigo.



Scully: Calma, amor. Tudo vai dar certo.



Mulder: [olha pra ela, suplicando por uma luz] É tão complicado, amor. [encosta-se no sofá, de olhos fechados]


. Já passava da meia-noite e nenhum contato. Charles estava tentando comer alguma coisa e fazer com que Scully e Mulder fizessem o mesmo. Bill estava na varanda, quieto ... sofrendo sozinho. Meggie estava agora ao lado do telefone.



- trimtrimtrimtrim;




#Meggie: Alô?



Muler: Me passa esse telefone, por favor.



Scully: Calma amor!!



#Meggie: Não, eu não sou parente dela. Um minuto. Mulder?



#Mulder: Quem tá falandoo?



#XxX: Você não está sozinho, quero que fique sozinho.



#Mulder: Eu estou sozinho.



#XxX: NÃO ESTÁ! Eu posso te ver então nem tente me enganar. FICA SOZINHO!



#Mulder: [tremendo e olhando ao redor, procurando algum sinal]
- Vocês precisam sair. Ele quer que eu fique sozinho, ele consegue nos ver.



Scully: [coloca a mão na boca, chocada com a situação]



Mulder: Por favor, saiam todos. [mira Carla carinhosamente]
[todos saem]



#XxX : Ótimo. Por baixo da porta está sendo colocado um bilhete. LEIA. [desliga]



#Mulder: ALÔ???



Mulder: [vai até a porta e pega o tal bilhete]


Emily está conosco agora, para ter a menina de volta é só deixar uma sacola com U$450.000,00 dólares na frente da casa abandonada na ultima rua do bairro até o meio-dia de amanhã. Caso contrário, sua filha estará morta as 12:01h.




Mulder: [vai até o sofá, chorando desesperado] Não vai dar para arranjar essa quantia em tempo suficiente. Meu Deus! ME AJUDA!! O que eu faço ... [cobre o rosto com as mãos e chora muito]



Scully: [desce as escadas rapidamente] Mulder!! [corre até ele no sofá] O que aconteceu?



Mulder: [a olha com um olhar tão triste que golpea a alma de Scully] Eles querem dinheiro. [quase sem voz alguma] Ou vão matar minha filha.



Scully: [somente o abraça, também chorando]


. Logo Bill, Megie, Mônica e Charles desceram pra sala e viram a cena, Mônica começou a chorar vendo o rosto da amiga encharcado de lágrimas. Charles a abraçou na hora e andou com ela até um dos sofás. Meggie apoiou-se nas escadas e ficou observando. Bill já tentava controlar o choro e sentou-se ao lado de Mulder.


_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Ter Jul 07, 2009 12:19 pm

Mulder: [olha o pai, com os olhos já vermelhos] A Emily, pai.



Bill: [abraça o filho]




. Bill e Mulder ficaram abraçados por alguns minutos, chorando. Scully se emocionou demais e subiu correndo às escadas, O que deixou sua mãe apreensiva que a seguiu. Ela foi direto pro banheiro e vomitou, sentia-se mal. Nunca havia sentido dor igual àquela. Ela saiu do banheiro e sentou-se na beira da cama, respirando fundo e passando as mãos na testa, que já estava molhada de suor. Seu coração estava mais acelerado do que o normal e suas mãos tremiam. Ela recostou-se na cabeceira, colocando as pernas esticadas sobre a cama. Ela sentiu seu coração vibrar e imediatamente colocou a mão sobre o peito. Não sabia o que sentia, mas não queria sentir nunca mais.



Meggie: Filha, o que está acontecendo com você? [Abraçando-a]

Scully: Não sei mãe, é uma dor horrível. [chora]

Meggie: Vai passar filha, vai ficar tudo bem.

Scully: Por que isso? Estávamos tão felizes e Emily é apenas uma criança...



. Na sala...



Mulder: Eu não sei como arranjar esse dinheiro! É domingo e os bancos estão fechados e amanhã ainda é Feriado! [olha pro alto] Senhor, me dê uma luz! EU PRECISO DE UMA SOLUÇÃO!



Bill: [tentando ficar mais calmo] Eu vou ligar Langly e ver se conseguimos reaver algumas aplicações financeiras até amanhã. Mas, de quanto estão pedindo o resgate, filho?

Mulder: [não diz nada, somente entrega o bilhete ao pai]



Bill: [fecha os olhos, respirando fundo]



Charles: Não seria melhor avisar à polícia?



Mônica: É, talvez seja uma boa solução. Se eles conseguem nos ver, talvez estejam com Emily junto deles, aqui perto.



Bill: O que acha, Mulder? Chamamos a polícia?



Mulder: [chorando desesperado] Eu não sei pai. Eu não consigo pensar, não consigo fazer nada ... [chora]



Mônica: Cadê a Scully?



Mulder: Meu Deus, Scully! [levanta-se olhando pra todos os lados]



Meggie: [descendo as escadas] Ela esta no quarto.



Mulder: [caminha até a escada e vira-se falando pra Mônica, Charles e Meggie] Me perdoem estar estragando o feriado de vocês. Desculpem-me, vocês não precisavam estar passando por isso. [algumas lágrimas descem do rosto dele e ele sobe as escadas vagarosamente, escorando-se no corrimão]



Bill: Eu vou avisar à polícia. Eu tenho um conhecido que é investigador, talvez ele possa nos orientar.



Charles: Acho melhor o senhor pegar o telefone e ir pra um cômodo afastado das janelas, pra que eles não desconfiem de nada.



Bill: Tem razão. [pega o telefone e vai pra cozinha]

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Sex Jul 24, 2009 12:48 pm

» Capítulo 20



. Mulder chegou no segundo andar e andou direto até o quarto onde ele e Scully ficavam. A porta estava entreaberta e as luzes apagadas, mas com a iluminação natural vinda da lua e das estrelas, ele avistou Scully sentada, com uma das mãos no coração. A luz da lua estava diretamente sobre o rosto dela e ele pôde notar algumas lágrimas descendo de seus olhos, sem que ela fizesse nenhum esforço.


. Ele decidiu entrar sem bater ou chamá-la e assim o fez. Mulder andou devagar e quase sem nenhuma força até a cama, sentando-se ao lado dela. Scully abriu os olhos ao sentir a respiração dele e sentiu o coração apertado ao ver a tristeza no olhar do namorado. Ele se esforçou e deu um sorriso triste, entrelaçando suas mãos nas dela em seguida.


. Scully apertou as mãos dele, como se assim transmitisse toda a força necessária pra ele naquele gesto apenas. E o abraçou, segurando a cabeça dele contra seu corpo, como se fosse à última vez que se abraçariam. Ele chorou nos braços dela ... chorou como se tudo estivesse perdido, acabado. Scully apertou os olhos com força, tentando fazer com que toda àquela dor desaparecesse! Mas ela voltou a abri-los e ali estava ela; toda a dor não havia sumido.


. Ela afagava os cabelos castanhos de Mulder, unindo seus corpos, seus choros, seus medos e suas almas. Era uma imagem triste, completamente arrasadora. Quando tudo aquilo passaria? Quando voltariam à vida? Quando?


Bill Mulder: [voltando à sala] O investigador disse que o melhor era termos avisado à polícia no primeiro contato. Mas como não o fizemos, eles estão quase que de mão atadas. Ele vai mandar a delegada responsável pra cá agora mesmo. Ela vai entrar pelos fundos, já que supomos que eles estão vigiando a entrada da casa.

Mônica: Oh, meu Deus.

Bill Mulder: Ela vai vir com um pessoal, eles vão rastrear as próximas ligações dos seqüestradores, pra vermos se ele está ligando aqui perto mesmo ou se alguém passa as informações pra ele.

Meggie Scully: Que não demorem muito.

Bill Mulder: Temos que salvar Emily! Nada é mais importante que isso.

Charles: E o que mais ele disse?

Bill Mulder: Basicamente isso. Ele disse que a delegada é quem vai conduzir o caso, não é da alçada dele.

Charles: Então só temos que esperar.

Bill Mulder: Esperar. [senta-se no sofá]


XxXxXxXxXxXxX



Scully: [ainda afagando os cabelos do amado] Tudo vai ficar bem. Tenha fé meu amor.

Mulder: É o momento mais difícil da minha vida. Eu daria tudo pra acabar com isso, pra acabar com o

sofrimento da minha menina. [chora]

Scully: [chora] Eu também, meu amor.

Mulder: [a olha] Me perdoa?

Scully: Pelo quê?

Mulder: Por estar fazendo você passar por isso. Se você tivesse com a Mônica e sua família, na sua casa ... você não estaria sofrendo agora.

Scully: Não se preocupe comigo. [acaricia o rosto dele] E saiba que eu vou estar do seu lado sempre que precisar. Em qualquer circunstância.

Mulder: Ah vida, eu não te mereço. [a abraça chorando muito]

. Mulder repetiu mais algumas vezes a frase 'eu não te mereço', deixando Scully nervosa. Ela não entendia o que ele queria dizer com aquilo, simplesmente não entrava na cabeça dela o que ele tinha feito que o levava à falar aquilo.

Scully: Tenta descansar. Deita um pouco amor.

Mulder: Fica aqui comigo? [suplicando com o olhar]

Scully: Claro que fico. Não te deixo por nada. [beija-o com ternura]


. Mulder já estava mais calmo quando Scully entrou no quarto. Ela acendeu as luzes, mas ele pediu que as deixasse apagadas. Ela foi até ele e lhe deu água, fazendo com que ele bebesse muita. Depois ela deixou a jarra e o copo no criado-mudo e sentou-se junto dele. Mulder apoiou a cabeça na dela e fechou os olhos, prestando atenção na própria respiração, tentando assim ficar mais calmo.


Hanna: Sr.º Bill. [adentrando à sala]

Bill Mulder: [vira-se] Sim, Hanna?

Hanna: Tem um pessoal na porta dos fundos, eles disseram que são da polícia.

Bill Mulder: [levanta-se num pulo] Mostre-os a sala de jantar, Hanna. Rápido!

Hanna: Sim, senhor. [sai]

Mônica: Graças à Deus chegaram. Eu vou subir. É melhor que tenha muitas pessoas envolvidas. Vamos Meggie.

Meggie Scully: Você tem razão minha querida, vamos sim [Olha para Bill] Não ouse em nos chamar se precisar. Estamos aqui para ajudar no que precisarem.

Bill Mulder: Tudo bem. [se aproxima dela] não hesitarei. Obrigado por tudo.

Meggie Scully: Que isso. [sobe as escadas acompanhada por Mônica]

Bill Mulder: Eu vou falar com a delegada.

Charles: Tudo bem, eu ficarei aqui para não levantar muitas suspeitas se estivem olhando.



. Na sala de Jantar


Bill Mulder: [entra na sala de jantar e vê alguns homens colocando aparelhos em cima da mesa, uma mulher os comandava] Com licença.

XxX : Sim, o senhor é o ... ? *O conheço ... ele é o; não pode ser.*

Bill Mulder: William Mulder, avô do menino. *Conheço essa moça ... *

XxX : Certo, senhor Mulder [estende-lhe à mão] Sou Marita.

Bill Mulder: Marita? Marita Covarrubias?

Marita: Eu mesma. [sorri] Agora sim, recordei-me do senhor. [fica alguns segundos em silêncio] Mas vamos ao que realmente interessa, esses são Hugh Jackman e Carlisle Cullen; eles vão nos ajudar à rastrear as ligações.

Bill Mulder: [faz um cumprimento com a cabeça aos homens e vira-se pra Marita] Vou chamar meu filho, acho melhor que você trate disso diretamente com ele.

Marita: Ok. [Bill sai]

Carlisle: Eu e o Hugh vamos buscar o restante no carro.

Marita: Vão lá, eu termino de ligar tudo aqui.

. No quarto de Mulder

Bill Mulder: [bate na porta entreaberta] Com licença. [entra] Desculpa atrapalhar filho, mas os policiais já estão aí.

Mulder: Tudo bem, pai. Eu já desço.

Bill Mulder: Ok. [sai e vai pra sala]

Mulder: Dana, fique aqui. Eu trago notícias.

Scully: Não, eu quero ir com você. [calçando os chinelos]

Mulder: Por favor, você já se preocupou demais comigo, agora [sorri e a coloca sentada na cama] é minha vez de cuidar de você. [selinho] Fique aqui.

Scully: [abriu a boca pra falar, mas foi interrompida por Mulder]

Mulder: Não aceito reclamações. [outro selinho] Fica tranqüila.

Scully: [ajeita-se na cama e olha Mulder saindo do quarto e fechando a porta]


.Na sala

Mulder: Onde estão?

Charles: Na sala de jantar.

Mulder: [entra na sala de jantar e se surpreende] Marita?

Marita: [com um cabo na mão] Fox Mulder. Não imaginei vê-lo tão cedo. [procurando onde encaixar o cabo]

Mulder: N-nem eu. [gaguejando]

Marita: Fique tranqüilo [sem olhá-lo] eu vou te ajudar a encontrar sua filha [finalmente encontra o local e encaixa o cabo] e depois [olha nos olhos dele] sumo da sua vida, como da outra vez. [sorri]

Mulder: Você está diferente.

Marita: Acho que podemos deixar essa conversa esclarecedora pra depois, não? Tenho que fazer meu trabalho aqui. [sentando-se e colocando um fone de ouvido] Quando foi a última ligação? [Hugh adentra à sala, acompanhado de Carlisle]

Mulder: [cumprimenta ambos] Há umas 4hs.

Marita: Foi você quem atendeu?

Mulder: Não, mas eles falaram diretamente comigo depois.

Marita: Certo, e o que disseram? [tira os fones e os entrega à Carlisle, que senta-se]

Mulder: [olhando o movimento dos três policiais] Disseram que conseguiam me ver e me mandaram pegar um bilhete por baixo da porta.

Marita: Posso ver o bilhete?

Mulder: Aqui. [entrega à ela]

Marita: [dá uma olhada rápida no papel] Hugh? [entrega o bilhete à ele]

Carlisle: Tudo preparado.

Marita: Ok. Mulder, vamos esperar a próxima ligação deles. É importante que você não se exalte e não os deixe nervosos. Tente não dar sinal de que estamos aqui. Precisamos que eles fiquem por pelo menos 50 segundos na linha para que rastreemos a ligação. Entendido?

Mulder: [meio zonzo] Acho que sim.

Marita: Então pode tentar se distrair. À qualquer sinal, lhe comunicaremos.

Mulder: Tudo bem, com licença. [sai do local meio atordoado]

Charles: E...? [levanta-se a o ver Mulder]

Mulder: Temos que esperar a próxima ligação deles. E nos manter calmos, sem dar sinal de que a polícia está aqui.

Charles: E a Dana?

Mulder: [senta-se] Está tentando dormir. Eu insisti pra que ela ficasse no quarto.

Charles: [senta-se] É melhor pra ela. Ela ficou um pouco tensa também.


.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Out 06, 2010 6:51 pm

>>>Continuação<<<
.

. Scully estava deitada na cama quando alguém entrou no quarto. Ele se aproximou e ficou olhando o corpo dela e em seguida a boca. Ele, meio receoso, passou o dedo indicador sobre a face de Scully, retirando uma mexa de cabelo que estava sobre o rosto dela.

Mônica: O QUE É ISSO?

Alex: [em um pulo se levanta e olha a porta] Nada.

Scully: [despertando] O que tá acontecendo? [abre os olhos lentamente] Mônica? Alex? O que ta acontecendo aqui?

Mônica: [Segue em direção a cama] Pergunta pra esse aí.

Alex: [Olha Scully, que também o olha]

Scully: E então Alex, o que fazia aqui?

Alex: Nada, eu já disse.

Mônica: NADA? Eu vi você acariciando ela.

Scully: [levanta-se] Ahn??

Alex: Eu só estava vendo se ela estava bem.

Scully: Não preciso de seus cuidados, por favor, saia daqui. [mostrando à porta pra ele]

Alex: [olha Scully e depois Mônica, saindo em seguida]

Sscully: [suspira e se senta]

Mônica: [senta ao lado da amiga] Ele gosta de você.

Scully: Não, não acho.

Mônica: Gosta, Dana!

Scully: Será? Ai senhor... [passa a mão na cabeça]

Mônica: Olha, não conta nada pro Mulder sobre isso.

Scully: Não aconteceu nada demais.

Mônica: Por isso mesmo, não precisa colocar coisas na cabeça dele.

Scully: Tem razão. Mas como ele entrou aqui?

Mônica: Algum empregado que ele suborna deve ter ligado avisando. Mulder não gostou nada quando ele chegou aqui... Mas você volte a dormir e tranque a porta dessa vez. [sai sorrindo]

Scully: *Será que ele gosta mesmo de mim?*


. Mônica voltou ao quarto depois de beber um copo de água na cozinha. Charles a acompanhou. Alex saiu pra varanda e lá ficou. Bill Mulder estava sentado nos degraus da escada. Mulder estava ao lado do telefone quando este tocou.

- trimtrimtrim;

Marita: [na passagem entre as duas salas] Atenda no terceiro toque e fique CALMO! Nós fazemos o resto.

Mulder: [assente]

#Mulder: Alô?

#x : Já tem o dinheiro?

#Mulder: Não sei como conseguir tamanha quantia!

#x : O aviso foi dado. [olha o relógio] Faltam menos de 10hs pra morte da sua filha então.

#Mulder: Espera! Onde eu vou arranjar esse dinheiro? É feriado...

#x : Isso não nos interessa! Queremos a grana!

Marita: [faz sinal de que estão quase lá]

#Mulder: Será que eu posso falar com a minha filha?

#x : Você falará com ela, amanhã as 12:01h. Você poderá muito bem ouvir o tiro que atingirá a cabeça dela.

#Mulder: [se desespera só de imaginar] NÃOOOOOOO!

#x : Isso te faz sofrer, não é? [risada maléfica] Esse é o bom do meu trabalho, o sofrimento das pessoas nos enobrece, sabia?

#Mulder: [chorando]

Marita: [faz sinal de 'ok', mas Mulder não percebe]

#x : Estamos mais que conversados. [desliga]

Mulder: [chorando muito, larga o telefone no chão]

Marita: Conseguimos. Hug chame o reforço. [vai novamente à passagem entre as duas salas]
- Senhor Willian Mulder?

Bill Mulder: Sim?

Marita: Por favor, acalme o Fox. Nós conseguimos a localização, é na outra quadra. Já temos aqui um mapa da região, logo o reforço chega e vamos dar início a negociação.

Bill Mulder: E o que nós fazemos?

Marita: O senhor e Fox aguardam as minhas instruções.

Bill Mulder: Ok. [se encaminha em direção ao filho o abraçando, que chora sem parar]


. Logo o reforço policial chegou e eles se posicionaram fechando todas as saídas da casa de onde vieram as ligações. Dois atiradores entraram na casa vizinha e se posicionaram najanela de um dos quartos, ficando assim com uma ampla visão do seqüestrador, prontos pra atirar a qualquer momento.


Marita: Está tudo preparado. Eu vou ligar pro número que identificamos e tentar conversar com ele.

Mulder: Ele?

Marita: Sim, já sabemos que é somente um. [pega o telefone]

#x : Como conseguiu esse número?

#Marita: Aqui é a delegada Marita Cobaiubs. [o homem se desespera] O senhor está cercado, não há saída. Nos entregue a menina imediatamente! [ouve o barulho da arma sendo engatilhada do outro lado da linha] Nem tente fazer nada contra a segurança da criança! Temos atiradores com você na mira!


. Só foi possível ouvir o barulho do tiro. Mulder ficou em choque e começou a querer correr em direção a saída da casa, sendo segurado pelo pai. Marita sentiu-se incompetente e saiu correndo da sala, indo para o carro e segue em direção a casa. Ao chegar lá ela se deparou com Emily encolhida pelo barulho, mas ela estava com uma aparência saudável. Os policias chegaram até a delegada, dizendo que o seqüestrador havia se suicidado e estava no segundo andar do local.

XXXXXXXXXX


. Imediatamente o local foi cercado pela policia e todos impedidos de entrar e sair. Em seguida chega à perícia médica para analisar o corpo e Dr. Carlisle examina a pequena Emily atestando que a criança esta em boas condições de saúde apenas com um abalo emocional evidente. Marita pegou Emily no colo, não conseguindo evitar as lágrimas ao ver que a menina parecia com Mulder.


Marita: *Ela poderia ter sido minha filha ... *


. Marita agarrou Emily como se fosse protegê-la de tudo e deu um beijo carinhoso na menina que finalmente sorriu. Ela foi caminhando até a casa; Mulder que estava tentando se desvencilhar do pai ficou parado olhando pra filha. Marita colocou a menina no chão e pai e filha correram um em direção ao outro, de braços abertos, ansiosos por um abraço.


. Todos, inclusive Dana, que havia se assustado com o barulho do tiro e havia descido pra sala, ficaram observando aquele momento tão doce. Finalmente tudo estava terminado; o sofrimento passou.


Mulder: Minha filha!! [segura o rosto da filha, olhando bem pra ela] Você tá bem? Te fizeram alguma coisa?

Emily: Nossa papai foi muito legal! O moço me deu essa boneca [mostra pra ele] e deixou eu ficar vendo desenho o dia todo! [ri]

Mulder: [olha surpreso pra filha e depois pra Marita]

Marita: Parece que ela não sabe de nada, Fox.

Mulder: Como? [olha a filha] Como assim?

Emily: Ele disse que eu ia te ver amanhã.

Mulder: E você não gostou de me ver hoje? [sorri]

Emily: Uhum. [abraça o pai]


. Marita conversou com Mulder depois e lhe contou o que descobriram; o seqüestrador havia deixado Emily isolada no porão, vendo desenhos e brincando; ele não a deixava ouvir as conversas ao telefone e sempre fazia questão de protegê-la pra que ela não tivesse traumas maiores dessa situação, o que levou a polícia à suspeitar que ele não mataria a menina, como ameaçara.


. Marita também tinha o palpite de que o seqüestrador pudesse ter um cúmplice que era conhecido da família, mas ela não disse isso à Mulder. E a investigação foi dada como resolvida; o seqüestrador morto e a menina de volta ao lar.


Mulder: Acho que a gente precisa ter uma conversa, Marita.

Marita: Não agora. Passe um tempo com a sua família, quando estiver pronto, me procure. [sorri] Boa noite, eu já vou. E tenha um ótimo feriado se possivel.

Mulder: [a abraça, deixando-a um pouco constrangida] Obrigado.

Marita: [sorri e sai]



. Todos foram dormir depois que aquele fatídico dia teve finalmente seu fim declarado. No dia seguinte Mulder acordou animado e pediu que Hanna fizesse um almoço especial, por Emily estar em segurança novamente.


Mulder: [entra no quarto com uma bandeja nas mãos e tranca a porta] Bom dia vida.

Scully: [se mexe na cama, sem acordar]

Mulder: Dorminhoca [apóia a bandeja no criado-mudo e acaricia o rosto dela] vamos acordar.

Scully: [sem abrir os olhos] Já amanheceu?

Mulder: Já é quase a tarde, senhorita. [sorri]

Scully: [ri] Tô com sono ainda. [se vira pro outro lado]

Mulder: [ri] Como você arranja tanto sono? Olha! Eu trouxe o café.

Scully: [se vira pra ele] Eeee!

Mulder: [gargalha] A única coisa que vence seu sono é a comida? Não acredito.

Scully: Eu tô com um pouquinho de fome. [ri]

Mulder: Chega pra lá [empurra Scully com o corpo e senta-se na cama]. Vamos comer. [pega a bandeja e coloca entre os dois]

Scully: [fica olhando o namorado]

Mulder: Que foi? [sorri]

Scully: Só tô olhando o quanto você é lindo. [acaricia o rosto dele]

Mulder: Cuidado pra não se assustar.

Scully: Larga de ser falso, você sabe o quanto é lindo.

Mulder: Eu só acredito porque você me fala, eu sei que você não mente. [ri]

Scully: [rouba um selinho dele]

Mulder: Sapeca.

Scully: Te amo. [sorri]

Mulder: Te amo mais.

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Thita

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 335
Idade : 33
Localização : VG - MT
Humor : Variavel
Data de inscrição : 06/03/2008

MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   Qua Out 06, 2010 7:40 pm

» Capítulo 21.
.
.
.
Um pouco antes do almoço, Langly chegou e ficou pasmo com a história do seqüestro e ficou ainda mais pasmo ao saber que a delegada era Marita, pessoa que ele muito bem conheceu quando ele e Mulder estavam na universidade.

Langly: O que aconteceu, Mulder?
Mulder: Nada, ela e eu não falamos abertamente sobre nada.
Langly: Caraaa! [de boca aberta] Que coisa, Mulder.
Mulder: Destino, Langly. Eu sabia que iria reencontrá-la cedo ou tarde. Foi uma coisa não resolvida no meu passado, e quando as coisas não ficam bem resolvidas, elas voltam.
Langly: Espero que não com força total.
Mulder: Como assim?
Langly: Arrasando o que você construiu depois dela.
Mulder: Não, ela me pareceu diferente.
Langly: E quando vão conversar?
Mulder: Não sei, ela não disse nada. Vamos deixar rolar.
Langly: Ahn..


O almoço foi agradável ainda mais por todos verem que Emily estava sem traumas, já que o seqüestrador deixou-a em um mundo à parte, desfrutando do carrinho e da tv.

Seria menos dor de cabeça pra Mulder. Aliás, ele ficou muito feliz ao ver o carinho que Scully tratava a filha dele; ele passou o almoço todo olhando para as duas que sempre conversavam e brincavam.

Scully: Mulder?
Mulder: Hmm?Scully: Eu e Emily estamos combinando de fazer um passeio. Vem com a gente?
Mulder: Claro. [sorri]


. Mais tarde naquele mesmo dia Mulder, Scully e Emily saíram pra andar de cavalo. Os três saíram pela a chácara, Respirando natureza, sentindo todos os poros clamarem por mais e mais daquele ar puro do campo. Em um dado momento Emily partiu na frente, deixando Scully e Mulder mais atrás; bem mais atrás, diga-se de passagem.


Scully: Meu pai tinha uma fazenda e a gente passava as férias lá, mas acho que perdi o costume de fazer esses passeios. [sorri]
Mulder: E o que aconteceu, vocês não tem mais a fazenda?
Scully: Vendi quando papai morreu.
Mulder: E sua mãe, Scully?
Scully: [sorri tristemente] Ela não para muito tempo em um lugar só; Acha que é melhor assim.
Mulder: Então ela está superando o conflito, pois já tem 1 mês que ela esta com você.
Scully: [Sorri] Sim, pela primeira a vejo realmente contente com algo e eu estou mais feliz depois de você ter entrado na minha vida?
Mulder: [sorri] E eu então? [pára bruscamente]
Scully: Que foi? [preocupada]
Mulder: Nada demais. [desce do cavalo] Vem, desce.
Scully: O que você tem em mete? [rindo]
Mulder: [segurando sua mão] Vamos ver o lago.
Scully: [vira-se e percebe que estão em uma colina] Nossa, nem percebi que subimos.
Mulder: [amarra os cavalos em uma árvore e segue mais a frente com Scully] Fica aí conversando comigo e nem percebe nada. [ri]
Scully: Bobo!
Mulder: Senta aqui. [ambos sentam]
Scully: E Emily? [olhando ao redor]
Mulder: [ri] O que acha?
Scully: Você ...
Mulder: Combinei com ela de deixar eu e você sozinhos um pouco. [ri]
Scully: [dá um tapinha nas costas dele] Ai, seu safadooo!
Mulder: Vai dizer que não gostou?
Scully: [sorri e morde o lábio inferior] Gostei..

. Scully sentou-se por entre as pernas de Mulder e os dois ficaram ali até o cair da noite. Mulder fazendo cafuné nela e Scully acariciando delicadamente as pernas dele.

Mulder: Sabe que eu nunca parei pra ver o pôr-do-sol?
Scully: Pra te dizer a verdade, eu já vi algumas vezes, [olhando-o] mas nenhuma tão bonita e especial quanto essa.
Mulder: [sorri e morde o ombro dela]
Scully: Ai. [ri]Mulder: Nem doeu, vai Scully.
Scully: Não mesmo, foi um grito de outra coisa. [gargalha]
Mulder: Hmm, entendi. [morde de novo]
Scully: [vira um pouco a cabeça e fica olhando a boca dele] Te amo. [não dá tempo pra que ele responda e o beija]

. Mulder beijava Scully de forma rápida, desesperado por tê-la novamente. Scully foi se colocando de joelhos na frente dele, sem desgrudar seus lábios. Ele agarrou firme a cintura dela e colou seus corpos, arrancando um gemido dela, que sentiu a intimidade dele muito próxima da sua. Mulder acariciou as coxas e as nádegas dela; os dois ainda estavam com suas roupas, mas o desejo já lhes tomava por completo. Mulder tira uma das mãos das coxas dela e as coloca no ombro, descendo as alças da blusa dela, beijando-lhe os ombros com muito carinho, fazendo Scully fechar os olhos, já ofegante.. Mulder cessou os carinhos e eles se olharam, enquanto ele tirava a blusa da namorada. Scully não deixou barato e colocou as mãos no abdômen dele, por baixo da camisa, levantando-a e tirando-a em seguida. Ela olhou o tórax maravilhosamente desenhado do amado e não hesitou em pousar seus lábios ali, enlouquecendo com a perfeição daquele homem. Mulder já estava em estado de êxtase total, só pensava naquele momento, em Scully e em como a amava e a queria pra sempre sua..

. Scully subiu seus beijos para o pescoço, o queixo, as bochechas e o nariz; fazendo Mulder sorrir. Depois ela beijou a têmpora esquerda dele e por fim a testa. Olhando os olhos dele, Scully segurou o rosto de Mulder e encostou seus lábios, abrindo aos poucos a boca e se deixando levar por aquela maravilhosa sensação de estar novamente nos braços daquele que amava.

. Mulder envolveu o corpo de Scully com seus fortes braços e ainda beijando-a foi acariciando a cintura dela, passando levemente o dedo dentro da calça dela. Scully se afastou um pouco dele e ele abriu o zíper da calça dela, sem tirar os olhos da parte do corpo dela que ia se mostrando conforme ele abaixava a calça mais e mais. . Scully já estava só de peças íntimas e ainda restava a calça de Mulder e ela a tirou rapidamente. Agora somente poucas roupas os impediam de serem novamente um só. Ele abriu o sutiã dela e tirou-o olhando a perfeição dela. Depois ele deitou-a na grama e tirou sua calcinha; ele suspirou e sorriu olhando o corpo dela desde os pés à cabeça, deixando-á um pouco envergonhada.

Mulder: [falando no ouvido dela] Como você consegue ser tão perfeita? [acaricia os seios dela com as mãos] Cada curva, cada partezinha do seu corpo me enlouquece. [Scully geme no ouvido dele, deixando-o ainda mais louco]

. Mulder não esperou mais nem um minuto e tirou a cueca, ficando nu e fazendo Scully olha-lo com olhos de desejo. E penetrou-a de uma só vez. No rosto de Scully fez-se uma expressão de dor que logo se transformou em expressão de prazer e entrega total. Mulder fazia movimentos rápidos e bruscos, fazendo os corpos de ambos estremecerem e suarem. Scully o apertou forte quando sentiu que estava chegando ao orgasmo e cravou as unhas nas costas dele quando finalmente sentiu o clímax. Mulder fez mais alguns movimentos e logo conseguiu alcançar o auge do prazer.

. Mulder deixou-se cair sobre ela, ofegante e muito cansado. Os dois respiravam com dificuldade e estavam abraçados. Mulder desencaixou-se dela e deitou-se ao lado da namorada puxando-a pra que deitasse em seu peito. Scully, ainda de olhos fechados, acariciou o peito do amado suavemente. Ele fez cafuné nela, bagunçando ainda mais os cabelos ruivos de Scully.


Mulder: Scully ... não usamos proteção.
Scully: [arregala os olhos] Nossa! Eu não posso ter filho agora.
Mulder: Oh, sim, agora seria um problema .
Scully: Mas não adianta ficarmos preocupados, já fizemos e não há como voltar atrás. [fecha novamente os olhos]
Mulder: Quanta calma! Achei que ia me esfolar vivo. [ri]
Scully: Só estou com vontade de ficar aqui com você e não me preocupar com algo que não há como saber agora. Não vou sofrer por antecipação.
Mulder: Tem razão. [beija a testa dela]
Scully: Eu adoro o 'depois'. [sorri]

_________________
Beijinhos;)
Thita



*Ser feliz não é ter uma vida perfeita, Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios e perdas... Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história...*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.tlsilva.zip.net
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
FanFic Com Um Olhar ((LEITURA))
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» FANFIC - Namorando meu Ídolo
» FANFIC - Laranjas
» FANFIC - Still You
» FANFIC - My Lovely Stepmother ?
» FANFIC - My Lovely Stepmother - Comentários

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Arquivo X  :: Fics da série :: Fics da série-
Ir para: